Salzburg, a jurássica da música clássica

Salzburg nos deu Mozart de presente
Criando uma fama sem precedente
Por isso, para esse post, resolvemos inovar
Em todo ele, teremos de rimar

Isso, é claro, é só uma piada
Parece coisa de gente não educada
Com tudo, porém, deixamos o aviso:
A rima vai sofrer muito prejuízo

Voltando à nossa história
Não chegamos até lá de forma aleatória
Nos Alpes Alemães nós estávamos
Há uma hora de Salzburg nos encontrávamos

Ela fica na Áustria, encostada na Alemanha
A sua volta tem muita montanha
Sua história atrai logo de cara
Mas é o seu centro, tombado, que é coisa rara

Tem música clássica por todo lugar
Jovens, velhos, todo mundo a tocar
A cidade inteira respira arte
“Olha a senhora dançando, ah não, é um enfarte!”


Foi em Salzburg que Mozart nasceu
E até os 17, foi lá que cresceu
Mas só em Vienna que ele ficou famoso
“Olha só que mocinho talentoso!”

Tem rostos do músico pra onde você olhar
Chocolates, cafés e até marionetes vai encontrar
Sua casa até hoje atraí visitas
Gente que é fã das músicas eruditas

Mas não é só de Mozart que a cidade vive
Para sua dieta, o Apfelstrudel é um deslize
Massa crocante, maçãs e canela
Fazendo a felicidade dele e dela

As ruazinhas de Salzburg são um charme a parte
Tudo parece uma grande obra de arte
Lojinhas, cafés e restaurantes
Cada portinha atrai seus visitantes

Três portas grandes chamam a atenção
É a Catedral de Salzburg, uma grande construção
Você vai se perder em cada detalhe
“Quem será que fez esse entalhe?”

Mas a surpresa se encontra embaixo do altar
Lá existe uma cripta que é de arrepiar
A igreja toda parece um pouco enigmática
“O que são essas caveiras fazendo parte da temática?”

O centro estava bem cheio durante o passeio
Alemães, chineses e franceses lá no meio
Todos se perdiam em cada rua estreita
Mas ninguém tirava de vista o forte a espreita

Festung Hohensalzburg é um nome comprido
Mas isso não impede o forte de ser tão querido
Do topo de Salzburg ele tudo observa
Tão bem cuidado que parece em conserva

Em 1077 sua construção começou
E desde então ele só aumentou
Já foi calabouço, já foi prisão de nazistas
Hoje ele só agrada aos turistas

A subida até lá é cansativa
Então pegue o bonde se você não está na ativa
Nada é de graça, você paga para entrar
São oito euros que vai desembolsar

Do alto do forte uma coisa é destaque
Ver Salzburg inteira quase causa um piripaque
De um lado a cidade, toda verde, cinza e branca
Do outro as montanhas, de sorrir a carranca

Durante a noite, a arte não para
É marionete cantando, é violino na cara
E o que fica, é a vontade de voltar
Para poder, ainda mais, a cidade explorar

Esperamos que você tenha gostado desse poema
E, se não gostou, tá aí um problema
Torcemos pelo seu apoio ao comentar
Para nunca termos que rimar para nos sustentar.

Comentários