Como é morar em Lisboa?

Continuando nossa série de posts contando um pouquinho sobre cada um dos lugares que já vivemos, hoje vamos falar sobre morar em Lisboa, uma das cidades mais queridinhas de todos os brasileiros – e que está a cada dia mais famosa entre os gringos do mundo todo também!

Esse é mais um post da nossa série de artigos contando um pouquinho das coisas boas e ruins de morar nas cidades que já vivemos até hoje.
Se você quer saber como é morar em Berlim, clique aqui.
Se você quer saber como é morar em Barcelona, clique aqui.
Se você quer saber como é morar em Budapeste, clique aqui.

Quando saímos de Córdoba, no sul da Espanha, em direção a Lisboa, tivemos uma longa viagem cheia de coisas bizarras (vocês lembram? aqui tem um post explicadinho). Mas assim que chegamos em Lisboa, mesmo com chuva, com portugueses super estressados no trânsito e com o carro não querendo subir de jeito nenhum as ruas cheias de pedrinhas lisas do centro, nós já ficamos encantados.

Talvez isso esteja ligado ao fato de que estávamos sendo guiados por um português super gente boa que já foi nos falando várias coisas sobre a cidade nas cinco horas que passamos dentro do carro dele, mas a nossa primeira impressão da cidade, mesmo com todos os perrengues para chegar até lá, já era de que ali teríamos uma temporada incrível.

E tivemos! Mesmo que Portugal seja um país ainda muito desprezado aqui dentro da Europa, cada dia mais nós vemos Lisboa naquelas listas de cidades que você não pode deixar de visitar. No nosso caso, a gente iria um pouquinho além: Lisboa é daquelas cidades que você tem que morar pelo menos por um tempo na sua vida.

Mas vamos para o que interessa, né?

5 coisas boas x 3 coisas ruins
sobre morar na capital portuguesa

5 Coisas Boas sobre Morar em Lisboa:


Que cidade mais linda

A nossa primeira impressão logo que chegamos em Lisboa não estava errada: que cidade linda! Você pode voltar um pouco no Instagram de nós dois (Debbie e ), chegar na parte em que existia sol e céu azul e ver a quantidade absurda de fotos que tiramos por lá.

Moramos no centro, então isso influencia bastante, mas só de ir até o supermercado você já se depara com um bondinho, azulejos coloridos, esquinas cheias de altos e baixos, casas antigas, lojas e restaurantes charmosos, mirantes da cidade ou arte de rua espalhados por todos os lugares. Dá pra passar uma vida toda em Lisboa fotografando cada lugar lindo que tem ali.

Mesmo que lá não seja a cidade mais bem cuidada do mundo – ela definitivamente não é – até as coisas mais detonadas são charmosas, seja por toda a cultura que envolve cada canto ou simplesmente porque elas envelheceram bem. Cada camada de prédios, cada azulejo diferente, cada rua apertada, tudo confessa que Lisboa é uma cidade com muita história. É uma sensação muito louca.

A língua e a cultura

Depois de morarmos na Alemanha, passarmos pela Áustria, República Tcheca e Eslováquia, já estávamos meio cansados de não sermos entendidos. Mesmo que nossa vida tenha ficado mais fácil na Espanha, é muito gostoso você de repente entender absolutamente tudo que as outras pessoas estão falando. No dia que você chega já pode conversar com a dona do apartamento tranquilamente, pedir um pão na padaria feito do jeitinho que você quer, perguntar o preço das coisas sem medo de soar totalmente errado e simplesmente falar com praticamente todo mundo que está ao seu redor.

Leia também: Como transferir dinheiro para Portugal – a melhor forma!

Confesso que, no começo, a gente tinha um pouco de medo de que não fossem entender nada do que falávamos. Porque, né? Não é sempre que entendemos o sotaque português. Mas eles consomem tantas coisas em pt-br, que a gente até se sentiu idiota por pensar que teríamos alguma dificuldade com isso. Ainda mais em Lisboa.

Parece bobo, mas viver em Lisboa traz uma sensação de pertencimento incrível, que você só sente depois que passa algum tempo morando em um lugar que não entende a língua ou a cultura perfeitamente. Mesmo que às vezes você precise se policiar para não falar besteira na rua – já que ninguém te entendia mesmo – é muito legal poder jogar conversa fora na sua língua-mãe.

Você vai gastar pouco

Lisboa anda aparecendo muito naquelas listas gringas de “cidades muito baratas da Europa que você nunca pensou em visitar” e não faltam motivos para isso. Eita cidade barata! Pelo menos até onde o euro deixa ela estar barata. Mesmo que, segundo todo mundo com quem falamos, ela esteja ficando mais cara com o turismo, acho que Lisboa é tão barata quanto Berlim para comer, beber e viver. Se você for pensar em beber vinho todos os dias, ali é absurdamente mais barato que qualquer outro lugar que já fomos na vida.

Você deve gostar também: 8 formas de beber vinho em Lisboa

Nossos leitores lisboetas que podem falar melhor, mas nos disseram que a cidade já teve aluguéis ainda mais baratos do que tem hoje. Ainda assim, são valores muito abaixo da maioria dos países europeus. A comida é ótima, tem muita variedade e costuma ter um bom preço. Inclusive, achamos vários lugares com o nosso ~PF~ na versão portuguesa. E a gente achando que a invenção era nossa! Para os vegetarianos, eles ainda estão criando o costume de ter opções vegetarianas, o que pode ser um problema em vários lugares, mas é algo contornável.

Com mais ou menos 25 euros você consegue jantar em casal em boa parte dos restaurantes da cidade – e no preço já está incluso pelo menos uma taça de vinho, porque estamos em Lisboa. Normalmente sai até mais barato.

Sempre tem algo para fazer

Para quem veio de São Paulo, Lisboa não é lá uma cidade muito grande – só meio milhão de habitantes -, mas você consegue encontrar um monte de coisas legais para fazer praticamente todos os dias da semana. Quando chegamos lá, não estávamos esperando essa cidade tão viva, cheia de gente jovem e coisas para fazer. Ficamos loucos tentando dar conta de todos os lugares que queríamos ir naquele pouco tempo que moramos ali.

Tem sempre alguma coisa nova acontecendo, um novo restaurante para conhecer, um bar diferente, uma festa nova, alguma comemoração de rua… Lisboa é uma cidade extremamente ativa. Se você reclamar de tédio por ali, algum problema tem.

As viagens pela cidade e a partir dela

A gente sempre se pega lembrando de uns lugares e pensando “pera, em que cidade era isso mesmo?” e era Lisboa. Da mesma forma que Barcelona, os bairros da cidade são bem diferentes um do outro. Dos galpões de Alcântara às lojas do Chiado, das ruas antigas e apertadas de Alfama às avenidas gigantes de Campo Pequeno, das lojinhas charmosas de Príncipe Real aos monumentos de Belém. Junta essa diversidade com o item de cima e você tem a receita perfeita para viajar várias vezes dentro de uma mesma cidade.

Se toda a programação de Lisboa não for suficiente, pode ficar tranquilo. Tem muita coisa para ver por Portugal todo. Pode ser pertinho, até Sintra ou Cascais, ou então subir para se apaixonar por Porto, conhecer Óbidos, uma vila medieval, viajar até a Ilha da Madeira ou os Açores… É muita, muita coisa para conhecer. Muitos lugares lindos para visitar. E nós, lindos, só fomos nos dar conta disso quando já estávamos com passagem marcada para sair de lá.

Por isso mesmo, temos certeza absoluta que voltaremos a morar em Portugal um dia, nem que seja só para ficar viajando por ali durante alguns meses e descobrindo todos esses cantos do país. Ah, tá aí mais uma coisa boa sobre Portugal: você nunca vai se perder porque não entendeu um placa. :)

3 Coisas Ruins sobre Morar em Lisboa:

Falta natureza

Muita gente vai questionar isso, mas quem nos lê sabe o quanto ficamos mais necessitados de verde depois que moramos em Berlim. Enquanto sobram lugares lindos para conhecer em toda Lisboa, também tivemos um sério problema para encontrar lugares legais com mais natureza, sejam parques, praças ou até ruas mais arborizadas. Isso compromete muito a qualidade de vida num geral, já que não existe muita natureza fácil de ser aproveitada. Em alguns momentos, esses lugares são facilmente substituídos por miradouros – que é um negócio bem legal –, mas até a pouca grama que existe disponível em alguns deles fica cercada (!!). Uma coisa meio São Paulo, de “Olha, natureza! Fique longe dela para não estragar tudo”.

Também sentimos muito isso por causa dos cachorros, já que os poucos parques da cidade não ficavam nada perto da nossa casa por ali. Num geral, Lisboa não é nada dog friendly – em alguns momentos, parecia que estávamos andando com dois ETs na coleira, de tão estranho que as pessoas olhavam para eles. Ainda mais no centro, com as calçadas tão fininhas.

Para quem sai de São Paulo, provavelmente vai achar Lisboa um lugar decentemente arborizado e com natureza, mas está a anos luz de distância de cidades como Berlim ou Viena.

Sua zona de conforto na Europa

Se é uma delícia poder falar livremente com todo mundo ao seu redor e entender boa parte da cultura sem se chocar nem um pouco, ao mesmo tempo isso nos causava uma sensação de estarmos vivendo dentro de uma bolha de conforto muito grande em Lisboa. É um pouco da ideia de que você não tem muita coisa para aprender em um lugar novo, e como as nossas mudanças de país são totalmente ligadas a termos essas experiências novas e aprendermos saindo da nossa zona de conforto, Lisboa nos deu muito pouco dessa sensação.

Em absolutamente todos os lugares que você vai, pelo menos um quarto das pessoas são brasileiras. Em lojas e restaurantes, muitas pessoas não falam nem português com sotaque contigo, porque também vieram do Brasil. Ali também é um lugar que as pessoas olham muito mais para você e te julgam muito mais, alguns homens assediam verbalmente mulheres na rua e tal. Não sabemos se é cultural, se foi levado de Portugal para o Brasil ou o inverso, mas ali foi o único lugar fora do Brasil que um cara gritou para a Debbie de dentro do carro, xavecando ela no meio da rua.

Para quem está procurando um lugar confortável, sem contraste de culturas ou de língua, Lisboa é o lugar perfeito. É realmente o Brasil na Europa – com todos os benefícios e malefícios que esse título pode ter. Para nós, que adoramos sair da nossa zona de conforto, nos pareceu um pouco confortável demais.

A confusão da cidade

Outra coisa que também lembra muito São Paulo, a cidade que vivemos a vida toda no Brasil, é a confusão toda de Lisboa. Sobe e desce, ruas estreitas, muita gente nas calçadas finas, olha quanto lixo, gritaria nas ruas, trânsito parado, olha o senhor te xingando, tá fedendo tudo aqui, será que o ônibus passa nesse ponto? Parte dessa confusão até traz um charme pra cidade, mas a outra parte faz você respirar fundo antes de sair de casa e se entregar a essa ~tensão~ toda da cidade.

Em alguns lugares de Lisboa a calçada é tão fina que você mal consegue andar sozinho e precisa passar pela rua. Isso quando os carros deixam. É até curioso como a cidade é tomada por carros, redesenhada o tempo todo e dando prioridade total para eles. Até falamos sobre isso quando contamos da LX Factory aqui, um lugar que seria infinitamente mais legal sem carros. O pior é que Lisboa não é uma cidade onde é fácil de dirigir não. Parece masoquismo do motorista até.
(Aliás, evite dirigir em Lisboa, especialmente na região do centro. Ou na chuva. Ou com toda sua vida dentro do carro. O Uber é muito barato, então se estiver cansado de subir ladeira é só pedir um carro pelo app.)

Essas foram as nossas impressões morando em Lisboa no ano passado! Cada um tem a sua experiência individual com a cidade, e essas foram as nossas, de quem morou ali no centrão. Adoramos Lisboa e ela foi uma porta de entrada maravilhosa para querermos muito conhecer o resto de Portugal. Pelo pouco tempo que passamos ali já temos certeza que em poucos anos ela vai crescer muito por causa dos turistas europeus e americanos que estão só começando a desbravar o país. Então, se você quer conhecer Lisboa antes disso, é bom já programar a sua viagem.

Para ver todos os nossos posts de Lisboa, é só clicar aqui!

Comentários