7 comidas que você vai comer em Berlim

Uma das formas mais legais de conhecer uma cultura nova é explorar sua culinária. Comer está, definitivamente, no top 5 da nossa vida, e comer enquanto entendemos um pouco mais sobre um lugar novo é ainda melhor. Comidas típicas te mostram a história de um país ou de uma cidade, mas a comida do cotidiano, o arroz e feijão daquele lugar, é o que transmite realmente o que é aquela cidade hoje.

Usando ingredientes fáceis de encontrar, que são baratos e aceitos por quase todos os paladares de quem vive ali, a comida diária de um local te dá vários caminhos para pensar sobre a cultura daquele povo.

Enquanto experimentamos o que há de mais tradicional na rua ou nos restaurantes pelo mundo, lendo os pratos como um livro de história, tem gente que tem medo de sair do arroz e feijão – desculpem o trocadilho, não deu pra segurar – e tentar até um molho diferente no sanduíche do McDonalds. Questão de escolhas que fica difícil aceitar, mas acontece mais do que a gente imagina. Mas eu aposto que vocês também são do nosso time.

Quando decidimos morar em Berlim, a Debbie, que é vegetariana, sempre ouvia piadinhas de como ela ia se virar em um país que vive a base de joelho de porco, salsichas e schnitzel. Isso até pode ser verdade pro resto da Alemanha, mas Berlim, como falamos no nosso vlog, não é como o resto da Alemanha. O que menos vimos lá foram restaurantes alemães e tradicionais. Você consegue comer comida de quase todos os lugares do mundo andando só alguns quarteirões, e todos eles tem opções vegetarianas.

Essas são algumas das comidas que provavelmente você vai comer em Berlim se ficar na cidade por um tempo.

Currywurst

Esse é um dos pratos mais comuns de você ver pelo centro turístico de Berlim. É, basicamente, salsicha cortada e temperada com ketchup e curry. Inclusive, essa combinação dos três ingredientes é bem comum na Alemanha e, aparentemente, todo mundo adora. Também é um dos pratos que você mais vê nos biergartens. Esse é o único prato da lista que não tem opção vegetariana. Aliás, até tem, mas são batatas fritas com esse molho igual por cima.

Onde comer: Dizem que o do Curry 36 é melhor, mas ele é tão simples que você encontra parecido em qualquer barraquinha
Veredito Monstro: não é nada demais, mas vale a pena comer para experimentar.

Kebab

Esse é o tipo de comida que você vai ver em TODAS as esquinas de Berlim. Sem excessão. Originalmente o Kebab é tipo nosso espetinho, mas os turcos que moram na Alemanha colocaram tudo num pão e adaptaram ao gosto do país. O Döner Kebab, o mais tradicional, é um pão pita com cebola, salada, carne assada (a carne é feita como nosso churrasco grego, mas tem outro sabor) e diferentes tipos de molho. Você pede e vai escolhendo o que ele deve colocar no seu pão. A versão vegetariana vem como o anterior, mas normalmente com halloumi ou falafel. O primeiro é um tipo de queijo e o segundo é um bolinho de grão de bico que vamos falar ainda nesse post. Ah! Esse é uma das poucas comidas que você vai encontrar voltando de madrugada da balada e morrendo de fome, então trate seu kebab com carinho.

Leia também: Como transferir dinheiro para a Alemanha pagando pouco!

Onde comer: o mais famoso é o Mustafa’s Gemüse Kebap (esse da foto). Também gostamos muito do Sahara, em Neukolln – sempre com o molho de amendoim! –, mas você encontra em todos os lugares de Berlim.
Veredito Monstro: o Fê acha o de carne meio gorduroso, mas bem gostoso. A Debbie ama o vegetariano, especialmente o do Mustafa, porque ele faz com legumes assados e fica ótimo.

Hamburguer

Você encontra hamburguerias de diferentes tipos, estilos e gostos em todos os bairros de Berlim. Como todas as comidas de lá, também encontra várias opções vegetarianas que costumam ser ótimas e super criativas. Mesmo que a carne não seja o maior forte da Alemanha – não são tão boas como no Brasil –, vale a pena comer para experimentar as várias combinações que eles fazem com os ingredientes. É um mais diferente que o outro!

Onde comer: Esse da foto é do Berlin Burger International, que é muito bom e cheio de invenções – eles têm umas versões sazonais sensacionais! –, e ali perto também gostamos muito Heat & Beat. Outro que tem um monte de opções diferentes e gostosas, com e sem carne, é o Rosenburger.
Veredito Monstro: Difícil falar por todos os hamburguers. A carne deixa sempre um pouco a desejar, mas a combinação criativa dos ingredientes e molhos compensa. Para os vegetarianos, é uma alegria ter hamburguers saborosos e feitos de várias formas diferentes. O hamburguer de espinafre e o de halloumi do Rosenburger valem muito a pena.

Gözleme

Esse é outro salgado turco que você encontra em algumas spätkauf (lojinhas de conveniência), nas feiras de rua e nos restaurantes turcos. Às vezes você vê só uma janelinha que dá pra calçada vendendo vários salgados, dentre eles o tal do gözleme. Ele é feito de uma massa fina como se fosse de panqueca, recheado de diferentes sabores, dobrado como um quadradinho ou cortada em pedaços, como na foto.

Onde comer: em qualquer lugar que você encontrar, mas a feira turca da Maybachufer é nossa escolha de sempre.
Veredito monstro: Servido quentinho é bem gostoso, mas quando esfria é meio borrachudo. O nosso preferido era de espinafre com queijo.

Pizza

Mais um clássico do mundo todo, a pizza também está presente em todo lugar da capital alemã. Seguindo o padrão italiano de pizza fina com pouco recheio, na maioria dos restaurantes em Berlim cada pessoa da mesa pede uma pizza inteira para comer sozinha. Elas são um pouco menores que a nossa pizza, mas uma só já enchem bem. Também dá pra achar bastante como nesse formato da foto, por pedaço vendidas em vitrines pela cidade. Você vai ver pizzas em vários lugares de Berlim, e se curtir esse estilo da massa crocante e fininha vai adorar, porque os preços costumam ser bem bons.

Onde comer: apesar de ser meio cara, gostávamos bastante da Il Casolare, mas, com certeza, a que vale mais a pena é a do Vivo, que custa menos de 2 euros e sempre salvou nossa vida na pobreza. Sdds Vivo.
Veredito Monstro: tratamos as pizzas de Berlim (e de qualquer lugar da Europa) como um categoria diferente das pizzas de São Paulo, que sempre sentimos saudade. As massas fininhas e crocantes são bem gostosas, mesmo com menos queijo do que estamos acostumados.

Falafel

O falafel é um bolinho frito de grão de bico com condimentos variados que é bem popular no oriente médio. Além de ser uma boa alternativa a carne em vários pratos, ele fica bem gostoso quando conseguem deixar por fora bem crocante e dentro macio e quase molhadinho. Você come o falafel no kebab, no hamburguer, sozinho com tahine, homus ou salada ou em vários dos restaurantes turcos que servem o bolinho como acompanhamento nos pratos.

Onde comer: se você for para Neukolln, dê uma passada no Azzam. Apesar de ser difícil entender os pratos para quem não fala alemão, já que eles não falam e nem tem cardápio em inglês, vale muito a pena. Peça o falafel mit halloumi para receber um prato com vários bolinhos de grão de bico muito bem feitos, tiras de queijo halloumi e salada – como o da foto acima – por um preço ótimo.
Veredito monstro: quando bem feito ele é imbatível. Mesmo se ele ficar um pouco seco por dentro, ainda vai muito bem com homus.

Samosa

Esse pastelzinho indiano é provavelmente a única coisa que você vai comer dentro dos bares berlinenses. Como eles não vendem comida lá dentro, deixam algumas pessoas com uma cestinha na mão entrarem vendendo samosas recheadas de batata. Algumas são fritas, como as originais, e outras são assadas, mas é unanime que todas são sem graça. Pelo menos as de batata. Originalmente eles fazem de feijão, ervas e vegetais, mas não encontramos nenhuma vez. Dizem que você também acha esse salgado em Portugal, por causa da época que o Império Português comandava territórios na Índia (!).

Onde comer: com o primeiro cara que te mostrar uma cestinha no bar
Veredito monstro: samosa recheada de batata e fria é bem sem graça, mas é o que tem no meio da madrugada nos bares, então tá valendo. Quentinha é…justa.

Esse post surgiu durante os 9 meses que moramos em Berlim, na Alemanha. Quer ver nossas outras dicas da cidade? Vem cá!

Obs: Não tínhamos foto do gözleme e nem das samosas, então o crédito vai para Ross Dobson e Neil Valles, respectivamente.

Tags from the story
, , , , ,

Comentários