Hotel Unique e sua vista panorâmica

Existem lugares em São Paulo que só acabamos conhecendo quando algum parente ou amigo de outra cidade ou país vem nos visitar e vamos servir de guia. Acontece com boa parte dos nossos pontos turísticos e bairros que são deliciosos, mas acabamos quase nunca frequentando. Sempre fica aquela sensação de “Ah, tá ali o tempo todo, né? Qualquer hora eu vou!”. Atire a primeira pedra o carioca que foi visitar o Cristo Redentor sem precisar levar nenhum gringo, só porque olhou pra ele e quis passear. Ou o paulistano que acordou com uma súbita vontade de passear no Museu do Ipiranga (e não vale no passeio da escola!).

Foi justamente pensando nisso que surgiu a ideia do #SPporPaulistanos.

Nós queremos conhecer o mundo todo, mas ainda não conhecemos vários pontos da nossa própria cidade que ficam há menos de uma hora de nossa casa e dá pra dar um pulinho a qualquer hora livre. A nossa proposta é misturar o que é clássico com o que é tradicional, fazendo um mix de pontos turísticos e os pequenos lugares famosos só para quem vive naquele bairro todos os dias.

Saindo do Parque do Ibirapuera, fomos a pé para um dos hotéis mais famosos de São Paulo. É impossível se confundir e não encontrar o Hotel Unique, até porque ele tem um formato que lembra um navio, com janelinhas redondas e tudo. Super novo, o hotel tem só 10 anos e é bem famoso por causa de sua forma exótica – projetada pelo Ruy Ohtake, para quem manja de arquitetura.

Nosso objetivo era subir para o topo do hotel, onde fica o Skye, bar e restaurante – e point de gringos cheios de reai$ para gastar no Brasil – com uma vista panorâmica incrível da cidade. Ele nem é tão alto, mas como o bairro tem limite de tamanho das construções, dá para ver São Paulo inteirinha. Como chegamos cedo, acabamos começando a noite no bar do hotel, que fica no lobby e já tem uma decoração maravilhosa.

Tanto no bar do térreo como no Skye, os drinks custam mais ou menos R$ 30,00. Pedimos dois martinis, o Rose Angel (com pisco, licor de tangerina, suco de limão siciliano, açúcar e pimentão vermelho) e o Wassabi Kin Skye (vodka, pasta de raiz forte e suco de limão), muito bons e bem diferentes. Deu vontade de tentar fazer em casa algum dia!

Como estávamos mais interessados na vista do que em degustar o menu – como muita gente que vai até ali – a sugestão é ficar com um ou dois martinis te acompanhando a noite toda e não gastar muito. Eles servem bastante comida japonesa, mas no fim do cardápio encontramos algumas pizzas e nós dois jantamos por R$50,00, bem abaixo do que imaginamos ali.

Ir no Skye vale muito a pena por causa da vista que não se vê em nenhum outro lugar da cidade. Não precisa nem consumir nada, já que a entrada é de graça, mas só indo até lá para entender. Nenhuma foto consegue mostrar a vista como ela merece!

Essa mudança brusca de Ibirapuera para o Hotel Unique foi só o primeiro contraste que vivemos enquanto turistamos por São Paulo. Saímos do parque com o jeans ainda meio sujo de terra de sentar na grama (e de eu tomar um tombo ridículo) e fomos a pé para um dos hotéis mais chiques de São Paulo. E um fica quase do lado do outro.

Uma coisa engraçada e que define muito a grande diferença é que para lavar as mãos, o banheiro do Ibirapuera tinha uma garrafinha de Gatorade cheia de detergente, e no Unique tinha sabonete líquido da L’Occitane com toalhinhas macias para secar. A cidade sempre incentiva esse “hi-low”, mudança de estilos e até classes sociais várias vezes ao dia quando se passeia por aqui. Você só não pode se deixar intimidar.

Quando saímos do bar, atravessamos a rua e pegamos um ônibus para ir ao Veloso terminar a noite tomando chopp e comendo coxinhas. :)

Mais Informações

Bar Skye – Hotel Unique

Horário: Entramos às 18h, mas no site diz 19h.
O bar do lobby fica aberto a tarde toda, é só chegar e entrar.
Preço: Não paga para entrar. Sem consumação mínima, mas, se consumir, sai caro.
Tempo entre o Parque do Ibirapuera e o Hotel Unique: 10 minutos a pé

Hi

Os martinis são incríveis e muito diferentes. Também tem vários gringos para qualquer paulistano treinar um pouco seu inglês. Para comer, vale a pena pedir uma das pizzas, que tem preço razoável.

Low

Cuidado para não perder a noção e gastar demais. Tudo é de ótima qualidade, mas não preci$a ficar lá bebendo bastante a noite toda se estiver viajando. Guarde esse dinheiro para lugares com melhor custo-benefício.

Comentários