Explorando a Espanha de carro

Semana passada nos mudamos de Barcelona e fizemos uma viagem curtinha pela Espanha de carro, que durou uma semana. Foi pouco, mas o suficiente para conhecer algumas das cidades mais legais daqui do sul antes de chegarmos ao nosso destino final: Córdoba! Você pode ver algumas fotos dessa viagem no nosso Instagram (debbiecorrano e fepacheco) ou por #MonstritosNaEspanha.

Como nosso tempo era curto, decidimos o roteiro usando as principais cidades que queríamos conhecer: Valência, Granada e Málaga. À partir daí, o que viesse no meio do caminho era lucro. Conhecemos um monte de lugares legais e foi uma viagem super gostosa, ótima pra conhecermos uma parte da Espanha que não teríamos oportunidade, curtir umas praias maravilhosas e nos dar aquela sensação boa de pegar a estrada que a gente adora. :)

O Roteiro

Nosso roteiro foi bem focado nos nossos principais destinos, mas reservamos alguns dias para dirigir mais por aí e conhecer alguns lugares mais inesperados:

Nossa viagem foi assim:

Dia 1: Saída de Barcelona e Tarragona
Dia 2: Valência
Dia 3: Valência
Dia 4: Praias do Parque Nacional Cabo de Gata
Dia 5: Sierra Nevada e Granada
Dia 6: Granada
Dia 7: Granada e Málaga
Dia 8: Málaga e chegada em Córdoba

Uma coisa bem legal de fazer esse tipo de viagem para lugares diferentes de um mesmo país é que você entende melhor a cultura dali como um todo, sem ver só a cidade mais importante. Aí fica mais fácil enxergar as particularidades de cada canto. Por exemplo: logo que chegamos no sul da Espanha, apanhamos para começar a entender o sotaque deles! É que nem quando você vai para outros cantos do Brasil, né?

Leia mais: A melhor forma de transferir dinheiro para a Espanha!

Dirigimos 1566km nessa viagem que pode ser relativamente curta, porque a Espanha não é um país enorme e são poucas as cidades desse caminho que sejam muito incríveis. Se tivéssemos mais tempo, dedicaríamos pelo menos mais um dia em cada destino: Valência é enorme e bem legal, Granada é apaixonante, nós poderíamos ter aproveitado muito mais as praias de Cabo de Gata e Málaga superou nossas expectativas!

Nosso Carro

Como estávamos viajando com todas as nossas coisas, tivemos que escolher um carro bem grande para levar tudo. Só que quando você aluga um carro em uma cidade para devolver em outra, o preço dos carros acaba saindo sempre mais caro, então tivemos que pesquisar bastante para encontrar qual valeria mais a pena. Depois de um milhão de buscas, escolhemos a Enterprise, uma empresa britânica que aluga carros na Europa toda e que foi super legal com a gente! Na hora que fomos retirar, ganhamos um upgrade e pegamos um carro gigante e muito bom: um Alhambra, de uma marca espanhola chamada Seat. E que carro maravilhoso! Tinha tantos espaços e detalhezinhos para deixar o carro mais confortável que até o último dia estávamos descobrindo coisas novas nele.

As Estradas

Uma coisa legal das estradas espanholas é que você normalmente pode seguir por duas vias diferentes: as estaduais ou as privadas. Como seguimos pelo GPS do Google Maps, a maior parte da nossa viagem teve vários pedágios, porque estávamos em estradas privadas. As estaduais também são bem boas e lisas, mas achamos as privadas mais seguras para dirigir em alguns trechos e acabamos preferindo ficar por elas. Os pedágios não são baratos, mas valeu a pena para nós pela segurança extra! Não dá pra brincar, né?

Antes de ir viajar, procuramos muito sobre viagens de carro na Espanha, e muita gente diz que não vale a pena fazer uma viagem assim por aqui porque poucas cidades desse caminho são realmente interessantes, além das que paramos. Para nós, a parte mais chata foi ver paisagens incríveis sendo desperdiçadas com a falta de estrutura para uma viagem de carro. De resto, nós amamos conhecer cantos diferentes daqui e, como sempre, adoramos a liberdade de poder ir para qualquer lugar com um carro em mãos, então a gente super recomenda. :)

Acho que como o europeu viaja muito de trem, eles acabam não dando muito valor a essas partes se passa de carro, e aí fica tudo meio largado. As estradas são ótimas e, num geral, muito bem sinalizadas, mas eles tem poucas praias nas costas e nas vistas mais legais, seja das montanhas ou do litoral, você não tem onde parar para observar, o que dá até dó de tantos lugares incríveis perdidos ali no meio.

Perto das praias mais lindas que já conhecemos, um pouco antes de entrar no Parque Nacional de Cabo de Gata, nós vimos uma praia maravilhosa, com a água totalmente transparente, e de repente ela acabava para dar lugar a uma fábrica de cimento. Sério. Uma fábrica de cimento ocupando o espaço de uma praia quase paradisíaca.

Hospedagem

Na verdade, não tivemos muito tempo de planejar a viagem com antecedência, então estávamos decidindo tudo no próprio dia, usando o celular dentro do carro. Baixamos um milhão de aplicativos para ver ofertas de hotéis que poderiam dar descontos de última hora, mas nada era muito incrível, então preferimos o bom e velho Booking – que já tem até uma pré seleção pra você só visualizar hotéis que aceitam cachorros. :)

Falando em cachorros, quando nós viajamos pela Alemanha quase todos os hotéis aceitavam a Lisa e o Luca, mas era cobrado uma taxa extra de uns 10 euros por animal. Aqui na Espanha, mesmo com poucas opções, só um dos hotéis cobrou um valor extra por causa deles.

Estes são todos os posts dessa viagem:
Valência e o rio que virou parque
Granada: Dormindo em cavernas e visitando palácios muçulmanos
Ciudad de Las Artes e as expectativas em viagens

Comentários