5 hábitos para mudar antes de morar junto

Muita gente diz que o excesso de convivência é o veneno dos relacionamentos. Ficar perto demais faz com que você tenha que se acostumar com costumes diferentes dos seus, dividir o tempo livre, se dedicar e mudar alguns hábitos.

Nosso primeiro grande momento de convivência 24 horas por dia (além de uma viagem super curta para a Argentina) foi quando viajamos para os EUA, com pouco mais de 6 meses de namoro. Apesar do nosso medo inicial de destruirmos o relacionamento injetando 90 dias seguidos da companhia um do outro, nós quase não brigamos. Claro que em alguns momentos aconteceu, mas tudo que estávamos vivendo era tão incrível que nos resolvíamos super rápido. E levamos isso pra vida toda.

Quando começamos a morar juntos em São Paulo, a coisa começou a mudar de figura. Foi meio improvisado, então as responsabilidades ainda eram bem poucas. As manias de um e do outro começaram a apitar – e, às vezes, incomodar – ali, mas nada grave. Aqui em Berlim nem se fala, já que até a forma como lavamos as frutas eram diferentes na casa de cada um. Mas até que a gente vem se saindo bem! ;)

De toda essa nossa jornada, tivemos que aprender a lidar juntos com várias situações. Separei alguns hábitos que nós tivemos que mudar para viver juntos (e dar certo, né? Ponto importante).

 

1 Brigar várias vezes pelo mesmo assunto

Esse aqui acho que é o principal deles, e de quebra uma das grandes fórmulas de sucesso para um relacionamento. Não adianta você brigar três, cinco, dez vezes com a pessoa pelo mesmo motivo. Já brigou uma vez, acabou. Se o motivo persistir é só dar um toque amigável de “Poxa, de novo isso?” lembrando que manias não são de hoje e não mudam da noite para o dia. Se o problema persistir por muito tempo, recomece do zero.

Isso também serve para brigas maiores, em que o assunto fica remoendo na sua cabeça o resto do dia. Se é para brigar, que brigue de uma vez, mas não levante do sofá enquanto tudo não estiver resolvido.

 

2 Esconder o que está sentindo

Esse não é nenhum mistério, mas é um ponto que resolve 80% das discussões aqui em casa. Se alguém ficou bravo com alguma atitude, magoado com alguma resposta atravessada, se está preocupado com dinheiro, se não está se sentindo amado… chama para conversar. E isso se aplica também aos problemas de fora de casa. Não dá pra guardar os problemas só pra você e descontar a irritação em quem mora contigo. O negócio aqui é a honestidade, e isso se resolve, mais uma vez, na base da conversa.

Se o dia foi uma merda entre vocês dois, pega uma cerveja, senta no sofá, respira fundo e vai. Fala tudo que você está sentindo sem medo de ser infeliz. Para morar juntos, não dá pra ficar irritado e falar que “tá tudo bem” com cara feia. Isso só vai acumular dentro de você. A sinceridade aqui é essencial, mesmo que às vezes isso possa magoar. É melhor ser honesto, brigar e magoar de uma vez do que ir guardando e guardando até a bomba explodir.

 

3 Ter medo de mudar a rotina

Eu sei, é maravilhoso chegar em casa, tomar um banho, sentar na cama e ler até às 4 horas da manhã sem nem parar para comer. Mas agora tem outra pessoa em casa, e o tempo juntos é precioso. Não precisa largar sua rotina totalmente, mas é importante aprender a balancear.

Uma conversa nova na mesa de jantar, um filme de vez em quando, um restaurante novo para conhecer, uma conversa inspiradora que entra pela madrugada… acontece. Deixe alguns hábitos velhos de lado, abrace outros, aprenda novos. Esteja aberto a essas mudanças. A vida de vocês já vai mudar muito, então não se prenda a velhos costumes e abrace o que vem por aí.

Criar uma nova rotina, que é só de vocês, é uma das coisas mais incríveis de morar junto.

 

4 Querer atenção o tempo todo

Quando o casal só se vê aos finais de semana, é totalmente compreensível que eles queiram passar os dias se amando, grudados o tempo todo. Mas quando você está com a pessoa todos os dias, várias horas por dia, não dá pra esperar por atenção em cada minutinho. Os dois têm vidas e vontades diferentes.

Enquanto um quer ler um livro, o outro quer jogar video game. Nada demais. Isso só ajuda o casal a manter sua individualidade, já que ninguém precisa abdicar dela na hora de morar junto com alguém. Pra mim, morar junto é continuar fazendo sozinha tudo que eu já fazia, mas em boa companhia. Cada um faz o que quer, mas sempre está por perto.

 

5 Empurrar com a barriga

Dividir a casa com alguém às vezes requer até mais responsabilidades do que morar sozinho. Não dá pra deixar a louça apodrecendo na cozinha só porque é a sua vez de lavar. Ou adiar a limpeza da casa se quem mora com você está incomodado. Não é justo deixar todas as ~tarefas domésticas~ nas mãos de quem tá dividindo a vida e as contas contigo. Se o garfo caiu embaixo do fogão e você não pegou, vai sobrar pra quem? Cumprir as obrigações da casa é um esforço diário para deixar o lugar agradável para os dois viverem bem, então é um ponto que não dá pra deixar para depois.

 

Esses 5 são só uma breve listas de adaptações que fomos fazendo em nós mesmos nesse um ano morando juntos. São atitudes que parecem pequenas, mas fazem uma grande diferença quando você começa a dividir a casa e a vida com alguém. Num geral, quando bater o desespero nas primeiras brigas, é essencial sentar e conversar sobre tudo que está acontecendo. Muito. O tempo todo.

Enquanto estiver valendo a pena, adaptar a sua vida para acolher alguém que você gosta é maravilhoso. <3

Tags from the story
, , , ,

Comentários