Guia: 3 dias explorando Madrid

Depois de passar quase seis meses morando e viajando pela Espanha, quase indo embora de lá nós decidimos dar um pulo de 3 dias em Madrid. Nossos amigos sempre falaram bem da capital, mas nem havíamos cogitado passar um tempo lá – no fundo, porque já estávamos com a cabeça em Portugal. De qualquer forma, é a capital, vale a pena conhecer, né?

Começamos a planejar o que fazer nesses três dias e já ficamos com aquela sensação de que saíriamos de lá querendo voltar. E não estávamos errados. A gente já queria viver em Madrid sem nunca nem ter ido!

Apesar de Madrid ser uma cidade com relativamente poucos lugares turísticos para conhecer, ela é muito viva e tem várias coisas para fazer. Então, se você gosta de ficar pulando de ponto turístico em ponto turístico, ficando entediado quando não tem mais turismo para fazer, talvez não se apaixone mesmo por Madrid. Só que se você é um pouquinho como a gente, que gosta de se perder nos bairros, entrar em portinhas, viver um pedacinho que seja da cultura local, eu aposto que você também vai se apaixonar.

Falando em bairros, nós já fizemos um guia sobre Malasaña, nosso bairro favorito da cidade, que você pode ver clicando aqui!

Esse guia de três dias em Madrid é baseado em tudo que fizemos e gostamos na cidade, que garantiram que vamos voltar na primeira oportunidade que tivermos. Se seu roteiro também tiver só três dias em Madrid, relaxe: eles são suficientes para você sentir o clima de lá. O único problema é que você vai querer voltar o mais rápido possível!

um guia para se apaixonar pela cidade

Onde se hospedar? Bairro de Malasaña
Como escolher onde comer? A gente sempre usa um combo de aplicativos, mas o Foursquare é o principal deles.

Dia 1 – Um dia de Turista

Assim que sair do hotel, faça um reconhecimento básico no bairro de Malasaña. Adoramos a Calle del Espiritu Santo e a pracinha que tem entre ela e a Calle Marqués de Santa Ana. O Foursquare, junto com nosso guia do bairro, são seus melhores amigos para escolher restaurantes e bares bons!

Saia do bairro em direção a Plaza de España, um dos principais pontos turísticos da cidade – que tem algumas esculturas homenageando Miguel de Cervantes, o autor de Dom Quixote.


Siga para o Templo de Debod, um templo egípcio no meio de Madrid (!!) que foi presente do governo do Egito – agradecendo a ajuda para salvar dois templos egípcios construído por Ramsés. Lá no fim do Templo você tem uma vista linda de toda a cidade – se estiver perto do pôr do sol, dizem que ali é um lugar sensacional pra sentar e aplaudir. (Mentira, não aplaudam o pôr do sol, por favor.)

Leia mais: A melhor forma de transferir dinheiro para a Espanha!

Há dez minutos dali ficam os Jardines de Sabatini, jardins enormes e muito bem cuidados, com até labirintos e fontes, que ficam logo ao lado do Palácio Real de Madrid.

Se você quiser visitar o Palácio Real, compre as entradas antecipadas (aqui) para não pegar as filas enormes. Sério. Elas são tão grandes que nem fomos arriscar.
O palácio foi construído no século XVIII e era um símbolo super importante do Império Espanhol – além de que dizem ter uma vista incrível da cidade. Logo na frente do palácio fica a Catedral de la Almudena.

Siga pela Calle Mayor e vá olhando tudo ao seu redor: a região é cheia de lojas e lugares diferentes. Entre numas ruas, faça uns caminhos novos. Explorar é uma das coisas mais legais de se fazer em Madrid. Só não se perca até chegar ao seu destino, a Plaza Mayor! Ela é uma das principais de Madrid, rodeada de prédios históricos e que serve de base para várias outras praças na Espanha. Ali você também pode procurar pelo bocadillo de calamares (sanduíche de lula), mas não esquece que você está em um super lugar turístico, então vai pagar meio caro.

Caso o sanduíche de lula não seja para você, dê um pulo no Mercado San Miguel, pertinho da praça. Na real, mesmo que você tenha comido o sanduíche, vá pra lá mesmo assim – Madrid tem comidas boas demais para escolher uma só. Sabe aqueles espaços cheios de pequenos restaurantes com milhares de opções para comer? Esse é um deles. Vá passeando pelos corredores e comendo um pouquinho de tudo que te interessar. Se quiser achar algumas comidas ou bebidas diferentes, ali também é o lugar. Tudo turístico e meio caro, mas muito bom.

Se ainda estiver de dia – já que no verão escurece às 22h – siga para a Puerta del Sol, uma praça meio feinha, mas super importante para a história da cidade. Lá é o km 0 de várias estradas da Espanha e onde fica El Oso y El Madroño, uma escultura de um urso tentando roubar os frutos de uma árvore, símbolo oficial de Madrid. Ali também fica a Prefeitura da cidade. Se o horário permitir e você quiser uma sobremesa, procure na praça um lugar chamado La Mallorquina e compre algumas das trufas mais famosas da cidade.

A noite poderia acabar assim – mas você está hospedado em Malasaña. Volte a pé para o bairro e pare para uma caña (ou vermouth!) enquanto curte o movimento. Madrid tem uma vida noturna super agitada e você está no bairro mais moderninho da cidade!

Em Malasaña, como falamos no nosso post sobre o bairro, você tem várias opções:

-> Se quiser terminar a noite em um bar bem tradicional, vá para o Bodega La Ardosa, ali mesmo no bairro. Peça tortillas de patatas, salmorejo, acetunas, croquetas, uma das suas opções de cervejas e relaxe. E sim, vá preparado para comer mais, porque em Madrid sempre tem alguma coisinha para tapear – ou várias.

-> Se quiser fazer um tour pelo coração do bairro, vá direto para a Plaza Dos de Mayo. Aos finais de semana tem sempre gente dançando lá no meio, pessoas vendendo cerveja na rua e, ao seu redor, um monte de bares para você ir pedindo uma bebida em cada e partindo para o próximo.

Dia 2 – Gran Via e Chueca

Logo pela manhã, vá para o Barrio de Conde Duque. Lá é tudo bem artístico, com cafés, restaurantes e lojinhas bem legais. Comece pelo Centro Cultural Conde Duque (aproveite para checar a programação) e vá caminhando pelas ruas ao seu redor.


Nesse bairro tem uma filial de um dos nossos cafés favoritos em Barcelona, o Federal. Se quiser um brunch ótimo, ali é o lugar. Ou vá até lá para acordar com o café con leche deles – feito de leite fresco e maravilhoso.

Cruze de volta por Malasaña, aproveitando pra ver as lojnhas diferentes que tem por lá e tomar um sorvete de palito maravilhoso na Los Polos Artesanos. Na época que estivemos em Madrid, todo mundo andava pelo bairro com um deles na mão.

Siga para a Calle Fuencarral, uma das melhores para compras com todas aquelas lojonas principais da Europa. Ela dá na Gran Via, uma das principais avenidas da cidade, e você continua por ela. Ali tem o El Corte Inglés, uma loja imensa de departamentos. Se você nunca esteve em um, provavelmente vai gostar de conhecer. O mais legal é sempre o último andar, que tem um supermercado super internacional, vários restaurantes lindos e uma parte externa com uma vista incrível de toda a cidade.


Ainda indo pela Gran Vía, você vai dar na Calle de Alcalá, com vários prédios enormes. O mais bonito deles fica no finzinho dela: o Palácio das Comunicações (ou Palácio de Cibeles), a estação central de correios de Madrid e também um centro cultural. Bem na frente tem a Fonte de Cibeles, que é lindíssima e fica bem no meio de várias avenidas que se cruzam. Se estiver animado, também pode subir no rooftop do Palácio para ver a vista e beber algo.

Seguindo a Gran Vía, caímos na Puerta de Alcalá, os arcos da cidade. Mais um ponto turístico para a lista. :)

Dali, passe no bairro da Chueca. É outro bairro alternativo bem legal, com uma forte cena gay-friendly, lojinhas e bares. Mas comece pelo Mercado de San Antón, que mistura um mercado tradicional espanhol – com aquela carinha de Mercado Central – com vários bares de tapas e um bar + restaurante maravilhoso no topo de tudo.

Enquanto estiver lá em cima, bebendo sua cerveja ou taça de vinho, já escolha onde você quer ir a noite.
Te damos três opções:

> Pegar o metrô e ir para o tradicional barrio de La Latina fazer um tapas-bar-hopping, pulando de bar em bar enquanto bebe e come uma coisinha em cada um, como um verdadeiro espanhol
> Andar até o Barrio de Las Letras, perto da Plaza Santa Ana e na Calle de Las Huertas, e aproveitar os bares com música ao vivo e as baladas por lá. Tem coisa pra todo mundo, de jazz e flamenco a indie, pop e rock.
> Continuar ali por Chueca e Malasaña e explorar melhor a vida noturna moderninha da cidade

As três opções são cheias de lugares legais para curtir a noite.
Nossa escolha foi La Latina + Malasaña, mas especialmente porque La Latina tinha uma festa de rua super famosa na época que fomos (Fiestas de la Paloma, nos dias próximos ao dia 15 de agosto).

Dia 3 – Artes e Parques

Acorde cedo e vá para o Barrio de las Letras, região onde viveram alguns dos principais escritores espanhóis. A Calle de las Huertas é a rua principal do bairro, com algumas citações dos escritores no chão. Ali fica a Casa Cervantes, onde o autor de Dom Quixote viveu seus últimos anos de vida. Ainda na mesma rua também fica um lugar onde foi gravada a primeira parte de Don Quixote de la Mancha, mas você precisa agendar uma visita por esse email do site deles.

Um lugar que as pessoas costumam gostar ali na região é o Casa Alberto, que existe desde 1827, especialmente para beber vermouth. Dizem que o melhor dia para ver a ~alma de Madrid~ ali é no domingo, depois das 13h.

Vá de lá direto para o Reina Sofía, o museu de arte contemporânea. Ele é bem interessante, mas o mais importante de lá é a gigantesca e famosíssima Guernica, do Picasso, que ocupa uma sala toda só para ela. Nossa sugestão é ir até o Reina Sofia, ver a Guernica, passar rapidamente pelas salas do Dalí e ir direto para o Museo del Prado, um dos mais importantes do mundo por ter uma coleção incrível de arte espanhola, especialmente Velasquez e Goya.


Claro que aí vai do que você achar melhor. Tem muita gente que não gosta do Museo del Prado, por exemplo, por ter muitas pinturas com temas religiosos. A gente achou legal, principalmente por conseguirmos ver ao vivo várias das pinturas que nós crescemos vendo nos livros de História da Arte.

Após a maratona dos museus, compre um bocadillo na rua e ande cinco minutinhos até o Parque del Retiro. Além de ser o maior parque da cidade, também é o mais lindo. Um dos nossos lugares favoritos lá dentro foi o Palácio de Cristal (é essa coisa maravilhosa na foto abaixo).

Lá dentro tem restaurantes com beer garden, você pode andar de barco, correr, andar de bicicleta ou só relaxar mesmo, que é o que a gente recomenda. Passamos algumas horinhas por lá, só andando e curtindo a vida madrileña.

Ah! Se você gosta de mercadinhos de antiguidades e está passando um domingo em Madrid, parece que El Rastro é um mercado de rua pouco conhecido por turistas, mas que mantém sua tradição há mais de quinhentos anos! Ele fica entre a Calle Embajadores e a Ronda de Toledo todos os domingos e feriados.

Essa é nossa sugestão para você que tem três dias em Madrid e quer fazer um passeio misturando turistar, explorar a cidade e curtir um pouco do que ela pode nos dar. Claro que tem muitos lugares que não conseguimos nem chegar perto nesse pouco tempo na cidade, mas quem sabe na próxima, né?

Você adicionaria ou mudaria alguma coisa nesse roteirinho?
Conta pra gente aqui embaixo!

Tags from the story
, , , , ,

Comentários