Mini Guia de Malasaña,
nosso bairro favorito em Madrid

Depois de quase seis meses morando pela Espanha, nossa temporada no país estava pertinho de chegar ao fim. Em menos de um mês nos mudaríamos para Lisboa. E, mesmo depois de tanto tempo morando e conhecendo o país europeu mais amado de todos os gringos, a gente ainda não conhecia sua capital: Madrid!

Reservamos uma viagem meio de última hora de Córdoba para lá e ficamos só quatro dias, uma pitadinha madrileña para nos fazer morrer de vontade de aumentar nossa estadia na Espanha e passar uns meses conhecendo essa cidade maravilhosa. As sugestões do que fazer, o que conhecer e onde nos hospedarmos vieram de muitos dos nossos amigos que já passaram por lá, por pura falta de tempo para nos planejarmos com antecedência. E ainda bem, viu? Foi por causa disso que decidimos nos hospedar em Malasaña, um dos bairros que todas as pessoas que conhecem nosso ~estilo~ indicavam.

A única coisa chata dessa viagem e que acabou comprometendo um pouco nossos planos é que Agosto é um mês de férias para os espanhóis, então muitas coisas estavam fechadas. Para completar, um desses dias ainda era feriado, e só descobrimos quando chegamos lá. Ainda bem que, mesmo assim, tinha muita coisa aberta, mas estamos morrendo de vontade de voltar a Madrid para conhecer melhor a cidade em uma temporada mais viva – e olha que a cidade estava longe de ficar tranquila, viu?

 

O clima do bairro

Malasaña é um dos bairros mais alternativos de Madrid, cheio de graffitis, cafés, restaurantes, lojas, padarias, tudo bem moderninho. Como era de se esperar, é em Malasaña e em seu bairro vizinho, Chueca, que encontramos a maior quantidade de lugares legais por metro quadrado na capital espanhola.

Leia mais: A melhor forma de transferir dinheiro para a Espanha!

Lá você vai encontrar muita gente bonita e estilosa, estúdios de tatuagem, pessoas pra lá e pra cá querendo descobrir coisas diferentes, relativamente poucos turistas e, durante a noite, muitos lugares legais para jantar e vários bares, o que faz as ruas ficarem ocupadas de gente.

Uma coisa que nós gostamos muito de lá – e de Madrid num geral – é que tinham vários lugares com mesas para fora, maravilhoso para aproveitar o começo da noite, quando o tempo já não está mais tão quente (Agosto não é fácil!).

 

Hotel: Hostel Malasaña

Encontramos esse hostel por acaso, procurando onde ficar pelo bairro, e eles estavam fazendo uma promoção de 80% de desconto no Booking. Reservei sem nem pensar muito e, no dia anterior a viagem, fazendo uma pesquisa rápida de alguns lugares que queria conhecer, descobri que o hotel ficava justamente em uma das ruas mais legais do bairro, cheia de restaurantes, bares, cafés e lojinhas locais, a Calle Espiritu Santo.

Nem tem muito porque eles chamarem esse lugar de hostel, na verdade. Não tem área de convivência e os quartos são idênticos aos de hotéis, tudo privativo. Só que somando a estadia de nós dois em qualquer hostel na região, em quartos compartilhados, nós gastaríamos mais do que pagamos ali. Então valeu muito a pena e foi ótimo!

O hotel fica em um prédio residencial – e não é tão simples de encontrar sua entrada, já que ele não tem sinalização, só o nome na campainha. Nosso quarto tinha uma sacadinha micro para a rua e conseguíamos ver o movimento todo abrindo as cortinas, mas as janelas eram anti ruído e não tivemos nenhum problema com barulho. O hotel é ótimo para quem vai passar o dia todo explorando a cidade, porque não tem serviço de quarto, a recepção é só para fazer checkin e não servem café da manhã. Para nós, que queríamos ficar perto dos lugares mais legais pra sair a noite sem ficar longe do centro, foi perfeito!

 

Explorando Malasaña

Malasaña é um bairro para você se perder andando, conhecer as ruazinhas, entrar nas lojas de designers locais, fuçar em todos os menus de restaurantes e curtir bastante esse clima super animado e jovem. E foi exatamente o que a gente fez. Com a ajuda do Foursquare, nosso fiel companheiro para achar lugares legais, conhecemos algumas coisas nesses dias, não só em Malasaña, mas nos seus arredores também, que valem a pena compartilhar com vocês. Por isso o mini guia!

Madrid é daquelas cidades que você tem só quatro dias e quer conhecer quarenta e nove mil lugares, então infelizmente não conseguimos aproveitar TUDO que o bairro tem de bom. Mas deu pra curtir muito! Se você tiver alguns dias por lá, recomendo fortemente que separe ao menos um dia (e umas duas noites!) para conhecer Malasaña e aproveitar alguns lugares.

Pra te dar um norte nesse passeio sem fim que é Malasaña, nossas ruas favoritas foram justamente a Calle Espiritu Santo e a Fuencarral.

 

Plaza del Dos de Mayo, o centro de tudo

Essa é a praça mais importante do bairro e um dos lugares onde todo mundo se reúne para comprar cerveja dos chineses que ficam vendendo na rua, bebendo e conversando. De lá, você consegue chegar em uma porrada de lugares legais, é só sair andando pelas ruas dos arredores.
Quando fomos para essa praça, durante a noite, tinha um grupo de pessoas dançando tango (!!) com um mini rádio. Gente de todas as idades, misturando senhoras bem velhinhas com adolescentes. Muito, muito legal. Pelo jeito, ali acontecem várias dessas coisas, então vale dar um pulo lá quando passar pelo bairro.

 

Hamburgueria Goiko Grill

Vocês devem saber que nós adoramos comer hambúrguer, né? Sempre damos dicas sobre eles aqui!
Além do Goiko ter um monte de avaliações incríveis no Foursquare, eles ainda tinham vários hambúrgueres vegetarianos, coisa que a Debbie não via desde Barcelona. Além da unidade que fomos, eles ainda tem outros 5 restaurantes espalhados pela cidade, então dá pra comer um desses hamburgueres maravilhosos em qualquer lugar! <3

 

Sorveteria Lolo Polos Artesanais

Quase encostado no nosso hotel, entramos na Lolo atraídos pela vitrine cheia de sorvetes de palito em tons pastéis, combinando com a decoração, super lindinhos. Sim, a gente é desses que é atraído por comida só porque elas são bonitas! hahahah
Eles tem sabores super diferentes (nós comemos de melancia com pepino e chá verde com pêssego, os dois mó bons!) e, em um dia de calor, você vê todo mundo passeando pelo bairro com um picolé deles na mão. Juro!

 

Pizza argentina no El Cambalache

Paramos no El Cambalache para um lanche rápido, já que todos os restaurantes que queríamos ir estavam cheios de gente e precisávamos comer alguma coisa. As dicas que lemos diziam que ali tinha uma das melhores pizzas argentinas (?!) de Madrid, super recheadas e incríveis. Aí fomos conferir, né? E, realmente, as pizzas praticamente não são pizzas, são tortas! Muitas delas são feitas em camadas, tipo: massa, recheio enorme, massa, um pouco mais de recheio para gratinar.
Tem noção?
Comida total de gordinho, para comer antes de começar a beber nos bares ali por perto.

 

Pra quem quer tradição: Bodega La Ardosa

Se você quer experimentar salmorejo, tortilla de patatas, croquetas e muitas comidas espanholas típicas, aqui é O lugar. Um bar super antigo, bem tradicional mas cheio de gente jovem, que enche quase todos os dias. Se a frente do bar estiver lotada, passe por debaixo do balcão e vá para os fundos ver se tem um espacinho pra você. ;)
Uma coisa engraçada: apesar de só ter comidas tradicionais ali, as cervejas são importadas. Vai entender.

Bar de drinks Vacaciones

Esse é mais um lugar que ficava na rua do nosso hostel. Fomos até lá beber os últimos drinks da nossa primeira noite, super cansados, e acabamos gostando tanto do clima tranquilo do lugar que ficamos até o bar fechar. Ali é super bem decorado e o mojito é bem gostoso, mas o mais legal é que o bar é mais aberto, com janelas dos lados que dão para a rua e portas bem grandes, e isso é incrível pra people watching, um dos nossos hobbies favoritos. Hahaha

 

Lojinha e Restaurante Greek and Shop

Essa loja de produtos gregos e restaurante é uma lindeza só. A localização, bem perto dos bares da região (e no fim da nossa rua!), é super gostosa e durante o dia tem várias lojas diferentes por perto. Eles têm um menu do dia com o valor super em conta, que também funciona na parte da noite, então vale muito a pena para jantar antes de sair para um bar por ali.
Sim, na Espanha SEMPRE tem comida nos bares, nem que sejam só petiscos, mas a gente já tava bem de saco cheio dos pratos típicos espanhóis por causa de Córdoba e preferimos fugir disso ao máximo em Madrid.

 

Bar Gorila

O Gorila é um bar super moderninho que fica numa descida do bairro – o endereço certinho de tudo está no Foursquare, é só clicar aqui em cima, no nome do bar. Quando entramos, o pedido que deveríamos fazer era óbvio: absolutamente todo mundo tava bebendo gin tônica. Como a Dé não gosta, só o Fê foi na Gin Tônica e não se arrependeu. O bar toca rock, é daqueles escurinhos e tem jogos de Super Nintendo passando nas TVs. Pra quem curte esse tipo de bar, assim como nós, é um lugar BEM legal para passar a noite.

 

Bar e Café Manuela

Esse bar também é bem típico, mas só acabamos indo parar nele porque é um dos poucos bares da região que ficam abertos até as 3h da manhã (todos os bares costumam fechar, no máximo, 2h). Como não somos muito das baladas, acabamos desamparados no meio da madrugada enquanto queríamos continuar a noite, e esse bar enorme, com vários jogos de tabuleiro (!), nos acolheu por mais uma hora. Aí achamos que ele merecia uma menção honrosa aqui também.

 

Cervejaria artesanal Fábrica Maravillas

É claro que nós também procuramos cervejas diferentes para beber em Madrid, né? Mesmo que essas aqui fossem um pouco caras para o padrão que estamos acostumados, o lugar é lindo e as cervejas deles são ótimas! Eles fazem tudo lá mesmo, o que é ainda mais legal.

Esses foram alguns dos lugares que mais gostamos nesses quatro dias que ficamos hospedados em Malasaña. Tem um monte de outros bares e restaurantes que queríamos ter ido, mas estávamos sem tempo (ou eles estavam fechados por ser Agosto). No fim, gostamos tanto de Malasaña que o bairro já entrou para lista de lugares que queremos morar um dia. Quem sabe, né?

Tags from the story
, , , ,

Comentários