Estação da Luz e Museu da Língua Portuguesa

Confesso que não sou a maior fã do centro de São Paulo. Tenho um pouco de medo de ser assaltada ali e não me sinto muito segura com o pouco policiamento que os espaços abertos oferecem. Apesar disso, não dava para deixar a Estação da Luz, a Praça da Sé e o centro num geral de fora do #SPporPaulistanos porque, apesar dos pesares, é uma das partes mais bonitas de toda a cidade.

Muitos dos lugares que visitamos por ali são lindos e bem cuidados. O problema é que o cuidado não se estende as ruas ao redor, então você sai de um oásis e anda na rua com calçadas quebradas e mendigos pedindo comida até chegar ao próximo. Cada lugar parece uma bolha que se esconde do mundo a sua volta, e essa constatação é muito, muito triste. Esse é mais um contraste dos que falei nos posts anteriores, que intimida e faz a gente parar pra pensar. Passear por ali, entrando e saindo de bolhas históricas e cheias de conhecimento, e dar de cara com as nossas diferenças sociais gritando na rua, ali perto da cracolândia, é uma merda. E foi só um pedacinho de realidade crua que vemos em São Paulo inteira.

Começamos nosso passeio pelo centro indo até a Estação da Luz, que é maravilhosa, cheia de detalhes, super bem cuidada e parece com várias construções européias. Não coincidentemente, já que todo seu projeto foi assinado por um engenheiro inglês e boa parte de suas estruturas foram trazidas de lá.


Tem até uma estação em Melbourne, na Austrália, chamada Flinders Street Station que lembra bastante a Estação da Luz (tem foto aqui). E faz sentido mesmo, já que a Austrália foi um dos países colonizados pelos ingleses, né? Pra mim, ela é um misto de Estação da Luz com Mercado Municipal!

A passada é rápida para tirar fotos e ficar lá de cima olhando o movimento. Como qualquer estação de trem e metrô, evite os horários de pico para não ser levado pela multidão (é sério! hahhaha).

Logo ao lado da Estação da Luz fica o Museu da Língua Portuguesa, com instalações interativas e bem interessantes. A parte mais legal do museu é a espécie de planetário de poemas que eles tem, uma apresentação com horário marcado que você recebe o ingresso quando entra. De vez em quando eles tem exposições temporárias com essa pegada interativa que são muito legais também! Eu já estava para conhecer esse museu desde que foi inaugurado, e é uma experiência bem legal para quem se interessa sobre nossa língua e literatura, além de ser o único museu dedicado a uma língua no mundo.

Como diz Caetano Veloso: minha pátria é a minha língua. <3


Em seguida atravessamos o Parque da Luz para almoçar em um restaurante super tradicional, daqueles que você dificilmente entraria se não conhecesse sua história. Vou contar melhor num post dedicado a ele (ou melhor, a eles, já que o almoço foi em um lugar e a sobremesa em outro. Magrinhos assim!).

Durante a tarde ainda visitamos outros lugares que valem um post à parte. Tem muita coisa pra ver por ali!

Mais Informações

Estação da Luz
Horário: Domingo à sexta: 04h40 às 00h30
Sábado: 04h40 às 01h00
Tente ir fora dos horários de pico (entre 16h30 e 20h)

Museu da Língua Portuguesa
Entrada: R$6,00 a inteira
Horário: 10h às 18h
Na última terça feira do mês fica aberto até às 22h

Comentários