Como viajar com animais no avião?

Viajar com animais no avião é uma das perguntas que sempre recebemos aqui no blog quando falamos das nossas viagens com a Lisa e o Luca, nossos dois cachorros. Mesmo tendo um guia bem completo sobre levar animais para a União Européia e agora um ebook respondendo absolutamente todas as questões que eu sei sobre o processo, essa é uma pergunta que ainda rola muita desinformação por aí.

Você já viu nosso guia completo sobre como viajar com animais para vários lugares do mundo?

Reserva na companhia aérea

Para viajar com animais no avião você precisa, logo depois que comprar a sua passagem, fazer uma reserva na companhia aérea para ele viajar também. Assim como existe um limite de passageiros, também existe um limite de animais no voo, girando entre quatro animais na parte inferior da aeronave – aqueles que vão despachados. Algumas companhias também impõe limites para viajar com animais na bagagem de mão, junto com o dono. A reserva é feita de forma bem simples, só passando as informações da caixa de transporte e o peso do animal junto da caixa. Se o tamanho da caixa e o peso do animal estiverem de acordo com as especificações de cada companhia aérea, é só prosseguir com a reserva.

Eu já fiz a reserva dos meus cães por telefone e até direto pelo site de algumas companhias aéreas. Se você não encontrar a opção de viajar com animais na hora de comprar a passagem no site, faça sua compra e já ligue para a companhia fazendo a reserva em seguida. Só para garantir, alguns dias antes de embarcar, também faça algum contato com a companhia aérea – redes sociais ou telefone – e pergunte novamente sobre a confirmação do transporte do seu bichinho. No nosso guia completo eu também dou dicas sobre isso. Vem ver! 

Documentação em dia

Quando você faz a reserva para viajar com animais no voo, essa ainda não é a garantia que você vai embarcar com seu bichinho. Na hora do check-in você precisará ter todos os documentos de embarque do animal bem certinhos, do jeito que o país de destino pede, para ele poder entrar no avião e viajar com você. Se a documentação estiver errada, é bem provável que ele acabe nem embarcando – e, caso dê algum erro e ele embarque com a documentação errada, poderá ser mandado de volta para o Brasil assim que pisar no país de destino.

A documentação, como falamos muito no nosso guia sobre viajar com animais, é um processo que pode demorar até cinco meses – desde a microchipagem até o momento do embarque. Depois da primeira vez que você faz o processo de viajar com animais, tudo fica mais fácil e o tempo diminui para algo em torno de duas semanas.

Se você quer levar seu animal para a União Européia, Inglaterra, Irlanda, Estados Unidos, Mercosul, Austrália ou até em viagens dentro do Brasil, sugiro que você já clique aqui e garanta nosso guia completíssimo.  Ali tem informações sobre todo o procedimento, além de formas de manter seu animal seguro durante o voo, sugestões de caixas de transporte e outras questões relevantes para o transporte e adaptação dele.

Aqui, é importante lembrar que eu detalho os procedimentos para que o animal viaje no mesmo voo que você, não sozinho. Se você precisa mandar seu animal para outro país desacompanhado, vai precisar contratar um despachante e fazer o processo totalmente junto com ele – e o valor pode sair bem caro. Seguindo os passos que eu indico no nosso ebook, você vai economizar um bom dinheiro e conseguirá fazer o processo todo sozinho – a não ser que o país de destino peça, obrigatoriamente, um despachante no processo.

Se você está indo viajar para a União Européia, esse post aqui já vai te ajudar bastante na questão de documentação.

Valores de embarque

Existe um boato bizarro que diz que, para viajar com animais no avião, você paga o preço de uma passagem de avião extra (!!!). Antes de surtar com isso, acalme-se: é só um boato absurdo. Os valores de embarque dos animais são definidos de acordo com o peso deles e o tamanho da caixa de transporte. Em 2014 eu paguei 500 reais para embarcar os meus dois cães em uma viagem e 200 euros, por cão, em outra. Não é barato, mas também não é o preço de uma passagem extra de avião. Você pode ver mais sobre isso no site da companhia aérea que decidir utilizar.

Segurança no voo

Para viajar com animais no avião, você precisa seguir uma série de regrinhas básicas para que ele chegue no país de destino em segurança. Além da documentação, de uma caixa de transporte segura e de uma companhia aérea confiável, o seu bichinho precisa de uma certa preparação psicológica para ficar dentro da caixa de transporte por tanto tempo.

Meus cachorros já viajaram em sete voos diferentes, sempre despachados, dentro e fora da Europa, em voos com e sem conexão. Em cada uma das vezes, nós fomos aprendendo instruções novas e entendendo quais são as melhores formas para que eles se sintam confortáveis e fiquem bem durante todo o voo.
Aqui vou compartilhar algumas com você para que seu bichinho também fique um pouco mais calmo – e você também!

Apesar de todas essas recomendações e precauções, não se engane: você vai ficar tenso e preocupado durante o voo inteiro. A única coisa boa de toda essa saga é o fim, quando você chega no país de destino e vê a carinha feliz do seu bichinho todo feliz em te ver novamente. Aí seu coração pode voltar a bater em velocidade normal. ❤️

Dicas para mais segurança e tranquilidade

(essas e todas as nossas dicas e segredos que aprendemos sobre viajar com animais, compiladas em um livro digital que vai ajudar você e seu amigo de quatro patas a atravessarem o oceano juntos!)

Escolha uma companhia aérea confiável

Eu jamais viajaria com meus animais em companhias aéreas que já são conhecidas por perderem animais em voos. Pesquise muito bem as opções que você tem e quais são seus custos antes de comprar uma passagem de avião, garantindo que a companhia irá tomar todo o cuidado do mundo com ele. Preste atenção com as taxas extras que algumas companhias aéreas podem cobrar – eu falo bastante sobre isso no nosso guia. A companhia aérea será a responsável pelo seu bichinho durante aquele período de viagem, então escolha com muita cautela.

As companhias aéreas que eu já viajei, não tive problemas e sempre dou preferência são: Lufthansa, KLM e Air France.

Compre a melhor caixa de transporte que puder

A caixa de transporte do seu bichinho será a única proteção que ele terá de qualquer movimento brusco do avião ou durante o seu transporte. É ela que vai garantir que ele continue preso lá dentro e seguro de qualquer movimento estranho ao seu redor durante toda a viagem. Por isso, pesquise muito bem antes de comprar qualquer caixa de transporte e escolha sempre, obrigatoriamente, alguma caixa que siga todas as normas da IATA.

Porta de ferro, partes de baixo e de cima fechadas por parafusos, ventilação na caixa toda e tamanho apropriado para o animal dar uma volta completa e ficar de pé sem problemas lá dentro são apenas algumas das coisas básicas que eles consideram obrigatórias.

É importante saber exatamente qual tipo de caixa é mais segura antes de sair para comprar alguma. Não acredite em vendedores de lojas ou em selos de aprovação – a IATA não aprova caixa nenhuma, só dá as coordenadas.

No nosso guia “Viajando com Animais” nós te damos dicas de caixas para você comprar, fotos das caixas que você não deve comprar de jeito nenhum e também as outras especificações da IATA para a escolha de uma caixa. Vem conhecer!

Acostume o animal a caixa de transporte

Não adianta comprar uma caixa de transporte incrível e deixar ela guardada até o dia do voo de vocês. O bichinho precisa entender que a caixa é um lugar seguro e que ele deve se sentir protegido lá dentro. Você precisa treinar seu animal, seja ele um cão ou um gato, a se sentir bem ali – afinal, ele vai passar boas horas lá dentro. Já vi gente que colocou o bichinho dentro da caixa de transporte só no dia da viagem e ele ficou super estressado, tentou roer a caixa, se machucou inteiro e até quebrou alguns dentes. Com razão, né? Como se não bastasse ele estar passando por uma situação super desconfortável de transporte, ainda está em um lugar que não se sente seguro.

O procedimento de acostumar o animal a caixa de transporte pode ser feito com uma boa dose de paciência e carinho com seu bichinho. Coloque a caminha que ele dorme dentro da caixa de transporte e deixe ele descansar lá dentro alguns momentos do dia. Coloque snacks de surpresa, faça festa quando ele entrar na caixa e o incentive a entrar e sair dali sem medo nenhum.
Nesse primeiro momento, deixe sempre a porta da caixa de transporte desacoplada ou aberta, tendo certeza que ela não vai fechar com ele lá dentro ou assusta-lo. E aí vá melhorando isso ao longo dos dias. Aqui tem mais informações sobre isso!

Meus cachorros usam até hoje a caixa de transporte deles como uma de suas caminhas, e eles entram e saem dela sem maiores problemas. Quando colocamos as caixas dentro de um carro, para viajarmos com eles para algum lugar, os dois entram ali super felizes e vão bem tranquilos a viagem toda.

Identificação na coleira do animal

Alguns dias antes de embarcar com seu animal, uma coisa que me deixa um pouco mais tranquila é sempre identificar meus cães. Eu imprimo um papel com meu nome, sobrenome, email e telefone (sempre com o prefixo do país!), prendendo o papel em toda a extensão da coleira de pescoço deles com uma fita transparente. Como eu estou sempre mudando de país, a TAG que eles carregam no pescoço nunca está totalmente atualizada, então essa acaba sendo a forma mais segura de saber que, caso alguma coisa aconteça, alguém poderá me ligar e me avisar onde eles estão.

DEBORA – Please call | Por favor, ligue: + 55 11 XXXXX- XXXX

Mas tome muito cuidado aqui: você não pode deixar a coleira do seu cachorro muito apertada (e nem muito larga!) durante o voo. Ele precisa ficar confortável e se sentir bem com ela, então é importante que você o acostume a usar a coleirinha de pescoço com certa antecedência. Também é importante garantir que, caso a fita solte da coleira, ele não vai se machucar com ela.

Identificação na caixa de transporte

Outro lugar que eu identifico muito bem é a caixa de transporte dos meus cães. Imprimo pelo menos três papéis com todas as minhas informações e colo em três lugares da caixa de transporte com durex transparente. Algumas companhias aéreas pedem essa identificação desde o início, outras não, mas eu sempre imprimo alguns papéis e espalho pela caixa – assim não tem chances de alguém não ver o que está escrito, o papel descolar ou qualquer coisa parecida.

As informações que eu costumo colocar são: nome do cão, quanto ele precisa de comida, origem, conexão e destino final, números dos voos, meus dados, endereço do local que vou ficar hospedada no destino e telefones que eu estiver usando.
Fica mais ou menos isso aqui:

NOME – XXX grams of dog food
Flight: Sao Paulo – Amsterdam – Berlin, Deutschland
FLIGHTS: Código do Voo I – Código do Voo II
Sobrenome, Nome
Nome da rua, número, apartamento – Berlin – Deutschland
Phone: (+55) 11 XXXXX XXXX
Phone (+49) XXX XXX XXX

Deixe o animal muito bem hidratado

Alguns animais ficam muito estressados com todo o processo do voo e podem acabar ficando um pouco desidratados por não beber água durante um período muito longo. No mundo ideal, você pode comprar um bebedouro para caixa de transporte como esse aqui e ensinar seu animal a beber dele. Aí você só coloca uma garrafa de plástico acoplada e está perfeito: a água não vasa, ele terá água ali para todo o voo e vai ficar tudo bem.

Só que meus dois cachorros detestaram esse bebedouro e não teve jeito que eu conseguisse ensina-los a beber desse negócio. Eu dei várias sugestões no nosso guia sobre viajar com animais que você pode conhecer clicando aqui. Caso o seu animal também não se acostume com esse bebedouro – dizem que para gatos a adaptação costuma ser mais simples – eu tenho duas sugestões:

  1. Soro subcutâneo
    A primeira vez que fomos viajar de avião com animais, levei meus cachorros para o veterinário algumas horas antes do voo e pedi para ele aplicar soro subcutâneo com algumas vitaminas nas costas deles. Dessa forma, eles estavam absorvendo soro aos poucos e não iriam desidratar. Apesar de isso não ser um procedimento comum, foi uma coisa que me deixou bem mais tranquila durante esse primeiro voo que fizemos.
  2. Potinhos de água e comida acoplados na caixa de transporte
    Em todas as outras viagens que fizemos, fiquei passeando fora dos aeroportos com a Lisa e o Luca antes deles embarcarem, dando água para os dois até alguns minutos antes do embarque. Também garanti dois potinhos para usar dentro da caixa de transporte – algo obrigatório quando você viaja saindo da Europa – que são presos na porta da caixa de transporte, virados para dentro, e que qualquer pessoa poderia colocar água mesmo de fora da caixa de transporte.Quando meus cães embarcam, eu sempre deixo esses potes completamente vazios, para que a água não caia e acabe molhando os cobertores deles dentro da caixa de transporte.

Algumas pessoas sugerem que você coloque algumas pedras de gelo nesse potinho, porque assim a água vai derretendo aos poucos e eles podem ir bebendo. Outras falam para você colar um papel na caixa de transporte, em inglês e na língua do país de destino, com alguma coisa do tipo “Por favor, me dê um pouco de água!”.

As viagens que fizemos sem o soro também correram bem, mas vi que o Luca chegou um pouco desidratado depois de um desses voos. Então essa decisão pode variar com o quanto que seu animal fica ansioso e o quanto você deu de água para ele antes do embarque.

Independentemente da forma que você escolher para manter seu animal hidratado, assim que retirar ele no destino final, já tenha uma garrafinha de água contigo, porque com certeza ele vai estar com muita sede!


Essas são algumas formas de viajar com animais no avião se prevenindo aos máximos para qualquer imprevisto que possa acontecer durante a viagem. Depois de tantos voos que fizemos – além dos que ainda faremos juntos – eu consegui aprender MUITA coisas e ver tudo o que funcionava bem ou não. Aí juntei tudo e criei esse guia super completo que colocamos aqui. Tenho certeza que ele será um salva-vidas nesse mar de informações erradas que a internet tem!

Espero que com todas essas dicas de como viajar com animais no avião, somadas as dicas no nosso post de passo a passo para levar animais para a União Européia e a todas as informações super detalhadas do nosso guia sobre levar animais para fora do Brasil, a viagem com o seu bichinho seja um pouco mais tranquila! 😃

Comentários