Um final de semana de experiências em Bolonha, na Itália

Já faz muito tempo que estamos ansiosos para conhecer a Itália. Não precisamos nem explicar muito porquê, né? Paisagens e histórias incríveis, família vinda de lá, comidas, bebidas e tradições que até hoje fazem nossos corações suspirarem… a Itália é um país tão presente no nosso dia a dia como brasileiros e paulistanos que é difícil não ter curiosidade de ao menos dar uma passadinha ali para ouvir italiano, beber um bom vinho e comer alguma massa sensacional.

Por isso mesmo, quando fomos convidados pelo Bologna Welcome para fazer parte do #TheBrilliantWeekend foi uma surpresa incrível! Conhecer um país novo, especialmente uma cidade que nunca pensamos antes, com um roteirinho criado por pessoas apaixonadas pela cidade que sabem alguns dos cantos mais especiais dali. Como dizer não?

Lá fomos nós, então, passar um final de semana em Bolonha!

Como o convite e a data da viagem eram super próximas – coisa de nem duas semanas entre uma e outra – chegamos em Bolonha sabendo só o básico sobre a cidade. O básico, nesse caso, era o tal do molho bolonhesa. Depois de uma lidinha rápida na Wikipedia, já sabíamos que o molho à bolonhesa na cidade se chama mesmo ragù, e só fora da Bolonha, mas ainda na Itália, que você lê “ragù alla bolognese” nos menus. Informação essencial para os dias que estavam por vir, né?

Assim que chegamos no aeroporto fomos recebidos pela Valentina e pela Sara, que trabalham no Bologna Welcome, e até o centro da cidade elas nos contaram muitas informações legais sobre a região e tudo que tem ao redor dali. Ficamos hospedados no Hotel Roma, que tem uma localização bacana para quem vai ficar só alguns dias na cidade porque é bem no centrão de tudo e perto da praça principal da cidade.

Bolonha fica no estado de Emilia Romagna, famoso por ser a origem de coisas como:

  •  algumas das montadoras de carros mais famosas do mundo, como a Ferrari, Maserati, Lamborghini e Ducati
  • o Lambrusco, um vinho frizzante delicioso
  • o aceto balsâmico
  • Papas da Igreja Católica (sério, já saíram pelo menos 5 papas só da Bolonha)

Mas além de história, pontos turísticos, queijos maravilhosos, lambrusco, embutidos e carros milionários, queremos falar sobre algumas das experiências únicas que vivemos ali – além dos lugares deliciosos que comemos e bebemos! Vamos nessa?

Al Capello Rosso

Nossa primeira parada assim que deixamos nossas coisas no hotel foi o primeiro restaurante italiano na Itália da nossa vida! O Al Capello Rosso é um restaurante lindinho no centro da cidade que você pode experimentar algumas massas – dentre elas, é claro que o molho bolonhesa também – e sobremesas incríveis, tudo feito no mesmo dia e a mão ali na cozinha do próprio restaurante. Delícia! Não tinha como começar melhor!

Comer um gelatto

Em qualquer lugar, a qualquer hora. Voltando do cinema a céu aberto para o hotel, passamos pela rua principal do centro e lá estavam elas: a meia noite, várias gelatterias abertas com sorvetes italianos maravilhosos. Uma vez na Itália, sempre tome sorvete. Mesmo que seja logo antes de ir dormir. <3

Il Cameo Ristoro

O Il Cameo é um espaço aberto como se fosse um jardim, em que você escolhe seu prato, sua bebida e fica ali, tranquilo, curtindo o calorzinho bom no começo da noite na cidade. É uma mistura de espaço cultural, cinema a céu aberto, galeria, restaurante e bar. A gente foi pra Bolonha bem durante um festival de cinema – falamos mais dele para baixo – e por isso a gente deu sorte de ver a exibição de filmes mudos da forma que eles faziam antigamente: com um projetor super antigo e um pianista fazendo a trilha ao vivo! Demais, né?

Borgo 979

Antes de sair de Bolonha eu também tinha outra missão: comer uma piadina. Essa espécie de panqueca italiana ganhou meu coração enquanto morava em Portugal e queria muito saber como era uma tradicional italiana. Fomos parar no Borgo 979 por acaso, porque a frente dele super charmosa chamou nossa atenção, e ali dividimos uma piadina – meia hora antes do jantar, por motivos de: ITÁLIA – tomando uma spritz, um drink com aperol (Campari, sabe?) que todo mundo bebe por esses lados durante o verão. O lugar era tão gostoso que acabamos pedindo também uma tábua de queijos – que, especialmente na Itália, não vai ter erro. Nunca. E não teve mesmo! 😃

L’Arco degli Arbari

Se você quiser escolher um só lugar dessa lista para sentar e aproveitar em Bolonha, eu sugiro que seja o L’Arco degli Arbari. É o tipo de lugar simples, sem frescura, mas com um atendimento tão legal, tábuas de queijos, frios e pães tão cuidadosamente preparados e com pessoas tão apaixonadas pelo que fazem que dá vontade de ficar a tarde toda por ali.

A Laura, que nos atendeu no nosso último almoço antes de sairmos de Bolonha, contou pra gente a origem de cada um dos queijos e frios que estavam nos nossos pratos. Com aquele brilho nos olhos de quem foi até o lugar, conheceu a produção, selecionou individualmente cada coisa e trouxe para o restaurante com todo o carinho do mundo, sabe? O vinho também foi da mesma maneira: enquanto estava viajando pelos arredores de Bolonha – caçando os melhores produtores para o restaurante – ela viu uma plaquinha sobre vinhos em uma cidadezinha minúscula, de mais ou menos 400 habitantes, e resolveu parar para experimentar. Amou tanto que levou para o restaurante – ainda bem, já que fazia uma combinação de deuses italianos para o calor de 32 graus do domingo!

O Arco é um lugar para passar a tarde sem pressa conversando, petiscando e bebendo, tudo isso da forma mais italiana – bolognesa! – possível.

Aula de Culinária Italiana

Imagine ir para a Itália e aprender a cozinhar dentro da casa de um sfogline, um cozinheiro profissional que faz massas caseiras para restaurantes. Conhecer a sua cozinha, seus materiais e conversar por horas dentro de uma cozinha italiana, o coração da Itália. Aprender a fazer alguns pratos maravilhosos e, no fim de tudo, sentar e jantar o que você criou com suas mãos, bebendo vinho e conversando.

Foi exatamente isso que nós fizemos!

Conhecemos o Mario, um sfogline bolonhês que nos levou para dentro da sua casa – que era tão linda e característica que fez a gente se sentir dentro de algum filme da Julia Roberts (ok, pode ser do Woody Allen também) – e juntos cozinhamos tortelloni, lasagna e bolo de arroz. Fizemos a massa, moldamos cada um dos tortellonis e comemos tudo no final. Demais, né? Foi a melhor experiência da viagem!

Essa experiência e várias outras muito legais, que dão essa sensação de nos afundarem dentro da cultura gastronômica da Itália, vieram desse site chamado Cesarine. Eles têm essas experiências em algumas cidades da Itália e vale muito a pena dar uma olhada!

Modena

Dentro do programa que criaram pra gente estava incluso uma ida para a cidade de Modena, ali perto de Bolonha. Não estávamos muito empolgados porque teríamos que sair da cidade que mal conhecíamos, mas já considerávamos pacas, mas valeu muito a pena!

Fizemos o tour Ferrari & Pavarotti Land, que dá acesso a várias coisas diferentes pela região: dois museus da Ferrari – que surgiu na cidade de Modena, um deles tem até um simulador do carro –, o museu do Pavarotti – não fomos, mas vai que você é fã –, o centro histórico da cidade e várias degustações, inclusive as duas daqui de baixo. Tudo no sistema de ônibus hop-on-hop-off em que você pode ficar quanto tempo quiser no lugar.
Modena em si é uma cidade pequena, mas bem gostosa de passar umas horas. A praça principal é patrimônio histórico pela Unesco e tudo mais.

Degustação de Lambrusco

Com esse tour também fizemos uma degustação de Lambrusco. Por causa da nossa rota, escolhemos a vinícola Gavioli. Lá a Eleonora nos levou por um passeio pelo museu contando sobre a história da produção do vinho ali da região e como que são produzidos os lambruscos. No fim também tem uma pequena exposição de carros que o dono da vinícola coleciona – inclusive o último carro que o Ayrton Senna usou antes da sua última corrida.

No fim do tour, está inclusa uma degustação de três lambruscos diferentes – de acordo com a sua preferência, pra não ter muito erro – com alguns petisquinhos.

Degustação de Aceto Balsâmico

Modena também é a região de onde o aceto balsâmico surgiu, e foi basicamente só por causa disso que fomos até essa degustação, na Acetaia Giusti. Afinal, você nunca pensa em ir ~degustar~ aceto balsâmico por aí, né? A Debbie nunca foi nem muito fã desse tipo de vinagre, mas estava curiosa para entender como era possível ter uma degustação dele. E ela ficou MUITO surpresa!

Para ser chamado de aceto balsâmico até hoje o produto precisa ter obrigatoriamente alguma parte do seu processo feita em Modena. Foi ali naquela região que as famílias começaram a fazer suas receitas há muitos e muitos anos, e várias seguem até hoje. Descobrimos VÁRIAS coisas interessantes sobre o Aceto Balsâmico, mas uma das mais legais foi que os barris que o aceto fica armazenado – que são como os de vinho, mas bem menores – ficam abertos durante todo o processo de envelhecimento, que pode durar mais de cem anos. Então, você entra nas salas que eles ficam armazenados, e sente aquele aroma cobrindo tudo.

Pra uma pessoa que nunca gostou muito do sabor do aceto balsâmico, depois de conhecer a história, fazer a degustação de vários tipos diferentes e entender como aquilo tudo surgiu, saímos de lá felizes da vida com uma garrafinha de aceto balsâmico direto de Modena para nossa casa. :)

Terrazza di San Petronio

Não sei nem quanto tempo essa experiência vai durar, mas quando você for para Bolonha vale muito a pena pesquisar sobre a Terrazza da igreja que fica na Piazza Maggiore, a principal de Bolonha. Na parte de trás dela você consegue ver uma portinha e uma sinalização indicando a entrada, mas tudo acontece no meio da reforma que eles estão fazendo lá em cima.

Você sobe em um elevador no meio da construção até lá em cima e, apesar de isso parecer meio bizarro, tem uma das vistas mais legais da cidade. É tudo bem simples, mas é uma vista muito legal pra quem está lá pela primeira vez. Parece que a cidade parou no tempo. Da quase pra ver o cara do Assassin’s Creed pulando de telhado em telhado. É até meio mágico.

Festival Il Cinema Ritrovato

Durante o final de semana que estivemos lá – e até o mês que vem – Bolonha recebe um festival de cinema muito importante para a Itália e para a região, o Il Cinema Ritrovato, que já está na sua 30ª edição! Ele é todo em homenagem ao cinema antigo e vários aficcionados por cinema viajam até lá todos os anos por causa disso.
Por causa do festival assistimos o filme no Cameo e também uma projeção incrível de Quai des Orfèvres, um filme francês de 1947, no meio da praça principal da cidade. A gente se sentiu muito voltando no tempo. Demais!

Exposição dos irmãos Lumière

Para comemorar os 30 anos do festival, eles trouxeram uma exposição muito legal dos irmãos Lumière, os criadores do cinema, para Bolonha. É uma exposição curta, que estava em Paris, mas muito bem preparada. Desde a hora que você entra já dá para entender quão especial ela é. Não estávamos esperando muito quando decidimos entrar, mas ela é realmente maravilhosa!

Essas experiências que vivemos foram todas reservadas pelo Bologna Welcome para nós – e eles tem milhares de outras variedades, de aventuras na natureza, passando por tour de bike, viagem pela Emilia Romagna conhecendo produtores de queijo (QUERO) e várias outras coisas legais e muito únicas! Se você está com planos de ir pra Bolonha, vale muito a pena entrar no site do Bologna Welcome e escolher alguma delas ou passar lá no escritório deles na Piazza Maggiore. É o tipo de experiência que foi feita com a curadoria de um bolonhês que ama a cidade de verdade, sabe? Isso dá um toque muito especial pra cada coisa. ❤️

Nossa viagem para a Bolonha foi curta, mas incrível, cheia de surpresas boas e suficiente para termos certeza que a Itália é um país que queremos explorar melhor o mais rápido possível! Vai que a gente muda pra lá ainda esse ano? 😛

Comentários