Como é viajar com cachorros de trem pela Europa?

Há mais ou menos dois meses eu, o Fê, a Lisa e o Luca nos mudamos de Berlim para Budapeste. Seria só mais uma mudança comum, dentre várias que já fizemos nos últimos dois anos nessa vida de nômades digitais, mas essa foi diferente: viajar com cachorros de trem pela Europa foi uma experiência totalmente nova! Foi uma viagem longa, de pouco mais de 12 horas, e fizemos tudo isso com uma mala gigante e nossos dois cachorros – a Lisa em uma mochilinha e o Luca na coleira mesmo.

Ei! Eu tenho um site TODINHO dedicado a viagens com animais. Vem ver!

Viajar com cachorros de trem sempre foi uma experiência que eu sonhava, especialmente aqui dentro da Europa. Mudar de país de avião, com meus dois cachorros o tempo todo, é um trabalho enorme e que eu sempre morro de medo de dar alguma coisa errada. Sempre enxerguei o trem como uma alternativa muito legal para conseguir mudar de país eles sem me preocupar tanto. E eu estava realmente certa! Mesmo sendo uma viagem longa, sem trocas de trem no meio do percurso e sem possibilidade de sair para dar uma voltinha, a viagem foi bem mais tranquila do que viajar com cachorros de avião.

Quando eu digo tranquila, é claro, tem muito a ver com perspectiva: nós já viajamos várias vezes de avião, de carro e até de carona, com a Lisa e o Luca esmagados dentro de uma só caixa de transporte. Então, quando eu falo sobre tranquilidade, é que eu me sinto melhor de viajar com cachorros sabendo que os dois estão bem durante todo o percurso – porque, afinal, no trem eles estão junto comigo. De avião, mesmo eu tomando todas as precauções que tomo e detalho aqui no nosso ebook sobre viajar com cachorros e gatos de avião, eu ainda dependo de outras pessoas para que a viagem deles seja perfeita. E isso é uma coisa que sempre me preocupa muito.

Viajar com cachorros de trem pela Europa foi algo bem mais fácil do que eu esperava – já que a maior parte da UE tem fronteiras livres e ninguém checou nenhum dos seus documentos. O fato dos dois serem adestrados ajudou bastante, mas mesmo assim, dentro do trem logo, após o embarque, eles ficaram bem estressados. Sentir aquele troço se mexendo e fazendo barulhos estranhos é bem incômodo no começo, mas quando achamos um cantinho confortável eles sossegaram e dormiram super bem.

Vamos as informações sobre todo esse processo?

Posso viajar com cachorros de trem por toda a Europa?

Infelizmente não. Em alguns países eles tem leis mais restritas sobre a viagem com animais por trem e alguns países podem até proibir. Essa proibição é o caso de Portugal, por exemplo. Na Espanha, você só pode viajar com cachorros na bolsa de transporte, então não é possível levar um cachorro grande no trem contigo – só alguns poucos trens aceitam animais na coleira, e normalmente quando o seu destino é fora da Espanha. Isso varia de país para país, mas é importante que você já faça a busca desses trajetos com antecedência para ver se poderá viajar com seu bichinho ou não, usando trens, antes mesmo de sair de casa.

Como comprar passagens de trem para cachorros?

Depende da companhia ferroviária que faz o trajeto que vocês querem viajar. Primeiro você precisa descobrir qual companhia opera esse caminho e, só então, poderá pesquisar melhor sobre como levar animais – e, principalmente, se isso é permitido.

Nossa viagem foi operada pela DB Bahn – mesmo que o trem que nós usamos não seja da companhia, era de um dos seus parceiros, que no caso era uma companhia húngara, e compramos no guichê deles na Hauptbahnhof, em Berlim. No caso da DB Bahn, você está autorizado a transportar animais de qualquer tamanho no trem – na bolsa de transporte sem pagar nada, ou na coleira pagando metade do preço de uma passagem.. Eles explicam mais ou menos aqui – mas é meio confuso.

Caso você tenha mais de um animal, também precisa confirmar com a companhia que pode levar mais de um bicho por pessoa. Se você está em casal e essa lei se aplicar, é só colocar um animal no nome de cada um dos passageiros. Esse não é o caso da DB Bahn, mas no Trenitália é só um animal por passageiro, por exemplo. Alguns trens também só aceitam viagens com animais durante a noite, em trens noturnos, então é bom pesquisar individualmente cada uma das suas opções antes de finalizar a compra.

Para viajar com cachorros pequenos, que cabem em uma bolsa de transporte, você normalmente não paga nada por isso. Esse foi o caso da Lisa, que levamos dentro de uma mochila de transporte e não pagamos nada para o seu transporte. Em algumas companhias, é importante ver se eles definem alguma obrigatoriedade da bolsa, como um tamanho máximo, tapete higiênico forrando o chão da bolsa ou até potinhos de comida e água. A DB Bahn não tem exigência extra para isso.

Caso ele seja muito grande e você precise leva-lo na coleira, precisará comprar a passagem para ele – no caso da DB Bahn, é uma passagem infantil, que custa a metade do preço de uma passagem de adulto. Esse foi o caso do Luca, que levamos na coleira durante toda a viagem. Aqui é importante ter certeza que o animal poderá viajar no trem dessa forma, porque algumas companhias não aceitam animais fora da bolsa de transporte. Não esqueça de também comprar uma focinheira, caso eles peçam para você colocar.

O problema é que essa passagem infantil que você precisa comprar para viajar com cachorros só na coleira, ao menos na DB Bahn, precisa obrigatoriamente estar impressa. Então temos duas opções:

1. você compra com antecedência e pede para te entregarem no hotel ou na casa que você mora/está hospedado, pagando uma taxa extra

2. você precisar ir até a estação de trem comprar pessoalmente, no próprio guichê

Como compramos nossa passagem de última hora, e também para garantir que não teria nenhum erro, nós fomos até a estação de trem de Berlim e compramos pessoalmente, direto no guichê da companhia, alguns dias antes da viagem.

Se você está comprando com antecedência a passagem de trem pelo site, no entanto, é importante tomar cuidado com a hora da compra: se você só adicionar uma criança na sua reserva, o site não vai cobrar o valor da viagem dela, porque todo adulto pode viajar com uma criança gratuitamente – o que não se aplica aos cachorros, infelizmente. Então você precisa comprar a sua própria passagem primeiro, finalizar a compra e só então comprar uma passagem como se fosse uma criança viajando sozinha, tudo para conseguir pagar uma passagem que custa metade do preço da sua – e também para ter a opção de só entregarem a passagem do seu cão. Confuso, né?

Mandamos email para a DB Bahn e, assim como no site, eles não sabiam muito bem como nos orientar. Por isso acabamos indo até a estação de trem. Foi a melhor decisão! Compramos a passagem com alguns dias de antecedência sem maiores problemas, conseguimos tirar algumas dúvidas e estávamos com a certeza de que o Luca poderia viajar com a gente. Uma coisa bacana dos trens é que muitos dos trajetos são super frequentes, então é bem difícil que o trem inteiro esteja reservado caso você vá comprar passagens com só alguns dias de antecedência – isso permite que você chegue na cidade e consiga comprar o próximo trem dentro da própria estação, com um intervalo bem curto de só alguns dias até a sua viagem.

Um site (em inglês) que me ajudou a saber quais eram as companhias ferroviárias que eu precisaria utilizar e também se elas aceitavam ou não cachorros foi o Seat61, que você pode acessar clicando aqui.

Quais documentos eu preciso e o que comprar para viajar com cachorros de trem?

Isso vai de acordo com o país de destino. Dentro da União Européia, é obrigatório que o animal seja microchipado e que sua vacina antirrábica esteja em dia, com o comprovante certinho na carteirinha de vacinação – seja uma carteirinha de vacinação brasileira ou o passaporte europeu dele.

Na minha viagem, eu levei o passaporte europeu dos meus dois cachorros junto com meu documento, mas ninguém me pediu absolutamente nada deles. Se você não sabe como fazer o passaporte europeu dos seus animais, eu detalho tudo no nosso ebook sobre viajar com cachorros e gatos pelo mundo, é só clicar aqui.

Caso você esteja indo para o Reino Unido, por exemplo, seu animal também precisa de um tratamento contra tênia – tapeworm – como está descrito aqui. Além disso, você só pode viajar com cachorros e gatos por rotas autorizadas pelo Reino Unido, que estão aqui nesse link.

Antes de viajar com cachorros de um país para o outro, é importante verificar também se no país de destino não tem nenhum tipo de doença ou epidemia que possa ser perigosa para o seu bichinho, e aí já tomar uma vacina preventiva para não ter problema nenhum.

Caso você tenha um cachorro pequeno, mais pra baixo falo sobre a bolsa de transporte da Lisa. Caso seu cachorro seja grande, é importante comprar uma focinheira para ele, só por garantia. Eles podem pedir que você coloque. Ninguém pediu que o Luca colocasse, mas na dúvida é melhor sempre ter uma focinheira em mãos!

Como foi a viagem de trem com meus cachorros

Temos um vídeo mostrando todo o trajeto no nosso canal no Youtube!

Nós reservamos um assento para nós dois na parte econômica do trem. Queríamos ter comprado uma cabine, mas para isso teríamos que reservar seis assentos, além de pagar o preço extra do Luca, e acabava ficando muito caro. Aí fomos na econômica mesmo.

Uma coisa que não faz muito sentido, mas é normal, é que apesar de nós pagarmos o preço de uma passagem de criança para nosso cachorro viajar na coleira, não temos direito a um assento extra por isso – como aconteceria caso nós estivéssemos realmente viajando com uma criança, eu suponho. Então, quando chegamos nos nossos lugares do trem, tivemos o primeiro problema: eram 4 lugares, dois de frente para os outros dois, e não tinha nenhum espaço, mesa ou divisória. Os dois assentos na nossa frente já estavam ocupados, os corredores eram bem apertados e era impossível manter a Lisa ou o Luca no corredor, sem nem contar a nossa mala de viagem. Os cães também não cabiam nos nossos pés embaixo do banco.

Os lugares para colocar as malas eram apenas em cima dos assentos, e como nossa mala era muito grande e pesada, era impossível colocar ali em cima – independentemente do peso, ela nem caberia, pra falar a verdade. Então, além de estarmos com a Lisa em uma mochila, o Luca na mão e uma mala de mão, também estávamos tentando arranjar uma forma de colocar a nossa mala enorme em um canto do trem.

O que, é óbvio, não deu muito certo.

O trem que pegamos era bem ruim, sem nenhum espaço extra para as malas dos passageiros – e como a gente estava de mudança, ficou uma coisa meio tensa! Eu sei que vários trens, inclusive alguns que já pegamos para viagens curtas, tem um espaço para você colocar, mesmo que fique longe do seu assento. Só que esse não tinha nenhum cantinho! Como os dois assentos que ficavam na nossa frente estavam ocupados, acabamos desistindo dos lugares que compramos logo no começo da viagem. Como tudo estava muito cheio, acabamos indo lá para o final do trem – no final do vagão, onde dava pra ver o trilho do trem mesmo – e ficamos sentados ali no chão, naquele espacinho que ficava logo ao lado de um banheiro e com duas portas para as pessoas entrarem e saírem do trem nas suas paradas.

Como já era de se esperar, era um lugar horrível pra passar 12 horas, mas pelo menos conseguimos colocar todas as nossas coisas e ficar mais tranquilos com os cães.

Só que no nosso caminho até o fim do trem, nós vimos como eram as cabines fechadas dele. A maioria delas não tinha sido reservada por ninguém, mas estava ocupada por pessoas que chegaram e tomaram um daqueles lugares, sem reserva mesmo – até então a gente nem sabia que poderíamos fazer isso. Como a próxima parada do trem era em Dresden, uma cidade que muita gente costuma sair, ficamos de olho na movimentação dessas cabines sem dono pré marcado. Assim que as pessoas esvaziaram uma cabine que não tinha reserva, BAM, fomos correndo até lá e colocamos nossas coisas. Depois disso, foi só alegria!

Ir para uma cabine fez com que a viagem melhorasse umas 200x e é essa estratégia que estamos pensando em fazer na próxima viagem também: não comprar assentos e tentar encontrar um canto mais confortável que não esteja reservado dentro do trem. Se não funcionar, ficamos sentados em algum canto no chão mesmo – desconforto por desconforto, pelo menos damos a chance de conseguir alguma coisa melhor, né?

Nossa única conexão foi já dentro da Hungria, em uma cidade chamada Vac, e o outro trem que pegamos era bilhões de vezes melhor do que o primeiro: bem iluminado, novo, com wi-fi e super confortável. Então parece que você nunca sabe exatamente qual é o estado do trem que vai pegar até realmente entrar dentro dele.

A nossa viagem teve mais de 12 horas e a Lisa e o Luca não fizeram xixi em nenhum lugar – nem mesmo quando trocamos de trem, porque estávamos dentro de uma estação e eles não se sentiram muito confortáveis pra fazer ali. Só fizeram xixi de novo quando chegaram em Budapeste! Caso seu cachorro não seja treinado, é bom sempre levar um tapete higiênico e ir com ele algumas vezes no banheiro para ver se ele não quer fazer nada. As paradas do trem são super rápidas e não costuma dar tempo de sair e voltar.

Qual é a bolsa de transporte que posso viajar com cachorros de trem?

Para os cães – e até gatos – pequenos, a melhor solução é mesmo a bolsa de transporte. Você pode comprar uma de qualquer tamanho, desde que consiga carregar numa boa e seu animal caiba ali dentro. Pelo menos da DB Bahn eles não dão nenhuma especificação de tamanho, material nem nada, é só a que você achar melhor para os eu bichinho mesmo. Mas é sempre bom confirmar direitinho no site da empresa!

Eu comprei uma mochila de transporte da marca Trixie em um pet shop alemão e a Lisa adorou, mas acabamos usando ela muito pouco durante toda a viagem. Na maior parte do tempo a Lisa ficou pra fora, na coleira mesmo, e não dentro da bolsa. Quando passavam verificando os tickets, ninguém questionou o fato dela estar pra fora da bolsa de transporte também – acho que é mais uma coisa de que, caso seja necessário, a bolsa está ali. Se ela não incomodar ninguém, não tem muito problema.

Você indica viajar com cachorros de trem?

Apesar desses pequenos perrengues com a mala e o desconforto do trem até nos arranjarmos, eu ainda acho que viajar com cachorros ou gatos de trem é a segunda melhor opção para transporta-los de um país para o outro. A primeira, é claro, é o aluguel de um carro, mas nem sempre isso é viável.

Viajar de trem faz com que você esteja ao lado do seu bichinho o tempo todo durante o trajeto, por mais longo ou desconfortável que ela seja, e saiba que tudo está bem. Depois dessa primeira viagem, estamos pensando em várias outras viagens com a Lisa e o Luca de trem – só que dessa vez levando apenas duas malas de mão, pra evitar esse rolê enorme por causa de uma mala grande.

É um dia cansativo? Sim. Mas qual dia de mudança é cansativo, né?
Pelo menos eu sei que os dois estão bem e sob os meus cuidados. :D

Se você quer sair do Brasil com seu cachorro ou gato e não tem a menor ideia de como fazer isso, criamos um ebook contando todos os passos explicadinhos que fizemos para sair do Brasil e viajar o mundo com nossos dois cães. É só clicar aqui para conhecer! :) 

Comentários