Trabalhar viajando pode ser pra todo mundo?

Ter a possibilidade de trabalhar de forma totalmente remota e viajar o mundo enquanto cumpre suas entregas é um dos maiores sonhos de quem ama viajar e entende que um trabalho das 9 às 18h não vai, necessariamente, te fazer mais produtivo que uma tarde trabalhando de um café. Mas, a partir do momento que a decisão está tomada, qualquer um é capaz de ser um nômade digital?

Essa questão normalmente está atrelada com algumas das principais preocupações da nossa vida: trabalho e dinheiro. Muita gente sonha em viver viajando enquanto toca seu trabalho, mas não é sempre que elas enxergam uma forma de colocar o que faz em um notebook e a vida em uma mala de viagens. Muitas vezes ele até poderia ser feito digitalmente, mas, por vários motivos, isso nunca aconteceu antes. O chefe não confia, você acha que não produziria muito bem, as reuniões são infinitas, o trabalho é diretamente com o público ou qualquer outro motivo pelo qual, na sua cabeça, seria impossível exercer sua profissão trabalhando online.

E se você não trabalha nas áreas que já são naturalmente mais fáceis de serem feitas digitalmente, como design, programação, jornalismo ou até publicidade, que é o nosso caso, a situação parece ainda mais sem saída. E, em alguns momentos, realmente é. Para quem também não construiu carreira nenhuma, o nomadismo digital também não é meio: é um fim. É preciso criar uma cultura de trabalho primeiro, seja em qual área você escolher, e só então seguir em frente.

Mas vamos supor que, já que você está aqui, você realmente quer trabalhar enquanto viaja o mundo. E, pra você, eu tenho uma boa notícia: existem milhares de formas para você tentar unir o que você faz hoje com o que pode vir a fazer digitalmente no futuro, mesmo que isso não seja colocado em prática daqui uma semana.

É aí que entra a sua criatividade e visão além do trabalho que você faz hoje, começando a pensar em soluções que fariam você continuar na mesma área que atua hoje (ou não) e tendo a possibilidade de trabalhar, vamos dizer, do sofá da sua casa. Como você trabalharia com o que você sabe, hoje, do sofá da sua casa? Quando a resposta para essa questão surge, é possível escalar pouco a pouco até o momento da total independência do local que você está.

Eu quero trabalhar de qualquer lugar do mundo, mas não sei com o que!

O princípio básico para você trabalhar de qualquer lugar do mundo é encontrar alguma coisa que você consiga fazer digitalmente e que possa te sustentar. Começar a viajar antes de ter um trabalho e alguns ganhos encaminhados é uma forma bem simples que podem acabar com suas economias e fazer você voltar pra casa em menos de seis meses.

Se você está decidido que quer começar um trabalho remoto, é hora de sentar e fazer duas listas:
1. todas as coisas que você sabe fazer
2. todas as coisas que você gostaria de saber fazer

A primeira irá servir para você encontrar o caminho que você pode seguir hoje. E começar nisso agora, trabalhando no que você já conhece para ter a possibilidade de levar seu trabalho dentro do notebook em um futuro próximo. Dessa forma, os anos que você investiu estudando uma coisa, sua reputação, as experiências que você tem, os contatos, os clientes, tudo isso se mantém.

informe_publicitario_da_lisa

A segunda lista, no entanto, são as coisas que você pode fazer no futuro.
Para cada item, eu suponho que você já tenha alguma preferência, interesse ou curiosidade, mesmo que de forma amadora e superficial. Se você quiser mudar de área e tiver força de vontade, é capaz de você não só se tornar um nômade digital, mas também mudar a sua profissão para outra coisa que você sempre sonhou.

Para isso, a internet está entupida de sites que podem te dar conhecimento básico, intermediário e avançado em absolutamente qualquer assunto. Se você quiser investir ainda mais e deixar o planejamento ainda mais redondo, pode fazer uma especialização, um curso presencial, um intercâmbio ou só levar bem a sério os cursos que fizer online, garantindo diploma e criando seu próprio portfólio ligado a área.

Aprender alguma coisa nova é uma coisa demorada, sim, mas lembre-se: quando você sabe 10% de alguma coisa, tem sempre alguém que sabe 0%, e esses 10% de conhecimento já são extremamente valiosos para quem ainda não sabe nada. Isso pode ser um ponto de partida para você criar um curso para iniciantes, poder se aprofundar no tema ao lado de uma rede de contatos interessada no assunto, poder criar materiais com o aprendizado e desenvolver uma comunidade de pessoas ao seu redor falando sobre um tema que você quer levar como trabalho. E essas pessoas já seriam seus clientes em potencial.

Se você não quer abandonar a sua área de trabalho – e, acredite, você realmente não precisa fazer isso – mas com a oportunidade de trabalhar viajando o mundo, a situação é diferente. Você precisa encontrar uma forma de conciliar os dois, e esse é o momento de colocar a criatividade para funcionar dentro do que você vive todo santo dia. Já faz muito tempo que os trabalhos digitais não se limitam aos caminhos que comentei aqui em cima, e nada te impede de criar um projeto seu, relacionado com o que você já sabe, usando os contatos que você já tem, se mantendo relevante e progredindo na área que você já é expert. Só o melhor dos dois mundos.

Para quem trabalha com comunicação, programação ou áreas criativas como design, produção de conteúdo, jornalismo, editando, gravando, fotografando ou qualquer uma das milhares de variações possíveis, a ideia parece sempre um pouco mais palpável. Trabalhar do sofá da sua casa com criação de websites, vender fotos digitalmente, traduzir textos, fazer vídeos e animações, escrever conteúdo para sites ou desenvolver aplicativos são areas já comuns de se trabalhar a distância. Hoje, eu e o Fê trabalhamos com planejamento digital, e em praticamente todas as áreas de comunicação tem espaço para quem trabalha a distância.

Só que, caso você esteja em uma área completamente diferente, também existem várias opções. Você só precisa enxergar o conhecimento que você tem hoje de forma mais ampla e as maneiras que ele pode ser aplicado de forma remota.

Algumas profissões improváveis que talvez você não soubesse que poderiam ser feitas digitalmente:

  • Psicólogos e psiquiatras que atendem via Skype
  • Gerente de negócio que mantém um time de confiança alocado
  • Médico que analisa e emite laudos usando telemedicina
  • Professor particular (línguas, matérias da escola, reforço, universidade, música)
  • Escritor de livros
  • Pesquisadores
  • Personal Stylist
  • Advogado (sim!)
  • Coaching
  • Assistente Virtual
  • Arquiteto ou designer de interiores

Todos esses profissionais continuam em suas áreas de atuação, só que criaram um segmento próprio dentro dela. Eles mantiveram sua carreira, seus diplomas e especializações, mas mudaram a direção que a carreira estava seguindo e hoje conseguem trabalhar remotamente de qualquer lugar do mundo.

Nenhuma carreira te convenceu ou te deu uma ideia incrível?

Se a ideia ainda não surgiu – e aqui tô deduzindo que você não ia deixar passar uma ideia incrível porque ela vai dar muito trabalho, porque assim é melhor desistir antes mesmo de começar – essas são algumas categorias importantes que podem te ajudar a desenvolver um negócio novo baseado no que você já sabe:

Conhecimento
Liste as coisas que você sabe fazer e as que estaria disposto a aprender a longo prazo. Programação pode ser extremamente válido, design também, mas não se prenda nesses aprendizados óbvios que muita gente acha que poderia ser a base de seus ganhos. Trabalhe com a sua vantagem competitiva: o que você já sabe hoje.

Tipo de clientes
Se você sabe trabalhar com clientes de pequeno porte que possuem suas próprias empresas, ou donos de agência de publicidade, por exemplo, você pode continuar atraindo esse tipo de cliente enquanto viaja o mundo. Mais uma vez: use o que você já sabe a seu favor. Você pode criar um formato em que possa receber um valor fixo por mês com clientes constantes, uma consultoria mensal para auxilio a distância ou até encontrar clientes nos locais que você está indo morar, vendendo sua expertise mostrando seus cases de sucesso.

Língua e Cultura
Se você é fluente em mais de uma língua, tente mistura-la com o conhecimento do trabalho que você já exerce. O fato de você ter conhecimento na área é um bonus enorme, e unindo o que você já sabe com a língua do local que você pretende ir, ou até mesmo só o inglês para aplicar esse trabalho digitalmente, já pode te trazer uma vantagem competitiva enorme. Tente encontrar um gap no mercado que você trabalha. E, é claro, você sempre pode aprender uma língua nova pela internet também.

Crie Conteúdo
Além de todos os seus contatos que você já desenvolveu a vida toda na carreira, que serão as peças chave para seus primeiros trabalhos, indicações e referências, lembre-se também em como conseguir seus primeiros clientes do zero. Criar conteúdo online sobre o que você conhece irá te aproximar de pessoas que se interessam pelo assunto e, no futuro, te tornar uma referência no tema. Inclusive, essas dicas podem te ajudar a escrever melhor. Além das próprias referências dos seus clientes ao longo da vida, essa validação de que você sabe do que está falando ajuda muito a conquistar pessoas.

Não é da noite para o dia que se cria um projeto, que se negocia com o seu chefe ou que se junta dinheiro para arriscar em alguma coisa nova. Trace um plano, faça uma timeline, desenhe os passos que você vai dar e corra atrás do tipo de trabalho que funciona pra você, que será diferente de tudo que já funcionou para qualquer outra pessoa.

O que você não pode é sonhar com viajar o mundo enquanto trabalha e nunca nem parar para pensar: como eu poderia fazer o trabalho que eu faço hoje sentado no sofá da minha sala? A partir daí, cara, é do sofá para o mundo. ;)

Comentários