Como meditação mudou a minha vida

Meditação é um assunto super comum em vários podcasts e livros que eu leio. Sempre que você ler sobre empreender ou até trabalhar melhor, pode ter certeza que em algum momento essa palavrinha exótica e meio assustadora vai aparecer.

Confesso que no começo eu torcia o nariz. Jurava que era coisa de hippie e que não mudava nada. Mas depois de ver tanta gente incrível falando sobre isso, pensei: não vai doer, né? Eu tinha certeza que seria só mais um hábito de uma semana até pular para o próximo hobby na tentativa de ser uma pessoa menos bagunçada na vida.

Antes de entrar em detalhes, queria explicar rapidinho o que quero dizer quando eu digo “uma pessoa menos bagunçada”Eu sou naturalmente meio desorganizada e esquecida. Eu tenho uma memória péssima e esqueço coisas, nomes, lugares, caminhos. Eu faço várias coisas ao mesmo tempo, misturo tudo e em algum momento isso vai parar em um canto sombrio da minha cabeça embolado com pêlos de cachorro, ideias mal acabadas e pensamentos bizarros de coisas que aconteceram há três anos. Coisas desse tipo.

Leia também: Como criar sua rotina da manhã – um guia completo!

Então quando eu comecei a entender que meditação poderia ser bacana para organizar nossos pensamentos, por um instante eu pensei: é isso!
E em seguida pensei: nah, até parece que vai funcionar.

Só que todos os ~gurus da produtividade~ não param de falar disso como algo transformador. Eu, jurando que ia dar errado, decidi tentar. Baixei um aplicativo chamado Headspace, peguei os 10 dias gratuitos e comecei a praticar.

Durou uma semana e foi um desastre. Minha cabeça parecia uma escola de samba ensaiando para o Carnaval e era impossível me concentrar.

Larguei mão.

Meses depois, acordando com uma dor estranha na mandíbula, me dei conta que estava com bruxismo – que é quando você fica rangendo os dentes durante a noite, raspando um nos outros, e acorda com os músculos da mandíbula doloridos. Como estava em Berlim, sem plano de saúde e sem a menor ideia do que fazer, pesquisei na internet e vi que poderia ser por causa de ansiedade. Foi nessa época que eu me dei conta que estava começando a ter crises de ansiedade de verdade.

Como um dos grandes remédios naturais para curar ansiedade é a meditação, lá fui eu novamente para o Headspace. Dessa vez pra valer.

Comecei a meditar todos os dias por 20 minutos – sem exceções. No começo foi péssimo. Eu me sentia tentando domar um animal selvagem e terminava os 20 minutos esgotada. Acabei fazendo as primeiras dez lições gratuitas várias e várias vezes tentando fazer aquilo funcionar e, quando me dei conta, o bruxismo tinha sumido. Não sei se foi a meditação ou não, mas achei interessante e continuei fazendo.

Agora já faz mais de dois anos que eu medito todos os dias – comecei por causa do bruxismo, mas perdi a conta dos benefícios que a meditação me trouxe.

Por quê meditação mudou a minha vida?

Além desse acontecimento escancarado mostrando que minha ansiedade diminuiu visivelmente, demorei bastante para conseguir ver outras mudanças. Não é como se a gente visse uma escala bonitinha mostrando nosso humor ao longo do dia e analisando as diferenças pós meditação, né? (inclusive adoraria)

Depois que eu comecei a viver viajando desenvolvi uma ansiedade absurda que fica me seguindo pra onde quer que eu vá. Hoje eu tomo café e tenho crises de ansiedade. Eu trabalho pouco e tenho crises de ansiedade. Trabalho demais e tenho crises de ansiedade. Me exercito e tenho crises de ansiedade. Medito e tenho crises de ansiedade. Tudo é motivo pra ter aquela crise gostosa que você acha que vai parar de respirar a qualquer momento.

E a meditação fez eu recuperar o controle sobre o que eu sinto. Claro, não completamente, mas eu consigo entender exatamente a hora que estou prestes a ter uma crise de ansiedade e aprender a controlar melhor esse tipo de coisa. Reaprendi a respirar – no sentido literal da palavra mesmo – observando o que é melhor para o meu corpo e as mudanças positivas que isso pode causar nele.

Ao contrário da ansiedade, que só apareceu mesmo nos últimos anos, eu sempre fui uma pessoa muito pessimista e acabava travada por isso. Ficava repetindo os piores acontecimentos possíveis na minha cabeça jurando que aquilo iria acontecer de verdade a qualquer momento.

Desde que comecei a meditar, meus pensamentos também ficaram mais saudáveis. Porque um dos grandes princípios da meditação é justamente que você não é seus pensamentos – e isso é absurdamente poderoso. Eles vêm, passam pela sua cabeça e vão embora. Você não precisa se agarrar e nem se preocupar com eles.

No aplicativo que eu uso, eles falam que pensamentos são como nuvens no céu. Elas surgem, passam, você as observa, elas vão embora e você continua sua vida. Apesar de todas as nuvens que podem passar, você não é nenhuma delas – e seu céu azul continua ali. Mesmo que às vezes seja difícil enxergar ele com tantas nuvens cinzas sobrevoando nossa cabeça, o céu azul ainda está lá em cima de tudo.

E isso fez muito, muito sentido pra mim. Porque minha cabeça funciona a mil e o tempo inteiro, mas eu só me agarrava naqueles pensamentos que me preocupavam. Ao invés de deixar eles irem e virem, eu ficava esperando um pensamento que não gostava aparecer só para me abraçar nele e ficar mastigando aquilo por dias.

Depois que comecei a meditar eu passei a enxergar muito mais o que acontece dentro de mim. Como funciona a minha cabeça. O que é melhor para ela – e para o resto do meu corpo em geral. Comecei a me olhar com mais carinho, entender essas particularidades e finalmente caiu a ficha de que não adianta nada ter uma vida incrível, planos sensacionais e um trabalho legal se a sua cabeça não está alinhada com isso tudo.

Hoje, sempre que eu sinto que isso está se desalinhando de alguma forma, sei que é hora de pegar mais pesado na meditação.

Meditar me fez olhar muito mais para dentro e entender o que se passa por aqui – e assim consigo entender melhor o que se passa lá fora também. Ter essa consciência mudou a forma que eu enxergo todos os aspectos da minha vida.

É claro que a meditação não foi a solução para todos os meus problemas e provavelmente não será a solução para todos seus problemas também. Mas me ajudou a enxergar com mais clareza cada uma das coisas que estou sentindo e me analisar melhor como ser humano. A ver meus problemas de outra forma e tentar buscar soluções usando isso ao meu favor. Me fez entender o que estou sentindo e reagir de uma forma melhor a cada uma delas.

Analisando agora, consigo ver que me tornei uma pessoa infinitamente mais tranquila, otimista, menos ansiosa e mais interessada no que eu estou sentindo. E isso fez toda a diferença.

Caso você esteja pronto para dar uma chance para a meditação, a dica mais importante que posso te dar é tentar de verdade – por algum tempo! – pra ver como isso funciona pra você. Para a sua cabeça, no seu tempo. Sem pressa de ver resultados, porque é uma mudança para o resto da sua vida. E as mudanças são sensacionais.

Você pode baixar o Headspace caso saiba inglês, mas também existem vários outros tipos de meditação guiada online e em português – e também técnicas de meditação não guiada, é claro. É só dar um google rapidinho. :)

Nem sempre é fácil – já te adianto que na maioria das vezes não é – mas vale tanto a pena pra mim que eu sempre acabo falando sobre meditação em algum momento. É mágico, é transformador, é sempre um desafio e, acima de tudo, faz você enxergar e aceitar o que se passa dentro de você com muito mais carinho. :)

Comentários