Valência e o rio que virou parque

Logo que saímos de Barcelona, passamos em um supermercado na estrada e seguimos sentido Tarragona. O tempo não estava dos mais bonitos, então não estávamos muito animados para ir parando nas cidades de praia, como Sitges, que passamos só meia hora.

Um pouco antes de chegar na cidade, vimos uma placa falando da Ponte do Diabo e resolvemos dar uma paradinha para ver o que era. Descobrimos ser um aqueduto romano do século I. UM. UUUMMM. Que ainda está lá de pé! Essa foi só uma pequena amostra de toda a experiência Império Romano que teríamos no resto da viagem.

 

De lá, fomos direto para Tarragona. E lá nos pareceu uma cidade bem pouco valorizada pelos roteiros que pesquisamos. A cidade tem um anfiteatro romano incrível bem pertinho do mar, com uma vista surreal, além de um Circo Romano – que eles usavam para corridas de cavalos com charretes e que está super bem conservado.

Esse post faz parte da nossa viagem pelo Sul da Espanha. Você pode ver todos os nossos posts clicando aqui!

Acabamos ficando por lá para almoçar/jantar e comemos em uma pizzaria bem gostosa, com pizzas gigantes, chamada La Piemontesa. Durante o passeio, ainda encontramos um grupo enorme de pessoas treinando a Torre Humana, aquele negócio absurdo que vimos logo no começo da nossa estadia em Barcelona. Vimos as criancinhas sendo ensinadas a subir e descer das outras pessoas, a forma que eles vão se montando e entendemos porque eles sempre usam umas cintas na cintura: para apoio!

Queríamos ter ficado mais ali porque descobrimos várias coisas romanas que pareciam muito legais de conhecer, mas infelizmente precisávamos dormir em Valência. Para quem gosta de história, Tarragona é um lugar incrível de se ver!

Chegamos em Valência na noite do primeiro dia e fomos direto para o hotel. Como estávamos de carro, nos hospedamos no Hotel VoraFira, que fica longe do centro, mas tem um preço bom, quarto bacana e aceita cachorros.

Nosso primeiro dia foi todo focado em explorar a cidade a pé, andando por todas as ruazinhas que pudemos e vendo o quanto Valência é linda. A cidade toda é super bem cuidada e bem grande. Muito maior do que estávamos esperando! Bem ali no centro você já pode conhecer a diferente Estació del Nord e Plaza de Toros, que ainda fazem as touradas até hoje. Em Barcelona, visitamos o lugar onde eles costumavam fazer touradas e, desde que a prática foi proibida ali, transformaram a arena em um shopping super legal usando a mesma estrutura. Infelizmente, aqui no sul da Espanha, as touradas ainda são bem tradicionais e continuam com força total, apesar dos protestos dos protetores dos animais. Dózinha!

Aqui embaixo é a Puerta de Serranos, uma das doze portas da muralha que rodeava a cidade de Valência em 1392. Entrando por ela e descendo as escadas, ao invés de seguir pela ponte, você chega no Jardi de Turia, um jardim que foi criado no lugar de um rio (!!) que passava por toda a cidade. Hoje é um jardim ENORME, e descobrimos que decidiram desviar o caminho desse rio depois que ele inundou a cidade toda em 1960. O mais legal é que os planos do governo e da prefeitura de Valência eram fechar esse rio e transforma-lo em uma avenida enorme que cruzava a cidade (alou, 23 de Maio!), mas os valencianos fizeram vários protestos chamados “o rio é nosso e nós o queremos verde” pedindo a criação de um parque. E assim aconteceu! :)

 

Lá em Valência, uma coisa que estranhamos muito foi ver várias coisas ainda sendo escritas em catalão, mesmo ali já sendo fora da região da Catalunha. Fomos pesquisas e descobrimos que, na verdade, existe uma briga enorme entre os catalães e os valencianos sobre essa língua, e um lado diz que a língua se chama catalão e o outro diz que é valenciano, porque tem algumas palavras diferentes. No fim, é tudo praticamente a mesma coisa, só muda o sotaque!

Valência foi fundada pelos Romanos em 138 d.C., e foi só em 711 que os muçulmanos ocuparam a região, por isso algumas coisas da cidade te dão uma vaga lembrança islã – e Valência é uma das cidades com menos referências islãs que conhecemos nessa viagem.

A cidade é bem fácil de se locomover e, mesmo com o calor de Junho, conseguimos passear bastante pelo centro e pelos arredores da catedral, onde ficam vários bares e restaurantes.

Nosso segundo dia em Valência foi todo dedicado ao complexo da Ciudad de las Artes y las Ciencias. E que lugar maravilhoso! Tão maravilhoso que merece um post próprio que faremos em breve. :)

No fim, gostamos muito da cidade e gostaríamos de ter ficado mais tempo e conhecido um pouco melhor de Valência. A terceira maior cidade da Espanha tem seu charme de interior, mas com um monte de atrações, ruazinhas grafitadas e lugares diferentes bem legais de conhecer!

 

Comentários