Como levar animais para a União Europeia

Quando eu conto que saí do Brasil para viajar o mundo com meus dois cachorros, a primeira reação das pessoas é me achar louca. A ideia de levar animais para a União Européia e também para qualquer outro país de avião dá mesmo um pouco de medo, seja pelo voo, pela documentação ou pela dor de cabeça. Por isso, muita gente me perguntava se não era mais fácil deixar eles com alguém no Brasil. Só que essa opção nunca me passou pela cabeça. Eu tive a ideia de adotar a Lisa e o Luca sozinha e sempre fui responsável por eles.

Se fôssemos morar fora ou viajar o mundo, iríamos nós quatro ou não iria ninguém. Então, se eles não pudessem embarcar, nós também ficaríamos no Brasil. Por isso tudo foi milimetricamente planejado para dar certo. E, ufa, deu! :) Nós até criamos um guia completo para você saber absolutamente tudo que eu sei sobre viajar com animais, que você pode ver clicando aqui.

Eu já peguei mais de 10 voos com meus dois cachorros desde que escrevi esse guia a primeira vez e já fui para o Brasil e voltei para a Europa três vezes com eles, então as informações daqui não são apenas pesquisas, são reais, utilizadas por mim e detalhadas por completo no nosso ebook.

Atualizado pela última vez em Outubro de 2016.

O CCZ continua sendo o único laboratório credenciado para levar animais para a União Européia no Brasil que pode emitir esse documento (fonte aqui).  Você pode checar se eles estão com o processo normalizado acessando essa página.

Caso o CCZ não esteja fazendo o exame temporariamente por qualquer razão, clique aqui para ver a lista de todos os laboratórios credenciados espalhados pelo mundo. Você fazer enviar a amostra de sangue para ser examinada no exterior. Todo o resto do processo continuará igual, você só precisa armazenar e enviar o sangue para análise da forma que explicamos no nosso ebook para ela não estragar.

Lembrando que a sorologia é um documento que dura para sempre (se você vacinar seu animal anualmente contra raiva, sem nunca perder a data) e poderá ser usada para todas as próximas viagens dele, então faça o documento o quanto antes, mesmo que sua viagem esteja planejada para daqui alguns meses ou anos.

como_levar_animais_para_europa_pequenos_monstros-4

As informações para levar animais para a União Europeia são bem cruas no site do Ministério da Agricultura. Os blogs e sites que falavam sobre a experiência eram super antigos e não tinham informações atualizadas. As empresas aéreas que transportam animais também tem pouquíssimas informações para o embarque no site. Por isso, resolvi fazer um post bem completo contando o passo a passo de trazer meus dois cachorros para a Alemanha (que tem as mesmas regras da União Europeia quase toda, com algumas diferenças para a Finlândia, Irlanda, Malta, Suécia e Reino Unido, que você pode ver aqui) em Abril de 2014 (em Fevereiro de 2015, para a Espanha, e também em viagens dentro da Europa). Essa pesquisa toda foi feita pensando em cachorros, mas é basicamente a mesma coisa para gatos.

Em nosso guia sobre viajar com animais nós detalhamos tudo que você precisa para levar animais para o Reino Unido, Irlanda, Estados Unidos, Austrália e vários outros países. Clique aqui para ver! :)

As informações podem mudar futuramente, então é bom sempre ficar de olho, mas aqui vou tentar esclarecer as 35 milhões de dúvidas que eu tive e que nenhum site me respondeu de forma clara e fácil. Para quem vai para os países que não possuem a mesma política da maioria da União Europeia, é só seguir os passos que estão aqui e pesquisar sobre os adendos do país. Falamos sobre as burocracias para os principais países do mundo no nosso guia que você pode ver clicando aqui.

1

É seguro transportar animais no avião?

Acho que essa foi a minha maior preocupação ao mudar para cá. Acima de hospedagem, dinheiro, diferença cultural ou trabalho. Quando a gente não tinha sequer uma previsão para mudar, eu já pesquisava que nem louca relatos de pessoas que levaram animais em voos. Como a Lisa pesa 8kg e o Luca 12kg, os dois foram despachados, e com mais de 6 meses antes do embarque eu já tinha crises de gastrite me preocupando com eles durante o voo. Li muito sobre como acontece o transporte de animais em aviões e conversei com o veterinário que eu confio. Ele me contou de outros cachorros que fez a documentação para outros países e que deu tudo certo, o que me acalmou um pouco. Mas foi, sem dúvidas, o pior voo da minha vida. Toda turbulência eu acordava preocupada se eles estavam em pânico lá embaixo. No fim, provavelmente os dois estavam capotados dormindo maravilhosamente bem, porque chegaram com a maior cara de sono do mundo aqui na Alemanha, e eu que pirei a toa. <3

No fim, é uma pergunta bem complexa. Se seu cachorro está bem, sem problemas de saúde, com os documentos certos, com uma caixa de transporte segura e em uma companhia aérea de confiança, sim, é seguro. Mas é essencial pesquisar. Em nosso guia para viajar com animais para fora do Brasil nós falamos muito sobre segurança e formas de fazer esse processo da melhor forma possível. Por exemplo, algumas companhias aéreas não transportam animais de focinho curto, como o Pug, porque ele tem o focinho achatado e tendências a ter problemas respiratórios. Eu teria medo de levar um Pug para andar de avião porque esse risco me assusta demais, mas existem companhias que aceitam e maneiras mais seguras de viajar com eles.  É importantíssimo você falar com um veterinário ótimo e ver como está a saúde do seu bichinho antes de qualquer coisa. Também tem alguns países que tem uma documentação mais séria para levar animais de raças que eles consideram mais perigosas, como o Pit Bull, e outros países que sequer aceitam algumas dessas raças. Pesquise bastante sobre isso.

2

Qual a melhor companhia aérea para animais?

Dentre todas as minhas buscas, eu constatei que a Lufthansa é uma das melhores companhias do mundo para transportar animais, então fiz questão de comprar as passagens por ela. Jamais, JAMAIS compraria uma passagem que um dos voos fosse TAM ou qualquer outra companhia que já teve problemas perdendo animais. A Lufthansa é tão cuidadosa com cães e gatos que no aeroporto de Frankfurt eles tem uma área enorme só para animais em conexão descansarem, com veterinários, água, espaço para relaxar e tal. E é alemã, né? Os alemães tem um cuidado especial com cachorros. Também viajei com eles pela KLM, com conexão em Amsterdam, e deu tudo certo. O maior problema é que com eles existe uma taxa de 150 euros por cachorro pela conexão quando ela demora mais do que duas horas, porque tecnicamente eles levam os animais para um hotelzinho para passearem, tomarem água e comer. Minhas conexões tinham entre 2:10 e 2:20, então eu paguei, mas meus cachorros chegaram nos destinos finais sem sinal nenhum de que alguém abriu a casinha deles e morrendo de sede, então não sei o quanto eles realmente fazem isso.

Quase todas as companhias aéreas que eu pesquisei aceitam animais, alguma só na cabine, outras só no porão, ou em ambos. No nosso guia também falamos sobre formas que você pode escolher a sua companhia aérea. A Lufthansa, por exemplo, só permite animais de até 8kg na cabine, somando o peso do bicho e da caixa de transporte. A Lisa passou desse limite por pouco, mas no fim achei mais confortável e tranquilo ela ir no porão. Acho que o fato da Lisa saber que o Luca estava lá, e vice versa, passou mais segurança para eles também.

Independente da companhia que você pretenda viajar, entre no site, ligue, pergunte sobre os tamanhos das caixas de transporte que são permitidas, as taxas de embarque, como funciona o transporte deles no avião etc. E pesquise muito na internet. Eu comprei as passagens por telefone porque não dava para reservar o espaço para animais no site e tive que pagar uma taxa extra pelo serviço. Lembrando que, normalmente, os aviões transportam no máximo 3 animais por voo, então garanta que o seu bichinho tenha reserva no voo que você comprar.

3

É caro levar animais para a União Europeia?

Como eu disse antes, eu não mudaria de país se eles não viessem comigo, então estava disposta a gastar o que fosse necessário e que eu pudesse pagar para trazê-los. O Luca tem um problema de coluna desde filhote e a Lisa toma um remédio injetável mensalmente há um ano, então eu tive que comprar vários remédios para eles continuarem com a rotina aqui por pelo menos 9 meses, além de colírios, antibióticos, pomadas e remédios comuns para qualquer eventualidade. Não quero depender dos veterinários alemães sem necessidade e essa foi a parte mais cara do processo inteiro. Se seu cachorro não precisa de nenhum tratamento específico, o custo cai MUITO.

As caixas de transporte que eu comprei foram entre R$ 300 e R$ 400 cada uma, mas são extremamente seguras. A maior curiosidade das pessoas é o custo de embarcar um animal no avião, porque existe o boato de que você paga uma passagem extra para cada animal que embarca (!). Relaxa, que isso é um boato babaca. Eles calculam o valor de acordo com o peso dos animais. Para embarcar os dois na Lufthansa eu paguei R$500, bem menos do que eu esperava. Na KLM, por conta do hotel obrigatório e do transporte, o valor deu bem mais do que o dobro.

No nosso guia “Viajando com Animais” você poderá ver com mais detalhes cada um dos nossos custos.

O valor total da viagem depende muito da vacinação do seu cachorro, se ele já está microchipado, que remédios tem que levar, tipo de caixa de transporte que você quer e tal. O processo todo não vai sair baratinho, mas vale a pena! Dá para economizar em algumas coisas, mas não deixe de levar remédios para emergências, vacinar no melhor lugar possível e implantar o microchip num lugar confiável. É melhor gastar um pouco a mais para não ter dor de cabeça depois e embarcar com tranquilidade com seu animal.

Algumas coisas que você precisa colocar nos custos:

  • Check-up geral do seu bichinho no veterinário, incluindo possíveis exames para ver se está tudo certo, tirar tártaro etc
  • Compra de remédios para emergências
  • Compra de remédios do dia a dia
  • Caixa de transporte
  • Microchip com aplicação (Paguei R$ 300,00)
  • Fazer a sorologia (Depende do veterinário. No que eu fui, com coleta do sangue, envio para o laboratório e retirada do resultado foi uns R$ 400,00)
  • Vacinação anti-rábica
  • Certificado de Saúde emitido pelo veterinário
  • Embarque do animal (O embarque dos dois saiu R$500,00 pela Lufthansa)

4

Qual caixa de transporte comprar?

Esse é um ponto que eu apanhei MUITO até achar informações confiáveis. Se você vai levar seu animal na cabine, acredito que você deva comprar uma Sherpa Bag. Comprei uma para a Lisa com a esperança que ela emagrecesse e acabei usando só para leva-la no veterinário, o que comprovou sua qualidade absurda. Depois, decidi comprar uma caixa de transporte rígida para ela e outra para o Luca, porque é o único tipo que aceitam no porão das aeronaves.

No nosso guia sobre viajar com animais para fora do Brasil eu dou dicas sobre quais caixas de transporte NÃO comprar de jeito nenhum, o que olhar quando estiver na loja, várias especificações da IATA, como tirar as medidas do seu bichinho e vários outros detalhes importantes.

Li o manual inteiro da IATA (International Air Transport Association, órgão que estabelece leis para transporte aéreo), pesquisei muito sobre a qualidade de materiais, as caixas disponíveis no Brasil e então comecei a procurar a caixa ideal para eles. Algumas caixas tem um sinal dizendo que seguem as especificações da IATA, mas só é preciso ter tudo que eles estipulam e tá tudo certo.

Três coisas básicas:

  • A caixa de transporte não pode ter rodinhas de jeito nenhum.
  • Se ele vai no porão, o cachorro tem que conseguir ficar de pé na caixa, sem abaixar o pescoço, e conseguir dar uma volta completa no próprio corpo.
  • Confira 100 vezes se não é fácil dele abrir a trava.

Para facilitar a quem estiver procurando, a minha pesquisa resultou nessas três. Todas tem os requisitos básicos da IATA e podem embarcar:

Animais na cabine:
Sherpa Bag Original Deluxe

Animais no porão:
Compass PetMate

Outra ótima opção:
Vari Kennel

O Luca e a Lisa usaram a Compass PetMate, que eu indico bastante. Para o Luca foi o tamanho intermediário (32′) e para a Lisa foi o médio (28′).

Essas caixas de plástico são uns trambolhos. Aqui em Berlim eu uso elas abertas como caminhas, com almofadinhas e cobertores dentro. Trouxe a Sherpa Bag também e a Lisa ama, dorme nela a tarde toda.

No nosso guia sobre levar animais para fora do Brasil explicamos como descobrir o tamanho ideal para a caixa de transporte do seu bichinho, mas acho importante levar o animal com você nas lojas que vendem a caixa de transporte para ver o tamanho certinho e checar se ela é visivelmente segura.

5

Qual é a documentação necessária?

Em um primeiro momento eu cogitei contratar uma empresa para fazer toda a documentação porque parece super complicado, mas já estava tão envolvida no processo que achei mais seguro eu mesma ler todos os documentos que a União Europeia disponibiliza e fazer sozinha. E já viajei tanto com eles que, hoje, sou quase uma enciclopédia humana com informações sobre isso. Por isso criei esse guia chamado “Viajando com Animais”, para que você saiba tudo que eu aprendi até hoje

Só indicaria contratar alguém se você não tiver tempo nenhum para ir nos lugares pegar documentos, especialmente nos dez dias que antecedem a viagem. No fim, a parte mais complexa foi a pesquisa – e ela está prontinha neste guia pra você. Depois de ler exaustivamente sobre e pegar todas as informações do mundo, a documentação acabou sendo relativamente simples, e seria jogar dinheiro no lixo contratar alguém para fazer por mim (até porque eu jamais iria confiar 100% sem confirmar tudo antes).

Ninguém do Ministério da Agricultura sequer sugeriu a criação do Passaporte Brasileiro para Animais porque a União Européia ainda não reconhece esse documento – e nem a maioria dos países do mundo.

O CZI, Certificado Zoossanitário Internacional, é o documento que comprova que seu animal tem todas as condições sanitárias exigidas para o trânsito internacional até o país de destino. Todo o processo que explico aqui é com o objetivo de retirar esse certificado. Para o transporte aéreo, ele é emitido pela Vigiagro (ou pela UTRA, caso sua cidade não tenha VIGIAGRO), e é o CZI que vai permitir que seu animal embarque ainda no Brasil e mostrando que ele cumpre todas as exigências sanitárias do país que você vai. Ao chegar no destino, além do CZI, você também precisa ter todos os documentos que usou para emiti-lo. Alguns países pedem o CZI na língua oficial deles, como a Espanha, mas isso a VIGIAGRO vai resolver para você.

Se você começar do zero, como eu, o processo inteiro demora mais ou menos 5 meses. Separei os principais momentos nessa linha do tempo para você se organizar com antecedência:

Se você quiser ver outras linhas do tempo relacionadas a viajar com animais, nosso guia tem várias delas que detalham muito bem cada fase do processo. Clica aqui para conhecer!

Antes de qualquer coisa, seu cachorro precisa ter um microchip implantado embaixo da pele. Meus cachorros usam um da KORTH RFID, eu coloquei no veterinário comum e só tive que pedir com um pouco de antecedência. É bom que ele tenha padrão internacional, de acordo com as normas do ISO 11784/11785, ou você terá que trazer um leitor próprio quando chegar no país.

Microchip implantado, próximo passo.

Pelo fato de nós sermos um país que ainda não erradicou a raiva, é preciso fazer a vacinação anti-rábica. Para emitir o CZI, você vai precisar da Carteira de Vacinação do seu cachorro em dia (a anti-rábica precisa ser reaplicada anualmente, não esqueça), com o selinho dessa última vacina constando fabricante, lote e data de fabricação, data da vacina, validade, o carimbo e a assinatura do seu veterinário. É o básico de qualquer carteirinha de vacinação. A vacina precisa ser aplicada, obrigatoriamente, depois do microchip ser implantado. Ah, e pelo que eu li, eles não aceitam vacinação de campanhas públicas.

Trinta dias depois da vacinação contra raiva, tempo suficiente para seu cachorro conseguir produzir anticorpos, você precisa ir até o veterinário para coletar o sangue do animal e enviar para o laboratório credenciado pela União Europeia no Brasil solicitando o Laudo da Sorologia Anti-Rábica. Os anticorpos do seu cachorro precisam ser de, no mínimo, 0,5 UI/ml.

Você tem apenas uma opção de laboratório no Brasil:

  • Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo (São Paulo – SP – Santana)

A coleta de sangue e o envio para o laboratório foram feitos diretamente pelo meu veterinário de confiança, o resultado demorou entre três e quatro semanas para sair e eles entregaram direto na clínica. A parte boa dessa sorologia é que você nunca mais vai precisar fazer, é só manter a vacina anti raiva do seu bichinho em dia.

Nós criamos um guia super completo sobre viajar com animais contando absolutamente tudo que eu sei sobre esse processo. Se você quer virar especialista da viagem do seu bichinho, esse guia vai fazer toda a diferença!

Logo depois de receber o resultado da sorologia e ela estiver certinha, já faça o agendamento na Vigiagro para, no máximo, 10 dias antes do seu embarque. Passei por esse processo pela segunda vez e o telefone da VIGIAGRO do Aeroporto de Guarulhos, aparentemente, vive mudando. Em Julho de 2016 eu consegui falar com eles pelo (11) 2445-2800 – tente também pelo (11) 2445-3683 ou (11) 2445-5956. Quando o dia chegar, você precisará de um atestado de saúde veterinário emitido em até 72 horas antes do seu horário na Vigiagro. Por isso, já marque com o seu veterinário a consulta assim que souber a data do agendamento e dê destaque para esse ponto. Nós explicamos um pouco mais sobre o atestado veterinário em nosso guia, também dando exemplos reais dos nossos próprios documentos, mas é algo relativamente simples, que qualquer veterinário pode fazer com as informações certas. Só certifique que no documento tem a assinatura e o carimbo do veterinário e fique atento para não passar das 72 horas e invalidar o documento. Vi duas pessoas indo embora para pedir outro atestado para o veterinário que tivesse as informações dele enquanto estive na VIGIAGRO em Fevereiro de 2015.

Uma coisa importantíssima – que eu vacilei na primeira vez, e acabei tendo que mudar nossas passagens – é que você só pode ir até a Vigiagro emitir o CZI 90 dias depois da coleta de sangue para fazer a sorologia. Não é 90 dias após o resultado do exame, ok? São 90 dias contados à partir do dia que o veterinário coletou o sangue do seu bichinho para mandar para o laboratório. E não tem exceção. Mais de uma pessoa da Vigiagro me passou a informação errada por telefone, fui lá com 88 dias tentar tirar o CZI e me mandaram voltar 2 dias depois, um dia antes do meu embarque. Então faça a conta direitinho antes de agendar a data para não perder a viagem. Logo na entrada da sala da Vigiagro, no Aeroporto de Guarulhos, eles tem um papel bem grande deixando bem claro que não atendem sem agendamento, e pelo que eu li eles são extremamente rígidos, então não adianta nem tentar. No nosso guia eu falo MUITO sobre a emissão do CZI, porque sei que essa é uma parte bem delicada. É só clicar aqui para ler.

Nas vezes que eu fui até lá tinham pessoas pedindo pelo amor de deus para liberarem um animal sem alguma parte de algum documento, e em nenhuma delas deu certo. Li muito sobre como sempre tem alguém chorando naquela salinha, e eles nunca, nunca liberam. Então não tem o que sofrer ali. É melhor garantir a documentação, ler a regulamentação de ponta a ponta e decorar tudo que é do seu direito e dever caso eles encanem com algum documento. Foi o que eu fiz e deu tudo certo.

O que levar para ir a Vigiagro: 

No dia agendado, seu animal não precisa ir junto, mas não esqueça de todos os documentos:

  • Comprovante de aplicação do microchip com o código (se tiver, leve os adesivos com o código, só pra garantir)
  • Carteira de Vacinação com o comprovante da vacina anti-rábica em dia
  • Laudo da Sorologia Anti-Rábica com anticorpos acima de 0,5 UI/ml
  • Duas cópias de todos os documentos acima – certificado do microchip, carteira de vacinação e sorologia
  • Certificado de Saúde emitido pelo veterinário
  • Requerimento para Fiscalização de Animais de Companhia preenchido (baixe aqui)
  • Comprovante de embarque (Passagem, Comprovante de Compra etc)
  • Endereço que você vai ficar hospedado quando chegar no país
  • Qualquer informação extra que possa te ajudar a entender os requisitos para a emissão do CZI

Quando eles te entregarem os documentos do CZI, confira todos os dados quantas vezes precisar. Qualquer errinho de digitação aqui pode comprometer a entrada do seu cachorro na União Europeia. Assim que tudo estiver conferido, o documento demora até dois dias para sair – costumava sair em algumas horas, mas eles mudaram isso recentemente.

Nós temos um checklist extremamente completo para você imprimir no nosso guia sobre viajar com animais para fora do Brasil, que você pode dar uma olhada aqui.

Eu recomendo que você faça a microchipagem, vacinação e sorologia com alguma antecedência, porque às vezes o exame de sangue mostra que o animal tem menos anticorpos que o necessário para embarcar e ele terá que tomar outra vacina anti-rábica, aguardar mais um mês e só então fazer outra sorologia. E, é claro, recomeçar do zero a contagem dos 90 dias à partir da coleta de sangue para poder emitir o CZI, aquele documento mágico que vai permitir o embarque do seu bichinho. Outra coisa: a sorologia é um documento que dura por toda a vida do animal contanto que você não perca nunca a vacinação de raiva dele, que é anual no Brasil.

6

O que mais eu preciso saber?

No dia do voo, você não pode fazer check-in pela internet ou telefone, então tente chegar com, no mínimo, três horas de antecedência no aeroporto e já fazer resolver isso. Para quem vai despachar o animal, você pode ficar com ele até mais ou menos uma hora antes do embarque. Depois o cachorro precisa embarcar para que eles amarrem a casinha dentro da aeronave.

Um cuidado que eu tive para me deixar mais tranquila foi ir até o veterinário na manhã do embarque para colocar soro subcutâneo com vitaminas nos meus cachorros, que foi absorvendo lentamente ao longo da viagem. Assim eles não correram risco de desidratar e a imunidade se manteve alta. É pouco provável que haja desidratação, mas eu li em alguns lugares que eles podem ficar muito nervosos e acontecer, e eu não queria colocar um pote de água na casinha para não acabar molhando o chão e eles passarem frio. Não é obrigatório para embarcar no Brasil, mas eu achei mais seguro assim. Depois disso, já viajei várias vezes sem colocar soro nenhum, só com o potinho de água e comida vazios (obrigatórios em qualquer voo partindo da Europa) para que a companhia aérea colocasse e também deu tudo certo.

Eu também peguei com o veterinário um calmante para dar 10 minutos antes deles embarcarem, que deixou os dois bem calmos. Era um calmante bem, nada que fosse deixar eles desmaiados. Os animais precisam se manter alertas para, caso ocorra alguma turbulência, eles não se machucarem. Mas cuidado! Várias companhias aéreas não autorizam que o animal tome nenhum calmante antes do embarque e para voos partindo da Europa, por exemplo, é proibido. Só dei um calmante para eles na primeira viagem, e desde então eles já pegaram mais de 10 voos e não tomaram mais nada porque não vi necessidade.

No nosso guia, damos várias outras sugestões para aumentar a segurança do seu bichinho durante o voo e formas de você acostuma-lo a caixa de transporte. Clique aqui para ver!

Uma coisa importantíssima é que se não fosse uma instrução do veterinário que eu confio, eu não daria nenhum remédio sem orientação, ainda mais porque a altitude pode fazer eles responderem de forma diferente a medicação. Então não invente de dar um remédio qualquer para o cachorro achando que tudo bem se seu veterinário não indicar isso, ok?

Forrei a caixa de transporte deles com um tapete higiênico e com os cobertores que eles estão acostumados a dormir para eles ficarem bem confortáveis. Apesar do voo de mais de 11 horas, eles não fizeram xixi nenhuma vez. Os dois foram com a plaquinha de identificação com meu número de celular brasileiro e colei um papel na coleira com outro número de telefone que também funcionaria da Alemanha, só por segurança. Quando entrei na aeronave, perguntei para duas aeromoças diferentes se o piloto sabia que tinham dois cachorros no voo, elas conversaram com ele e me confirmaram que estava tudo ok. O piloto é quem ativa o aquecimento no compartimento de transporte dos animais, então não custa nada relembrar que seu bichinho está ali. Detalhe importante: esse é a única forma que você tem como quase garantir que seu bichinho está na mesma aeronave que você, então eu considero essa pergunta para as aeromoças MUITO importante. Se a pessoa que você perguntar não for procurar a resposta, fale com quem mais for necessário para ter essa confirmação do piloto.

Nós temos um checklist super completo para você ir acompanhando todas as fases do processo dentro do nosso guia sobre viajar com animais. No dia, faça uma pasta e leve na mala de mão o CZI e todos os documentos que você usou para emitir-lo, para apresentar no país de destino. Eu levei tudo em Português/Inglês, mesmo vindo para a Alemanha, e deu tudo certo. Por segurança, também levei o mesmo formulário em Alemão/Inglês, caso a mulher não entendesse alguma coisa, mas nem tirei da pasta. O processo é longo e burocrático, mas ver a cara desses dois monstrinhos passeando aqui em Berlim não tem preço! Faz valer todas as minhas noites mal dormidas, a gastrite, os pesadelos, a ansiedade, o medo no avião e as duzentas vezes que eu fiquei choramingando só de imaginar que algo pudesse dar errado.

Assim que chegamos em Frankfurt, pegamos um carro para ir até Berlim porque eu não queria fazer conexão com os dois despachados de jeito nenhum, por medo deles se perderem. Depois de ler mil notícias sobre isso no Brasil, eu tava morrendo de medo disso acontecer. Dormimos em um hotel de beira de estrada e a Lisa e o Luca se comportaram super bem, adoraram os dois dias de Jack Kerouac on the road. Mas já fizemos conexão algumas vezes e deu tudo certo também! Chegando aqui em Berlim, não tem muita adaptação para cachorros, né? Foi só um reconhecimento de território bem básico. Eles só querem saber se você está por perto, onde tem água, comida e então tá tudo bem. Agora já estão super acostumados a passear na praça, latir para os cachorros berlinenses e tentar comer qualquer coisa que eles encontram no chão dos restaurantes. Enfim, maravilhosos. Eles são oficialmente os dois vira-latas mais sortudos do mundo. Se a Lisa pudesse falar, ela diria “Do metrô Santana para o mundooooo!”.

Eu li muitos (sério, muitos mesmo) links sobre como levar animais para a União Europeia e já ajudei mais de cem animais a chegarem ao seu destino – é só olhar aqui nos comentários. Com tudo que aprendi, criei um guia para ensinar tudo que sei pra você, que também está passando por esse processo pela primeira vez. Nele nós damos exemplos reais dos nossos documentos, formas que fazemos para manter os cães ainda mais seguros, formas de ajudar na adaptação do animal, como visitar o Brasil com seu animal e tudo, tudo, tudo que eu sei sobre esse processo de viajar com animais.

Esses são alguns outros links interessantes sobre o tema:

Como viajar com animais – Nosso ebook com TUDO que aprendi pegando mais de 10 voos com meus cachorros

Jornal Oficial da União Europeia – Regulamento do parlamento europeu relativo às condições de polícia sanitária aplicáveis a circulação de animais de companhia (Acho que esse é o documento mais importante de todos. Eu grifei tudo que eles exigem diretamente no regulamento e segui isso à risca. É um documento ótimo para entender todo o processo. Para quem vai para a Finlândia, Irlanda, Malta, Suécia e Reino Unido, aqui também tem as diferenças desse processo para seguir)

Ministério da AgriculturaOnde obter o CZI?

Minustério da Agricultura: Perguntas e Respostas (muito útil!)

Ministério da Agricultura: Transporte internacional para a UE

Embaixada da Alemanha no Brasil – Viajar com animais domésticos (aqui eles mostram as normas do Regulamento Europeu, que vale para toda a União Europeia)

Lista de laboratórios credenciados pela União Europeia

Portal Consular do Governo – Como trazer animais da Alemanha para o Brasil (vai que tem que voltar, né?)

European Commission – Passaporte europeu para animais (para emitir quando chegar na União Europeia)

BMEL – Regras para viajar com animais entre países da União Européia

Como estamos fora do Brasil há algum tempo, não temos como dar uma sugestão de veterinário. Mas no nosso guia de viajar com animais nós também oferecemos um documento bem completo para você imprimir e levar para o seu veterinário, podendo fazer esse processo de forma correta ao lado de alguém que você já confia. Clique aqui para conhecer nosso guia!

Acho que esclareci a maioria das dúvidas aqui! Qualquer outra questão, só perguntar nos comentários. :)

Boa viagem!

Comentários