Como fazer uma viagem de carro pelos Estados Unidos

Não sei se vocês já sabem, mas há algum tempo nós fizemos uma viagem de carro pelos Estados Unidos que durou exatos 3 meses. Conhecemos a costa Leste e a costa Oeste do país passando por mais de 80 cidades, incluindo Los Angeles, Las Vegas, São Francisco, Orlando, Miami e Nova York.

Desde então, várias pessoas nos mandam mensagens perguntando como foi essa viagem, quanto tempo de planejamento e outros detalhes sobre ela. Os Estados Unidos é um dos lugares favoritos dos brasileiros conhecerem e, apesar do dólar estar lá no alto, vale MUITO a pena fazer uma viagem dessas, passando por vários estados do país. Assim dá para descobrir milhares de paisagens e coisas diferentes para fazer que vão muito além das viagens tradicionais até lá, além de conhecer um pouco melhor as diferenças dentro de um lugar tão grande (e o mesmo vale para o Brasil, gente!).

Por isso, resolvemos criar esse guia aqui! Queremos compartilhar com vocês os detalhes do nosso planejamento, a forma que escolhemos fazer isso e outras dicas que fomos descobrindo no meio do caminho. Nossa viagem foi de Abril a Julho de 2012 e, mesmo fazendo muito tempo, tentamos dar dicas aqui que continuam valendo ~até os dias de hoje~.

e outras sugestões de caminhos

Nossa ideia original era fazer uma rota mais ou menos assim:

Essa é a rota dos sonhos! Uma volta completa pelos Estados Unidos, passando um pouco pelo Canadá, aproveitando as duas costas, conhecendo as principais cidades dos EUA e do Canadá e as Cataratas do Niágara. Só que, para nós, uma viagem tão grande dessas não conseguiria ser feita em só três meses. Ainda é um dos nossos sonhos conseguir cumprir essa rota completa assim!

A segunda opção, que foi a que cogitamos por um certo tempo e parecia ter tudo para dar certo, era essa aqui:

Nesse caso, a ideia é aquela que você pensa quando planeja uma viagem pelos Estados Unidos: cruzar o país todo num On The Road adaptado que até o Kerouac iria curtir. Conheceríamos não só as duas costas do país, mas também New Orleans, Houston, Austin, San Antonio, Albuquerque, Phoenix e o Grand Canyon, só cortando a parte de cima da nossa primeira ideia.

Só que, por motivos financeiros – fica muito mais caro alugar um carro de um lado do país e devolver do outro –, pesquisamos, pesquisamos e chegamos nesta alternativa adaptada:
A gente considera essa rota a mais fácil de fazer e muito, muito boa! Ela passa por grande parte das cidades principais do país e consegue aproveitar o melhor das duas costas. Infelizmente, acaba deixando de lado os estados do meio dos Estados Unidos, mas quando contamos das nossas outras ideias para os americanos, muitos disseram que o meio dos EUA é feito dos “fly-over-states”. Ainda queremos muito conhecer essa parte, mas infelizmente não rolou nessa viagem e aí tivemos que desapegar.

Pegamos um vôo São Paulo – Newark (pertinho de Nova York) e de lá uma conexão para Los Angeles. Alugamos um carro para o primeiro mês em Los Angeles e fomos direto para Índio, no interior da Califórnia, porque iríamos para o Coachella Festival, um festival de música e artes incrível que rola por ali. De lá, voltamos para Los Angeles, passamos pelas cidades da Highway 1, chegamos até San Francisco, depois Lake Tahoe, Yosemite Valley e Las Vegas. Aí deixamos o carro em Los Angeles, pegamos um vôo de volta para a Costa Leste, onde alugamos outro carro no aeroporto JFK e fomos direto para o Bamboozle, outro festival de música, esse na costa de New Jersey. Dalí saímos para a Philadelphia, Washington, Orlando, Miami e até o ponto mais ao sul dos Estados Unidos, Key West. Aí começamos a subir pelo norte: Atlanta, Asheville, Pittsburgh, Boston e terminando a viagem com 15 dias em Nova York – devolvendo o carro antes, porque aqui ninguém é tonto de querer usar carro na cidade! No total, dirigimos mais de 15 mil quilômetros.

Leia mais: De real para dólar: como transferir dinheiro para os Estados Unidos?

Se alguém aí estiver curioso, nós já temos um post com 10 cidades que você precisa conhecer nos Estados Unidos e podemos fazer outros posts explicando melhor toda a nossa rota. É só pedir aí nos comentários!

Quais são os melhores meses?

Ficamos do meio de Abril até o meio de Julho nos Estados Unidos. Chegamos pela costa Oeste, em Los Angeles, e saímos pela costa Leste, em Nova York. E a época foi perfeita para pegarmos vários lugares turísticos um pouco mais vazios e ainda conseguirmos aproveitar o tempo bom.

Além de tudo, demos bastante sorte com o timing de algumas coisas, como: as estradas que ligam o Lake Tahoe até o Yosemite Park, na costa Oeste do país, tinham aberto há menos de uma semana por causa da neve. Isso varia muito com a força do inverno do ano, então não dá pra você prever 100% com muita antecedência. A gente conseguiu passar quase na sorte. Outra coisa ótima foi a ida aos parques da Disney, em Orlando. Chegamos lá bem no começo de Junho, mais ou menos uma semana antes das férias escolares que iam entupir absurdamente todos os parques, filas, entradas, hotéis e tudo mais. Para o padrão Disney, tudo estava bem tranquilo!

A sugestão geral é fazer essa viagem entre Abril e Setembro, que a temperatura está melhor e as estradas estão limpas, mas aí tente evitar fim de Junho, Julho e comecinho de Agosto, que tendem a ser os meses mais lotados e mais caros.

Dormindo em cidades grandes e pequenas

Uma coisa que fizemos e funcionou muito bem foi sair do Brasil com só algumas hospedagens reservadas. Selecionamos as cidades maiores, que com certeza queríamos passar mais tempo e que acabam ficando mais caras, como: Los Angeles, São Francisco, Las Vegas, Philadelphia, Washington, Orlando e Miami. Isso nos deu um panorama geral de onde estaríamos em cada fase da viagem desde o início do trajeto, mas nos deixava livre para passear pelas cidades menores no intervalo entre uma cidade grande e outra. No fim, a beleza de viajar de carro é justamente a liberdade que isso te dá, né?

“Você também gostou dessa cidade e queria passar mais uma tarde aqui? Vamos procurar um hotel por perto!”.

Isso está muito ligado com a forma que nós gostamos de viajar, tendo maior liberdade para deixar o roteiro de lado e poder curtir o lugar que gostamos ao invés de sempre que sair correndo para o próximo ponto turístico.

E nos Estados Unidos, com a infraestrutura que o país te dá, isso é extremamente fácil. Se a gente quisesse, poderia ter acampado, viajado de motorhome, dormido em hostels ou em hotéis 5 estrelas. Tudo sendo reservado online, duas horas antes pelo celular – obrigada, mundo, pelo advento da internet! <3

 

Nessa viagem nós variamos muito de hospedagem: apartamentos, hotéis, motéis de beira de estrada, hostels e até nosso carro.

Para as cidades maiores, exceto Orlando e Las Vegas, que já são tão criadas pensadas nos turistas, usamos o lindo do Airbnb, o site que sempre usamos para alugar apartamentos até hoje. Aliás, se você se cadastrar por esse link AQUI, você garante 25 dólares de desconto na sua próxima reserva, e nós ganhamos um dinheirinho quando você fizer a sua viagem. Então se cadastra aí! Para você ter ideia, só nessa viagem usamos o Airbnb em Indio (na Califórnia), Los Angeles, Philadelphia, Washington, Miami e Nova York.

Para os dias sem planos, a nossa escolha de sempre eram aqueles motéis – se você não sabe, motel lá é só um hotel simples, tá? – de beira de estrada como o Motel 6, Super 8, Days Inn ou até o Best Western, que é um pouquinho mais caro que os três primeiros. Nosso favorito era sempre o Super 8. A média de hospedagem neles naquela época ficava, por casal, em torno de US$60. Não eram os mais bonitos do mundo, alguns tinham aquela piscina no meio do complexo de prédios que parecia de filme de terror, mas a localização deles, sempre na beira da estrada, é perfeita para quem acorda e já vai continuar viagem.

informe_publicitario_da_lisa

Para fazer reserva, o segredo é baixar os aplicativos de cada um deles logo que você chegar nos Estados Unidos. Nossa estratégia era dirigir até ficarmos cansados e olhar nos aplicativos onde ficavam os motéis mais próximos na direção que estávamos seguindo. “Tem um daqui 10 km e outro daqui 120 kms. Você aguenta 120?” Assim que escolhíamos, já fazíamos a reserva pelo app e, chegando lá, já estava tudo pronto e garantido. Muito fácil! Uma maravilha!

Com quanta antecedência começo a planejar?

Fechamos as passagens da viagem faltando um mês e meio para o embarque, e aí começamos a pensar na rota final para fazer dentro do país, lugares que queríamos visitar e quanto tempo passar em cada lugar. Tivemos nossas mil ideias e devemos ter mudado de roteiro pelo menos 10 vezes.

Se tivéssemos mais tempo, provavelmente teríamos pesquisado melhor cada uma das cidades que iríamos passar, mas 1 mês e meio deu perfeitamente para reservarmos as hospedagens nas principais cidades, as atrações que mais queríamos ver e finalmente decidir a rota que faríamos.

A verdade é que fazer uma viagem de carro pelos Estados Unidos não é das tarefas mais difíceis do mundo. Ainda mais tendo internet disponível o tempo todo. Se planejar com mais antecedência, é bem capaz de você conseguir uns descontos melhores, o que é ótimo, mas não é algo tãão essencial assim.

O principal e maior gasto da viagem

Como dissemos aqui em cima, a primeira rota era rodear o país todo. A segunda, que parecia a mais legal e fazível, era atravessar o país de ponta a ponta. Aí fomos cotar o valor do carro para saber quanto seria alugá-lo em um lado dos EUA e devolver do outro e deu um preço absurdo que ia acabar com nosso dinheirinho antes mesmo de sair do Brasil. Aí fomos testando outras alternativas até encontrar a ideal.

A melhor solução entre planos mais legais e preços melhores, para nós, foi justo a que escolhemos: alugamos um carro durante um mês na costa Oeste, retirando e devolvendo ele no aeroporto de Los Angeles. Aí pegamos um voo até o outro lado do país, alugamos um carro no aeroporto de Nova York e devolver ele de volta ali um mês e meio depois para passar 15 dias em NY.

Ainda assim, o aluguel de carro é bem caro e um dos maiores gastos dessa viagem, ainda mais porque pegamos um daqueles carros imensos para caber todas as nossas coisas – que, no fim da viagem, era ~apenas~ 5 malinhas de 32kg cada uma – e ter mais conforto.

Como dirigimos mais de 15 mil quilômetros em três meses, dormindo em um dos carros no Coachella e passando boa parte do dia dentro deles, não nos arrependemos nem por um segundo por ter pego carros grandes, automáticos e com ar condicionado.

Como vou ficar conectado 0 tempo todo?

Logo que chegamos nos EUA fomos até uma Best Buy comprar um GPS – isso é essencial em viagens de carro, não conte sempre só com o celular! – e um hotspot da T-Mobile (esse é um similar do aparelho que utilizamos). Esse aparelhinho é tipo um modem que você adiciona crédito e ele gera sinal de internet. Funcionou perfeitamente em praticamente todos os lugares que passamos dos dois lados do país, menos em lugares mais remotos tipo o Death Valley. Você conecta seu celular nesse Wi-Fi que ele gera e…é isso. Não precisa nem comprar chip local. Ele ficava lá na mala, conectado a um carregador externo (outra boa compra para viagens de carro e para a vida!) e era só o que precisávamos.

Na época, nós ainda não trabalhávamos à distância e estávamos tirando férias não remuneradas, exceto por um freela ou outro durante os três meses. Mas usamos o celular o tempo todo para reservar hotéis e fazer pesquisas de coisas legais para fazer nas cidades. Não precisamos explicar para ninguém aqui porque internet é quase item de necessidade básica, né? Hahaha

Esse hotspot foi uma das coisas mais legais que compramos para a viagem e sentimos muita falta de algo similar aqui na Europa que tenha um preço legal como esse aí.

Quanto vai custar a melhor viagem da minha vida?

Essa parte, para falar a verdade, foi um tanto quanto confusa com a gente. Acabamos gastando bem mais do que o esperado – com razão, porque não fizemos absolutamente nenhum planejamento financeiro antes de decidir ir viajar. Não façam isso em casa!

Hoje, se decidirmos fazer essa viagem de novo, vamos primeiro fazer uma cotação geral do quanto iremos precisar para cada coisa da viagem:

Hospedagem para todas as cidades mais importantes da sua viagem
Aquelas que você quer conhecer com certeza. Nova York, Los Angeles, Boston, São Francisco, Orlando…
Valor do carro que você pretende alugar
De acordo com seu roteiro inicial
Média de quanto você vai gastar de gasolina na viagem toda
Os preços variam muito e isso vai depender de quantos quilômetros você vai dirigir, então é bom dar uma boa margem extra aqui. Você pode descobrir uma média por esse site aqui
Valor de todas as atividades mais importantes que você quer muito fazer durante a viagem
Cirque du Soleil, entradas nos parque da Disney, jantar em um restaurante específico, subir no Empire State Building…
Decidir quantas noites você vai passar fora das cidades grandes da viagem
Para ter uma ideia de quanto tempo terá que improvisar.
Ver preço das hospedagens de algumas cidades do interior que você provavelmente vai passar
Sugerimos esses hotéis de beira de estrada, tipo Motel 6 ou Super 8. Se você pretende planejar tudo com antecedência, veja se hostels valem a pena – e lembre-se, sempre, do estacionamento do carro, que podem ser extremamente caros. Em hotéis normalmente está incluso. Em hostels, quase nunca.
Criar uma média de valor por noite na hospedagem em cidades menores e multiplicar esse valor pela quantidade de dias que você vai dormir ~na estrada~
Tente pesquisar em diferentes estados/regiões para a média ficar mais próxima da realidade.
Definir um valor diário para comida e bebida
É importante variar essa média de acordo com a região que você estará. Assim, consegue estabelecer se um dia você gastou demais ou de menos e se vai precisar passar a próxima semana comendo sanduíche dentro do carro. Se você gastar menos em um local, pode remanejar o que sobrou para as cidades mais caras e tenta não passar muito do valor pré determinado. Mas vá preparado para achar um ou outro restaurante incrível no meio do nada!
Definir um valor à parte para compras
Faça as contas do que você pretende comprar e separe um valor extra para as compras de impulso. Estados Unidos, mesmo com o dólar lá no alto, não é o lugar mais fácil do mundo de manter o budget em dia.
Cotar um seguro de viagens legal que cubra o tempo da viagem
Importante sempre ter, mas esperamos nunca usar!
Ver o preço médio das passagens
E, se for o caso, esperar uma promoção melhor pra diminuir esse gasto.
Pegar esse valor todo e adicionar uma porcentagem em cima para os erros de cálculos
 Sim, eles vão existir. Você também vai querer entrar em alguns lugares que não havia previsto no começo da viagem, então é bom pensar entre 20-30% mais caro.

Aí é só fazer a soma:

hospedagem das cidades grandes + aluguel do carro + gasolina + atividades mais importantes + hospedagens nas cidades pequenas + comida e bebida para todos os dias + valor para compras + seguro de viagem + passagens + extra que você conseguir guardar

et voilà!

Isso já vai te dar uma noção bem boa de quanto dinheiro você precisa para fazer uma viagem como essa. :)

 

Esse post é um resumo extremamente resumido do nosso planejamento para a viagem pelos Estados Unidos que fizemos. Também tivemos que pensar na organização das malas, na forma que dispomos as coisas no carro, na forma que criamos uma mala de viagens menor para só passar a noite dentro dos hotéis, além de várias histórias que rolaram nesse tempo na estrada. Foi uma das melhores viagens que fizemos na nossa vida e foi ela que nos fez começar a pensar em viajar o mundo trabalhando, então acreditamos que é uma viagem super life changing para qualquer pessoa!

Se surgir qualquer dúvida, mande aqui nos comentários que podemos criar um post novo respondendo todas elas! :)

Para ler mais posts sobre a nossa viagem de carro pelos Estados Unidos, clique aqui!

Comentários