Porque tenho certeza que vamos cumprir nossas metas do ano

Eu sei, eu sei! Já estamos em Fevereiro e parece meio tarde para falarmos sobre metas para 2016, mas a gente queria ter um mês de teste para ver se nossas técnicas realmente funcionam. Não adianta nada dar mil e uma dicas e não colocar nenhuma delas em prática. Fora que nunca é tarde demais para (criar e) cumprir suas metas. Elas nem precisam ser de uma virada de ano pra outra.

As dicas que vou dar aqui valem para qualquer tipo de meta: da semana, do mês, do ano, da década. O que for! Vem comigo! :)

Eu e Debbie temos 25 metas cada para cumprir esse ano. Quinze delas juntos e dez cada-um-por-si. Acho que nunca tivemos tantas metas assim para um ano, mas, ao mesmo tempo, nunca tivemos tanta certeza de que elas serão cumpridas. Passamos três dias decidindo quais elas seriam e como realizaremos elas. Só para vocês terem ideia, algumas das nossas metas são:

Viajar mais
Assistir mais filmes
Aprender alemão

Morar em Budapeste
Dizer mais sim
Lançar um projeto novo

Produzir mais para o blog
Guardar dinheiro
Comprar laptop novo

E aí vai a primeira lição que aprendemos fazendo as metas:

Crie metas pensando em quem você quer ser no futuro

Foi basicamente nisso que a gente pensou ao criar as nossas. Quero que o Felipe do futuro tenha viajado mais, passado por experiências diferentes, saiba alemão e tenha um dinheiro guardado na conta. Tudo isso se transforma em metas diferentes que envolvem vários pontos da minha vida.

Se você ainda não tem metas, aqui vão umas perguntas que é legal de se fazer quando pensando no seu eu do futuro:

  • O que terei aprendido?
  • Como estarei fisicamente? E mentalmente?
  • Que experiências incríveis terei vivido?
  • O que terei mudado que não gosto agora?
  •  O que terei criado?
  • Como estarei profissionalmente?

Elas parecem até meio bobinhas, mas ajudam bastante a descobrir para que direção quer seguir. Mas não adianta nada saber a direção se você não sabe onde realmente quer chegar. É aí que vem a segunda lição que aprendemos ao não completar nenhuma meta nos outros anos:

Suas metas devem ter métricas

Não adianta nada falar “quero guardar dinheiro” e não saber quanto isso significa. Ou você vai ficar sempre com uma sensação de “não vou cumprir isso” ou vai se enganar, guardar 50 reais no bolso no dia 31 de Dezembro e falar que você cumpriu sua meta.

Quando você diz “quero guardar 10 mil reais esse ano” a coisa muda. Cada um real que você guarda já te coloca mais perto da sua meta.

Tem metas que já são a própria métrica, como “morar em Budapeste”, o que facilita um pouco. Em alguns casos é mais complicado de metrificar, mas é importante que você tente. Veja a meta de outros ângulos, entenda o que ela significa para sua vida. O que é esse processo de mudança?

Por exemplo, a gente colocou a métrica de “dizer mais sim” porque achamos que temos ficado muito na zona de conforto e queremos sair mais da rotina, topar mais os convites dos nossos amigos. Pra metrificar isso, resolvemos transformar em “fazer 30 experiências diferentes”.

Olha como ficou a métrica de cada uma das tarefas que eu falei lá em cima:

Viajar mais
= Conhecer 5 países novos
Assistir mais filmes
= Assistir 50 filmes no ano
Aprender alemão
= Conversar meia hora com um amigo e conseguir ler matérias simples

Morar em Budapeste
= Morar
Dizer mais sim
= Fazer 30 experiências diferentes
Lançar um projeto novo
= Colocar ele no ar

Produzir mais para o blog
= Ter dois posts e um vídeo por semana
Guardar dinheiro
= Ter 10 mil reais guardados
Comprar laptop novo
= Comprar

Tudo parece muito mais palpável e fácil de realizar, mas calma aí que ainda não chegamos no ponto mais importante:

As metas devem ter datas

É aí que muita gente se enrola e nunca completa suas metas. Chega o fim do ano, fazemos uma lista linda e nunca mais pegamos nela. Quem nunca? A gente sempre fez isso, mas esse ano resolvemos levar nossas metas a sério. E coisa séria tem data.

Para começar, separamos cada meta em micro-metas – como falamos aqui e no nosso eBook. Quais 5 países? Quantos filmes por mês? O que precisamos fazer para morar em Budapeste? Ter essas micro-metas claras é um passo essencial para você se sentir motivado a realizar suas metas do ano e continuar correndo atrás delas.

Depois de definir cada uma, é só colocar datas certas para elas. A gente colocou tudo em um calendário muito louco ao longo do ano. Ficou lindo e parece que vai ser fácil, fácil de realizar, mas não caia nessa! Se fosse fácil, não seria meta, né?

Por mais que você tente e consiga se manter no seu calendário por um tempo, em algum momento vida vai chegar, te dar uma rasteira e todas as datas que você colocou vão cair e dar aquele desânimo. Por isso é importante o próximo passo:

Retome suas metas e seu planejamento frequentemente

Uma das coisas que estamos fazendo agora é sentar lá pelo dia 28 e criar o calendário do próximo mês com base nas nossas metas. Lemos cada meta uma a uma e pensamos:

  • O que podemos fazer para essa meta no mês?
  • Quando eu farei isso?

Cara, não é um negócio fácil não. 30 dias ficam parecendo 30 minutos. Claro que tem metas que você já vai jogar para daqui três meses e não olhar até lá. Mesmo assim, caio sempre no meu eterno problema: é pouco tempo para tanta coisa que quero fazer.

É importante você colocar datas reais para essas metas do mês, que possam realmente serem cumpridas. Pega o calendário do ano que você criou e vai tentando encaixar tudo aquilo que você tinha programado pro mês e tudo aquilo que sobrou do mês passado. Não deu? Joga algumas pro próximo mês.

Fizemos isso em Janeiro e funcionou muito bem! Não conseguimos completar tudo que queríamos, mas, vá lá, uns 70%. O que é ótimo! Se não tivéssemos datas, não teríamos completado quase nada. Sério.

Recomendo você ainda ir além! Toda sexta-feira eu paro, olho para as minhas metas de novo e escolho 5 tarefas para focar na semana seguinte. Algumas delas já estão no nosso planejamento mensal, mas outras são para já facilitar alguma meta mais pra frente.

Olhar frequentemente para minhas metas tem feito eu modelar melhor minha vida para que elas possam ser realizadas de verdade e não para que elas sejam algo “para fazer se der um tempinho”. Falando em tempo, vai aí minha última dica do post:

Coloque alertas para não esquecer de cumprir suas metas

A vida vai passar e você vai esquecer das suas metas. Pode até lembrar de uma ou outra, mas as 25? Vai até esquecer de pegar elas toda semana ou todo mês. Por isso é importante que você tenha alertas que te lembrem do seu foco.

Só para vocês terem uma ideia, esses são alguns dos alertas que coloquei aqui pra mim para as metas lá de cima:

  • Toda semana: “Já assistiu o filme dessa semana? Qual você escolheu?”
  • Toda semana: “Senta, olha suas metas e escolha 5 coisas para fazer por elas!”
  • Todo mês: “Guardou pelo menos 15% do que você ganhou?”
  • Todo dia: “Já estudou alemão hoje? O que aprendeu? Sehr gut!”
  • Três meses antes da data: “Já sabem quanto custa morar em Budapeste?”
  • Dois meses antes da data: “Já arrumaram apartamento em Budapeste?”

Você sabe como você funciona e como devem ser esses avisos, mas é importante que sempre tenha uma ~vozinha~, mesmo que digital, te lembrando das suas metas. Eu coloquei elas no meu Todoist, mas você pode colocar no Google Agenda ou onde quer que você se organize.

 

Essa combinação de definir bem suas metas, com métricas e datas junto com alertas que te lembrar de retoma-las o tempo todo é matadora para que você consiga cumprir tudo que quer. Hoje, amanhã, nessa semana, nesse mês, nesse ano, nessa vida. E é por isso que vamos cumprir todas as nossas! :)

Tags from the story
, ,

Comentários