Conhecendo Munique, a queridinha da Alemanha

Munique é uma mistura entre cidade grande e cidade do interior alemão. Ok, vamos ser justos: ela é uma cidade grande e seus 1,4 milhões de habitantes não ficariam nada felizes com essa nossa dúvida, mas são tantos costumes locais alemães, diferentemente de Berlim, que ela fica parecendo pequena.

Quando chegamos nesse misto de história, cerveja, construções antigas e turistas já tínhamos certeza que faltaria tempo para ver tudo que queríamos. A cidade é a terceira mais populosa da Alemanha e tem muita, muita coisa pra fazer! Nossa primeira opção para vir até Munique era durante a Oktoberfest – de quem não é, né? –, o que acabou não rolando, mas não dá pra ignorar a presença da cultura da cerveja em cada esquina da cidade que você passa.

Como prêmio de consolação, na nossa semana em Schliersee pegamos o trem duas vezes até Munique. No primeiro dia o tempo quase colaborou, mas a cidade tava ainda mais cheia de turistas do que o normal por causa de um jogo do Bayern (o grande time da cidade) contra o Roma. A segunda ida foi logo depois da noite que nevou em várias cidades dos Alpes e, além do frio, não parou de cair aquela chuvinha gelada! Acabamos não aproveitando tanto quanto gostaríamos por causa disso, mas o que ficou foi a vontade de voltar, nos hospedarmos dentro da cidade e curtirmos pelo menos uma semana por ali. Preferencialmente pegando uns 2 dias de Oktoberfest.

O primeiro lugar que fomos em Munique foi direto a Marienplatz, para já ficarmos apaixonados pela Neues-Rathaus (a prefeitura atual) toda criada em estilo gótico. É impossível não passar um bom tempo ali, parado, tentando entender cada detalhe que compõe o prédio. Em volta também fica a Frauenkirsche, a Peterskirsche e a Altes Rathaus (a prefeitura antiga com prédio do século 14 e reconstruída duas vezes ao longo da história), pontos que você definitivamente não vai perder quando turistar por lá. Tudo fica na Neuhauser Strasse, uma rua de pedestres enoooorme e cheia de lojas maravilhosas que dá pra perder a tarde passeando e comprando roupas, eletrônicos, souvenirs e tudo que você imaginar.

Leia também: Como transferir dinheiro para a Alemanha pagando pouco!

Saindo dali, seguimos até o Mercado Municipal ao ar livre deles, chamado de Viktualienmarkt, que vende todas as salsichas, queijos, pães, vinhos e doces que você imaginar. Eu sou louca por mercados desse tipo e adoro fuçar em cada uma das barraquinhas, fico maluca! Ficamos um tempo por ali, mas como tudo é bem caro a ideia era só babar bastante e fugir na hora que a vontade de levar tudo estivesse tomando nossa cabeça.

Acho que, apesar de ter conhecido tantos lugares da Alemanha e eles gostarem tanto de beber em todos eles, a cultura da cerveja consegue ser ainda mais forte em Munique. As cervejarias por lá vão bem além da Oktoberfest, são antiguíssimas e tem muita história pra contar. Foi na Hofbrauhaus, a cervejaria mais famosa de Munique, que Hitler apresentou o programa do seu partido político em 1920, e foi em outra cervejaria da cidade, em 1923, que ele tentou dar um golpe para tomar poder da Baviera. Por causa disso, também foi lá que Hitler foi preso (e escreveu “Mein Kampf” enquanto cumpria sua pena). Aliás, nós estudamos esse golpe na escola chamando de “putsch da cervejaria. Cerveja na Alemanha é coisa séria! Haha

Falando nisso, a Hofbrauhaus am Platz é um ponto turístico obrigatório para qualquer um que vá até a cidade. É praticamente o templo da cerveja. Ainda mais legal do que só entrar para conhecer é sentar em uma das mesas enormes, pedir uma cerveja de 1 litro (a Dunkel! <3) e ficar observando as pessoas que tem mesas cativas ali perto da entrada e estão sempre por lá, vestidas de forma temática e tudo, como se você tivesse voltado no tempo. Tudo só melhora quando a banda começa a tocar músicas típicas da Baviera – isto é, todos os dias, durante todo o dia –,  as mulheres peitudas com vestidinhos temáticos passam vendendo bretzels gigantes e você só consegue se questionar como a vida pode ser mais incrível que isso. <3

Outras cervejarias que nós fomos foi a Paulaner e a Augustiner, também muito boas, mas não se deixa enganar pelas que “fingem” ser as originais espalhadas por todo o centro de Munique! Procure direitinho e vá direto nas verdadeiras, as mais tradicionais e cheias de história (os endereços estão no fim do post). Queríamos ir também na Hackerhaus e na Der Pschorr, então fica a dica pra quem está com viagem marcada até lá. :)

Outro lugar que estava na nossa humilde lista de precisamos-ir-faça-chuva-ou-neve é o Milka Welt, o MUNDO DA MILKA. Isso mesmo, o chocolate roxinho maravilhoso, quase um símbolo suíço da Alemanha.

A loja fica embaixo de um mercado-galeria, o Schrannenhalle, que também é ali pelo centro. A galeria em si já é maravilhosa e bem chique, daquelas que você se apaixona a cada mini restaurante e vendinha. Mas guarde o amor até descer as escadas e dar de cara com a loja de 500 metros de chocolate suíço maravilhoso ainda mais barato que no supermercado! A loja também tem alguns produtos de outras marcas deles, tipo Toblerone, umas roupas fitness (vai precisar, né? hahhah), vaquinhas, uns quizzes em alemão sobre a Milka e souvenirs para você levar pra casa. Além de todo o chocolate do mundo, é claro. Ela poderia ser mais legal se tivesse algumas coisas diferentes, algumas experiências, sei lá, mas quem precisa disso quando temos chocolate, né?

Acabando a compra de gordinhos, fomos passear de novo pela Neuhauser Strasse, comprar (mais) algumas roupas de frio para aguentar as noites frias de turismo nos próximos países, tomar uma cerveja em mais uma cervejaria pelo caminho e nos despedirmos dessa Munique tão linda e com alemães tão simpáticos, mesmo no frio e na chuva. Até algum dia, Munique! :)

Lugares que visitamos

Hofbräuhaus am Platz 
Endereço: Platzl 9
Horário: das 9h às 23h30

Paulaner Im Tal
Endereço: Tal 12
Horário: das 10h às 00h

Augustiner Bräustuben
Endereço
: Landsberger Str. 19
Horário: 10h às 00h

Milka Welt
Endereço: Viktualienmarkt 15 (na Schrannenhalle)
Horário: de Segunda a Sábado, das 9h às 20h

 

 

Comentários