O que mudou desde que adestrei meus cachorros?

Você vê as fotos dos nossos cães pelo blog e acha uma gracinha (tão bonzinhos!), mas a verdade é que eles nem sempre foram assim. Passear com a Lisa e o Luca era uma tarefa terrível, que me fazia voltar pra casa quase chorando todos os dias.

Quando decidi sair de São Paulo e ir morar pelo mundo com meus dois vira latas, pensar em adestramento virou uma necessidade muito séria por aqui. Mesmo antes de viajar, tentamos chamar uma adestradora, que se assustou com o monstruosidade deles e desistiu no primeiro dia. Eles só saíam de casa para ir passear com um dog walker duas vezes por semana – porque nós não tínhamos coragem de sair com eles não.

Ei, eu tenho um site todinho dedicado a viajar com animais agora. Vem dar uma olhada!

A convivência com outros cachorros andando com o dog walker deu uma melhorada, mas, ainda assim, os dois estavam muito longe de serem cachorros minimamente sociáveis com outros cães ou até capazes de andar sem quase se sufocarem sozinhos. Os dois são lindos dentro de casa, super obedientes, nunca destroem nada. Sempre foram muito certinhos. Mas colocar as quatro patinhas de cada um deles pra fora de casa eram experiências traumatizantes.

Logo que mudamos também tentei uma adestradora em Berlim e, assim como a de São Paulo, ela desistiu logo no primeiro dia. Eles eram tão loucos que até as adestradoras ficaram assustadas. Foi aí que eu percebi que se alguém fosse adestrar a Lisa e o Luca, esse alguém seria eu.

Fiquei seis meses passeando individualmente com eles na rua e assistindo a uma tonelada de vídeos no Youtube sobre adestramento. Quase todos os dias eu voltava pra casa arranhada, machucada e com as pernas sangrando. Perdi a conta de quantas vezes voltei chorando do passeio, frustrada, roxa, com os dedos cortados e sem ter a menor ideia do que fazer.

Em São Paulo eu vivia em um apartamento imenso, tinha dog walker, os dois corriam o dia todo pela casa e tinham um canto específico pra xixi e cocô. Eu não pensei em adestramento até esse momento simplesmente porque achava que não precisava adestrar, que nunca daria certo porque eles eram muito loucos mesmo e era isso aí. Mas, chegando em Berlim, eu não tinha nada disso e sabia que não teríamos mais essas mordomias morando um pouco em cada canto do mundo. Acima de tudo, queríamos aproveitar a vida dog-friendly da cidade e deixar eles curtirem mais também.

Quando mudamos para a Europa, a Lisa e o Luca tinham mais ou menos 6 anos, uma idade que muita gente acredita que não dá mais para adestrar um cachorro. Depois de milhões de horas, muita paciência, muitos machucados e aprendizados em conjunto, eu consigo dizer: é possível sim adestrar um cachorro adulto. Isso vai mudar a qualidade de vida do seu cachorro e também a sua e nunca é tarde para começar.

Hoje a Lisa e o Luca passeiam comigo numa boa, andam de bicicleta, correm do meu lado, cheiram cachorros na praça, brincam entre si, ficam soltos nos parques e são milhões, bilhões de vezes mais sociáveis do que eles eram há dois anos. Não, não foi fácil, especialmente porque eles tinham vários traumas com cachorros e hábitos de muitos anos. Mas sim, é possível. E o resultado é incrível! ❤️

depois que adestrei meus cachorros

Uma tarde no parque é um dia feliz

pequenos-monstros-adestramento-cachorros-5

Quem tem um cachorro que não se dá bem com outros cachorros vai entender o que eu quero dizer aqui. Sair com a Lisa e o Luca para um parque ou uma praça, uma atividade que deveria ser deliciosa para todos nós, era terrível. Eu passava o tempo todo vigiando quando um cachorro entrava ou saía do nosso campo de visão, os dois começavam a latir muito e precisavam ficar o tempo todo na coleira, nunca brincavam entre si, não cheiravam a grama, não ficavam se coçando igual o Luca aqui em cima, não exploravam, não interagiam nem com a gente e nem com nada. E eu não conseguia fazer absolutamente nada que não fosse segurar bem forte a coleira dos dois e ficar dando bronca neles. Que passeio incrível, né? Só que não.

Picnic? Nem pensar. Sentar na praça para ler um livro? Jamais! Curtir o fim de tarde aproveitando o sol? Só se eu quisesse voltar toda machucada e sangrando para casa.

Agora conseguimos fazer tudo isso, os dois ficam soltos, voltam quando nós chamamos, cheiram outros cachorros e tem uma vida de cachorro mesmo, em que eles rolam na grama e até fazem novos amigos. A vida é muito melhor assim. ❤️

 

Eles são mais saudáveis

O adestramento é uma coisa que transforma não só a vida do dono, mas especialmente a vida do cachorro. Depois que ele começa a ser adestrado, você realmente QUER sair com ele, e isso faz com que ele se exercite muito mais, corra, ganhe músculos, interaja com a natureza, com outros cachorros e tenha a possibilidade de explorar mais, uma coisa muito importante para a saúde dos cães.

O Luca tem um problema bem sério de coluna desde filhote. Sendo um cachorro extremamente ansioso, que chorava, puxava a coleira e latia sem parar, ele ficava travado quase toda semana e precisava tomar vários remédios. Depois que começamos a fazer mais exercícios, sua ansiedade diminuiu muito, ele ficou mais tranquilo, seus músculos se desenvolveram e hoje ele passeia por horas junto comigo sem sentir absolutamente nenhuma dor no dia seguinte. E sei que tudo isso foi graças aos exercícios físicos – que só foram possíveis graças ao adestramento. Hoje ele até corre do meu lado de bicicleta e de patins (e ama)!

 

Eles são minha companhia para todos os momentos

Se eu quiser sair para um café sozinha, levando só um ou dois dos meus cachorros, sei que não vou ter problemas. Tem dias que saímos para trabalhar e levamos um deles. Fazemos picnic na praça. Andamos de metrô. Corremos de bicicleta. Saímos com nossos amigos. Podemos mesmo fazer tudo ao lado deles. Tudo isso porque agora eles estão adestrados. 

Ter a companhia do seu cachorro em atividades do cotidiano é um privilégio que ainda não podemos curtir completamente em todos os lugares do mundo, mas é só pesquisar antes se estabelecimento aceita seu cãozinho que tá tudo certo. E é uma sensação muito legal estar ali, sozinha ou acompanhada de outras pessoas, sabendo que seu cachorro também está aproveitando aquele momento do seu lado.

 

Viajar não é mais tão tenso

Viajar com cachorros nunca vai ser a experiência mais tranquila do planeta. Falo muito sobre isso no nosso ebook sobre viajar com animais para fora do Brasil. Mas viajar com eles sabendo que posso chegar nos aeroportos pelo mundo, colocar eles na coleira e saber que eles não vão dar um escândalo já me deixa mil vezes mais aliviada. A mesma coisa acontece com viagens de carro: antes eu tinha medo de tirá-los de dentro do carro e eles começarem a latir igual dois malucos, e agora eu já sei o que funciona melhor para os dois ficarem mais tranquilos. De um ano pra cá, sim, eles começaram a aproveitar de verdade essas viagens – e hoje eles amam mais que tudo viajar de carro!

A mesma coisa acontece com viajar de trem. Eu nunca teria viajado de trem com eles se os dois se comportassem como há dois anos. NUNCA. E há um mês eu viajei sozinha de trem levando os dois e até dividi uma cabine com uma senhora alemã em algumas paradas. Deu tudo certo.

 

A relação com seu cão muda pra melhor

Antigamente eu ouvia uma história boba sobre como “adestrar cachorros é tirar sua personalidade”. Depois de ter conversado por horas com duas adestradoras diferentes, que seguiam métodos completamente diferentes, eu fui entender que esse conceito está totalmente errado. Cães são animais que vivem em matilhas e toda matilha tem o seu líder. Eles nasceram para seguir o líder da matilha. E você, como dono do seu cachorro, precisa ser esse líder. Precisa definir o que ele pode fazer e o que não pode. Ele precisa – de verdade! – de limites. Ele precisa ouvir a sua voz para entender onde pode e não pode ir, o que pode ou não pode fazer. Ele precisa obedecer alguém

Depois que eu entendi isso e comecei a adestrar meus cachorros pensando nessa ideia, as coisas mudaram muito. Hoje eu vejo como meus cachorros me procuram para tomar suas decisões, nós temos uma relação muito mais próxima e sei que eles estão mais calmos, menos ansiosos e mais felizes comigo no dia a dia. E tudo isso só mudou por causa do adestramento.

 

Além desses cinco destaques, tem muitas outras coisinhas do nosso cotidiano que mudaram completamente tendo cachorros adestrados. Eles sabem os horários dos passeios, estão ainda mais educados em casa – nunca aprontam ou fazem suas necessidades dentro de casa –, gastam suas energias e descansam a tarde toda, brincam mais entre si e são ainda mais amorosos do que antes.

Agora eles estão realmente nos acompanhando em todos os cantos e estão cada vez mais obedientes! Adestramento é uma atividade que você vai fazer para o resto da sua vida. Não tem day-off. Todo dia de passeio é dia de adestrar seu cachorro. Toda descida de escada é dia de mostrar pra ele que ele precisa descer do seu lado. Toda vez você precisa reforçar os comandos, relembrar o que eles podem ou não fazer e dar parabéns pelas coisas que fazem certo. Isso vira uma rotina muito gostosa de curtir com seu bichinho, porque você vê sua evolução todos os dias. <3

É claro que ainda existe um caminho pela frente até eles alcançarem o que chamamos de padrão alemão. Eles ainda latem quando estão muito estressados ou em momentos que sentem que tem alguma coisa muito diferente acontecendo, mas até a forma deles latirem mudou. Antigamente parecia que eu estava torturando os dois sem nem encostar neles, as pessoas ficavam olhando em pânico, era horrível. Eles não latiam. Eles gritavam, esperneavam, cavalgavam, tentavam se soltar da coleira a qualquer custo, babavam, era surreal. Hoje eles só latem como cachorros normais mesmo. Tá tudo ótimo assim.

pequenos-monstros-adestramento-cachorros-6

Se eu fosse dar uma só dica para alguém que quer aproveitar mais a vida ao lado do seu cachorro, com certeza ela seria: adestramento, já! É importante para sua qualidade de vida e a do seu bichinho.

E seu cachorro? Já teve alguma experiência com adestramento? Você consegue ver sua evolução? Conta aqui embaixo! :D

Comentários