Câmeras para quem viaja muito

Quando viajamos, uma das coisas mais importantes pra gente é garantir boas fotos e vídeos aqui pro blog e pro nosso canal do Youtube, então nossos equipamentos são parte essencial da nossa mala. Sempre penamos muito para conseguir equilibrar uma boa produção com o fato de sempre estarmos de mudança e não podemos carregar muita coisa. Afinal, nessa nossa vida nômade, o que a gente tem se resume ao que a gente consegue carregar.

No começo de Outubro resolvemos sair desse limbo do equilibrando-pratos-do-jeito-que-dá e investir um pouco em novos equipamentos. Fizemos uma baita pesquisa, levando em conta o custo-benefício de cada um deles e as nossas necessidades, compramos e passamos os últimos meses testando cada um enquanto criávamos conteúdo pros nossos canais. Gostamos muito das nossas escolhas e é por isso que resolvemos falar delas por aqui. Também fizemos um vídeo pra quem é mais dos vídeos.

 

Qual câmera comprar?

Para nós, que somos dois, é bem importante termos mais de uma câmera. Assim, numa viagem, conseguimos produzir conteúdos diferentes com cada uma delas ao mesmo tempo. Pensando nisso, resolvemos criar essa combinação que achamos perfeita: uma câmera DSLR para termos mais controle, uma câmera compacta para mais flexibilidade e a action camera para situações especiais.

Vale lembrar que estamos sempre produzindo conteúdo e isso faz parte do nosso trabalho. Então nossas escolhas podem não ser exatamente as que você precisa. Para qualquer investimento nessas coisas, especialmente para quem gosta de viajar com pouco peso, é sempre legal se perguntar “eu preciso mesmo disso?”.

 

Câmera DSLR

Por definição, as câmeras DSLR são aquelas com um espelho dentro que você vê no visor analógico a mesma coisa que vai sair quando der o clique. Mas, deixando partes mais técnicas de lado, normalmente elas são aquelas maiores, com a possibilidade de trocar a lente e com mais configurações. Considere que estamos falando desse grupo, que geralmente possui mais opções de controle e um sensor maior, diretamente ligado a qualidade da foto.

As câmeras DSLR permitem fotos com maior qualidade e você pode brincar mais com fatores como ISO, abertura e velocidade da câmera. Em troca, elas normalmente são muito grandes, espaçosas e podem até ~assustar~ quando você aponta para alguém na rua ou resolve tirar foto do seu prato no restaurante. “Desculpe, senhor, tenho que pedir autorização para o gerente para fotos profissionais.”

Leia também: De reais para dólares – Transferindo o seu dinheiro para o Canadá da melhor forma!

A nossa escolha de DSLR foi a Canon Rebel T6S. Primeiro porque a minha primeira câmera foi uma Canon Rebel T1i, lá em 2010, e é com essa câmera que sempre tirei as fotos pro blog sem ter nenhum problema. É fácil de mexer e com um bom resultado. Outro fator importante: ela tem um ótimo custo benefício em comparação com outras no mesmo nível.

Claro que existem outras câmeras melhores da própria Canon, como a 7D Mark II ou a 5DS, mas elas custam muito mais que a linha Rebel e eu, não sendo um fotógrafo profissional, não preciso gastar tudo isso numa câmera nesse momento.

Como as câmeras DSLR trocam de lente, é bem possível que você vá querer ter várias lentes diferentes por aí. Saber usar as lentes de acordo com a situação realmente faz muita diferença nas fotos, mas deixa muito complicado de carregar. Por isso, eu prefiro ter uma lente só que funcione pra grande maioria das situações.

A minha escolha é um 18-135mm. É a única que uso sempre. Esse alcance grande permite diferentes resultados com uma só lente, o que é ótimo pra quem vive viajando.

 

Câmera compacta

A câmera compacta é aquela que todo mundo conhece, que vai desde as CyberShots até umas que custam bem mais que uma DSLR por aí. Elas são portáteis, fáceis de usar em qualquer lugar e não assusta ninguém quando você resolve tirar umas fotos internas. “Deve ser só um turista tirando umas fotos”.

Muita gente tem preconceito com câmeras compactas porque ~não são câmeras de fotógrafo~. Mas aí eu te pergunto: cê é um fotógrafo? Nem se fosse, tem muito fotógrafo bom que eu conheço que tira foto do iPhone mesmo, então querer uma super câmera normalmente é só uma desculpinha. Sem nem entrar no mérito de que quem faz um fotógrafo não é a câmera, né? Cada vez mais estão surgindo câmeras compactas ótimas, que permitem fotos incríveis. Se você quer só uma câmera pra tirar fotos de viagem, eu recomendo muito uma boa compacta mesmo.

A nossa escolha foi a Canon G7x. Ela está bem popular entre youtubers e não é a toa: ela não só é ótima para tirar fotos, mas também faz vídeos incríveis em HD. Ela não é barata, mas funciona pra todo tipo de situação, de configurações manuais para quem gosta e também opções manuais para quem nem saber usar uma câmera direito. Quase todos nossos vlogs externos e muitas das nossas fotos do Instagram são feitos com ela.

 

Action camera

Action cameras são aquelas que estão na linha GoPro da vida: criadas para serem usadas em situações de ação de uma forma que você não tem que ficar se preocupando muito com ela. Com a sua lente bem aberta, ela normalmente tem um uso mais definido, então não entendo direito quem usa pra fazer vlogs inteiros por exemplo. Não acho ela bacana pra um uso geral porque distorce a imagem e dá tontura de assistir vídeos longos gravados com ela.

Temos a nossa GoPro Hero 3+ para takes mais específicos, quando queremos prender a câmera em algum lugar – como no carro – ou coisa assim. Aliás, uma das coisas legais dela são os diferentes tipos de acessórios – do negócio pra prender na cabeça até para grudar na prancha de surf –, mas eles podem acabar ocupando muito espaço desnecessário na sua mala se você não planejar o que fazer com eles com antecedência.

Outra vantagem é que elas são relativamente baratas e com ótima qualidade. Mas, como eu disse, eu não teria uma action câmera como minha única câmera. E, a menos que você pratique vários esportes radicais, faça vários mergulhos ou coisa assim, não vejo sentido em você ter. Por mais bacana que pareça nos vídeos da GoPro, não é a câmera que vai te dar a coragem de pular de paraquedas.

 

Quais microfones comprar?

Sempre sofríamos demais na produção de vídeo. Tanto que demoramos um tempão pra realmente começar a criar coisas pro nosso Youtube. Nunca ficava muito do jeito que a gente queria e um dos grandes culpados disso era o áudio.

Por mais legal que seja a sua câmera, não dá pra gente sempre confiar no áudio dela. Vento, os carros buzinando, os cachorros latindo e todos os outros 1001 sons por aí influenciam muito na sua captação. Para resolver isso, nossa combinação foi:

um microfone direcional + 2 microfones de lapela conectados no celular

Microfone direcional

Esse tipo de microfone direcional é ótimo pra colocar em cima de câmeras DSLR. Ele consegue captar o áudio com uma qualidade muito maior que o da câmera, principalmente para lugares externos. É com ele que gravamos todos os vídeos onde estamos parados falando direto com a câmera.

Nossa escolha foi o Røde VideoMic Go, que tem ótimas avaliações na internet e funciona muito bem!

 

Microfone de lapela

Canta comigo: uma câmera DSLR assusta muita gente, uma câmera DLSR com um microfone acoplado assusta muito mais. Resolvemos o nosso problema da qualidade de som gravando na rua – e esse desconforto dos outros com microfones de lapela. Video changing!

Microfones de lapela são aqueles que normalmente aparecem como um pontinho preto, preso na roupa do entrevistado – Marília Gabriela, estou falando com você. Mas não queríamos ter nada pendurado na nossa roupa quando gravávamos na rua, então descobrimos um truque: pegamos dois pedacinhos de fita banana, colamos o microfone entre eles e colamos um lado na roupa e outro na pele. Assim, além de não aparecer, ajuda a garantir que a roupa não vai ficar fazendo barulho enquanto se mexe.

Então compramos dois Røde SmartLav+ – um para cada – e gravamos diretamente com o app deles com o iPhone no bolso. Depois é só sincronizar o áudio e pronto! Dá pra ter uma boa ideia nesse vídeo no metrô de Berlim, em que a gente teve que falar bem baixinho e mesmo assim funcionou!

 

Claro que não é a câmera que faz o fotógrafo (ou o videomaker) e aquela história toda, mas com esses equipamentos acho que nossa produção de conteúdo tem melhorado bastante! Pra ver mais do que temos produzido pelo mundo, segue a gente lá no Instagram (@debbiecorrano e @fepacheco) e assina nosso canal do Youtube! :)

Comentários