10 coisas para pensar antes de uma viagem a dois

Mesmo solteiros, eu e o Fê sempre gostamos de viajar. Foi quase por causa das viagens que começamos a namorar. Desde o começo, há quase 4 anos, viajamos consideravelmente: Argentina, 3 meses pelos Estados Unidos, uns 20 lugares da Alemanha, Austria, Eslováquia, República Tcheca e, agora, Espanha. E nossos planos são de viajar cada vez mais. Mas não é sempre tão simples. Pessoas e hábitos mudam, e a nossa realidade e forma de ver a vida também. E viver em um namoro longo é um exercício eterno de adaptação e crescimento, de preferência juntos.

É por isso que estamos sempre inventando formas de equilibrar isso com as nossas mudanças. De casa, de estilo e de vida em cada lugar.  Acho até que já viramos experts nisso. Muito do que aprendemos tem a ver com morar juntos, e por sermos nômades poderíamos juntar os dois mundos em uma só: a sensação de estar sempre viajando e sempre em casa ao mesmo tempo. E essa dupla ainda pode dar dobro de preocupações na hora de fazer uma viagem a dois.

Nesse mais de um ano viajando juntos sem parar, nós tivemos algumas brigas. É claro. E aprendemos muito com cada discussão para que as próximas viagens fossem mais bacanas e tranquilas para os dois.

Na nossa primeira viagem pela Argentina, por exemplo, nosso namoro era muito recente e nós tivemos várias discussões. Várias mesmo. Alguns meses depois, não satisfeitos com a primeira experiência, fomos para os Estados Unidos. E lá fomos praticamente obrigados a resolver nossos conflitos porque a viagem duraria 3 meses. Foi assim que descobrimos que todas essas coisas aqui embaixo podem até parecer pequenas, mas fazem muita diferença.

10 coisas para se pensar antes de uma viagem a dois

Objetivos da viagem

Tem gente que mesmo durante uma viagem gosta de correr todas as manhãs às 7h, antes do dia começar pra valer. Outras preferem sair todas as noites até de madrugada e acordar tarde, com a certeza de que estão aproveitando a viagem ao máximo. São só pessoas com objetivos diferentes.

Cada pessoa viaja de uma forma e tem expectativas diferentes para cada viagem. Então é importante conversar com a pessoa que vai viajar com você logo no começo para saber o que ela espera com essa viagem. Você está pensando em uma viagem romântica, para jantar em restaurantes caros e curtir a noite na suíte do hotel? Ela queria um estilo mais mochileiro, dormindo em quartos compartilhados e almoçando comida de rua? É para fazer amigos? Treinar o inglês? Descansar na praia? Turistar loucamente entre todos os pontos turísticos? Fugir das preocupações para passar horas transando no hotel? Vocês precisam entrar num acordo, porque a viagem é dos dois. Juntos.

Estilo de viagem

Isso está muito ligado aos objetivos aqui de cima, mas são coisas diferentes. Antes de reservar qualquer coisa, é bom conversarem sobre a forma que vocês gostam de lidar com viagens. Se ele gosta de andar sem rumo pelas ruas enquanto você adora um daqueles ônibus Hop-On, Hop-Off de turismo. Se você prefere dormir em hostel e o outro não pisa lá dentro desde pivete. Se a pessoa prefere um dia totalmente programado com hora pra acordar, almoçar, jantar e ir dormir enquanto você quer ir conhecendo a cidade de acordo com o feeling daquele dia. Qual é o estilo que cada um de vocês viaja? À partir disso, dá pra começar a criar uma forma que misture as duas preferências e vocês criem uma em conjunto. Pela nossa experiência, isso aqui é o mais complicado, mas com paciência os dois estilos vão se encaixando.

Não se importar com as manias do outro

Para muitos casais, a viagem é o primeiro contato que vocês terão com as manias um do outro. Aquelas manias mais básicas, que você nunca descobre até passar alguns dias com a pessoa vivendo no mesmo teto. A mania de jogar a toalha na cama, de bagunçar o armário todo para achar uma blusa, de deixar a escova de dentes molhada largada em cima da pia ou de ser o louco da limpeza que quer varrer até o chão do hotel antes da camareira.
Manias que, sim, vão te surpreender. E vice versa. Então, para o bem do relacionamento, pegue leve. Não é em uma semana que o hábito do outro vai mudar, e ficar brigando por isso durante a viagem não vai resolver nada. Dar um toque ou outro é sempre bom, mas encanar com a mania alheia já de cara assim é prelúdio pra uma briga maior em alguns dias.

Quanto você pretende gastar?

O quanto você quer gastar na viagem está intimamente ligado aos objetivos dela e sua forma de viajar.  Se o relacionamento ainda é recente e vocês não costumam falar de dinheiro, é hora de pelo menos dar um aviso sobre o quanto você pretende gastar e comparar o valor com sua dupla. Além de já pensar na forma que vão dividir os gastos. Vocês vão dividir 50-50 exatamente? Cada um paga uma coisa durante o dia? O hotel é seu e o aluguel do carro fica com ela? Assim dá pra vocês decidirem lugares que não vão deixar nenhum dos dois quebrados ou sem graça de dizer que não vai rolar, achando que vai estragar a viagem alheia. Se você quer comer em restaurantes locais e gastar 10 dólares por dia, mas a pessoa quer comer só nos restaurantes estrelados e gastar 40 dólares/dia, é bom vocês tentarem fazer um balanço nas expectativas dos dois e ver o que cada um pode deixar pra lá. Aí vocês decidem se é melhor igualar o budget, um cobrir quando o gasto for um pouco acima do que o outro pode pagar ou tentar fazer um balanço entre os dois mundos – o que me parece a melhor solução.

Você vai aguentar passar 24 horas ao lado dessa pessoa?

Se você nunca passou mais de 24 horas ao lado da sua dupla, tente fazer esse teste antes da viagem só para sentir como será a experiência. Muitas vezes nos surpreendemos positivamente com a convivência, mas tem momentos que as coisas ainda não estão totalmente redondinhas entre vocês e talvez seja melhor esperar mais algumas semanas para pensarem na viagem.

Vocês vão a todos os lugares juntos ou não se importam de se separar?

Existem casais que gostam de fazer absolutamente tudo ao lado do outro: de tomar o café da manhã lendo emails a pedir uma toalha extra para a recepcionista. Já outros, sabendo das suas diferenças, acabam fazendo algumas coisas separados mesmo durante a viagem.

Um não quer ir no museu. O outro gosta de ler seu jornal em paz enquanto toma café da manhã. Ela prefere correr sozinha na praia. Ele quer conhecer um brechó. Qualquer detalhe de personalidade que não combina com suas preferências, mas que é importante para o outro. Se esse é o caso de vocês, é sempre legal deixar isso claro mesmo na hora da viagem, para manter o outro avisado que durante aquele momento do dia ele pode fazer qualquer outra coisa sozinho, se quiser. E vice versa. Assim os dois podem curtir o que mais gostam da viagem, seja só a companhia um do outro ou também as coisas que a cidade pode te oferecer.

O relacionamento está bom pra essa injeção de convivência?

Viajar não é lugar para resolver problemas. A não ser que vc esteja disposto a deixar eles morrerem antes de embarcar. Aquelas viagens de reconciliação dificilmente funcionam e só pioram tudo quando você acaba convivendo com a pessoa 24 horas por dia. Se o relacionamento não está na melhor fase, é melhor deixar essa poeira baixar e aí pensar em uma viagem em uma situação mais tranquila.

Hábitos diferentes

Se você tem alguma restrição alimentar que o outro não sabe lidar muito bem; se ele prefere fazer exercícios físicos antes do café da manhã; se ela só dorme depois de um vinho; se o outro tem costume de passar 2 horas no banho. São coisas pequenas que acabamos conversando pouco quando não moramos juntos, mas que mudam a ideia da viagem por algum motivo. É difícil falar sobre elas até o momento que elas acontecem, porque é uma coisa normal para quem faz. De qualquer forma, não custa perguntar e pensar nos seus próprios hábitos únicos. Só para um não acabar estragando as expectativas do outro sem querer.

Dialogo é a chave do sucesso

Se mesmo com as dicas aqui de cima, ainda rolar algum atrito ou briguinha durante a viagem, não adianta nada estragar o passeio ficando emburrado. Como também dissemos no nosso post com dicas para morar juntos, chamar a pessoa para sentar e conversar como adultos é o básico do básico do básico para um bom relacionamento. O que está te incomodando? O que incomodou quem tá com você? O que tá fazendo esse stress todo rolar? É melhor se acalmar, chamar pra conversar e dizer de uma vez. Provavelmente sua dupla também quer resolver isso tudo tão rápido quanto você para voltarem a curtir a viagem.

Seja flexível e bem humorado

Como toda viagem, várias coisas não vão sair como o planejado. Lugares vão estar em reforma. Vocês vão perder alguma hora de entrada. Vão acabar jantando algum salgadinho vagabundo porque não acharam nenhum restaurante aberto. E às vezes a culpa vai ser sua, às vezes não. Aí vão ter que mudar de planos, adaptar e improvisar. E tudo bem, porque você está ali curtindo uma viagem ao lado da pessoa que você gosta, sendo você mesmo, explorando um lugar novo e não tem motivo nenhum pra ficar bravo com algo que deu errado. Coisas dão errado o tempo todo. Só não dá pra estragar uma viagem que tem tudo pra ser legal por causa disso.

Tags from the story
, , , ,

Comentários