Como se tornar uma versão melhor de si mesmo
(em passos quase simples!)

Há mais ou menos 50 dias nós começamos um projeto para nos tornarmos uma versão melhor de nós mesmos: o Projeto Córdoba. A ideia era correr atrás de um objetivo que queríamos chegar mais perto ao fim desses 50 dias, nos tornarmos pessoas melhores e nos movendo em direção a um sonho. Aqui tem toda a explicação de onde a ideia surgiu!

Quando criamos o post aqui no Pequenos Monstros, algumas pessoas também se empolgaram com a ideia e pegaram o desafio para si. A gente ficou super empolgado e, com tanta gente legal interessada, criamos um grupo para aproximar e trocar incentivos com todo mundo. Hoje temos 76 pessoas dando passos para se tornarem pessoas melhores graças ao projeto! Demais, né?

Nesse período nós conversamos, recebemos emails, trocamos mensagens e ideias com muita gente que têm vontades pulando por todos os lados: lojas online, estudar uma língua nova, aprender a ilustrar, a programar, emagrecer, praticar mais exercícios, escrever melhor, desenvolver a tese do mestrado… muitas pessoas legais, que estavam super motivadas e que nos ajudaram muito nesses 50 dias. E teve até gente que não entrou lá no grupo, mas nos mandou emails contando que estava seguindo seu próprio projeto sozinha ou tagueou uma foto no Instagram com #ProjetoCordoba. Vocês todos são incríveis!

Só que, como tudo na vida, o tempo vai passando, aquela motivação do começo já não é mais a mesma, você acaba empurrando uma tarefa com a barriga uma semana, duas…e quando vê, já nem lembra mais qual era seu objetivo inicial. Essa história é familiar? Aí dá aquele desânimo e a vontade de começar de novo é zero. E, justamente seguindo e acompanhando quem fez o Projeto Córdoba, nós conseguimos enxergar alguns padrões que fazem toda a diferença para se manter motivado e conseguir FINALMENTE conquistar um objetivo.

1. Diminuir a velocidade é diferente de parar

Antes de tudo, essa ideia de desistir porque você já está “muito para trás” é um dos principais motivos para largar alguma coisa no meio. E isso é uma besteira enorme, porque quem está lá na frente, aquela pessoa que você admira, com certeza passou pelo mesmo período que você está agora. E sabe o que ela fez? Ela continuou seguindo em frente. Não importa se você está em alta velocidade ou dando um passinho de cada vez: o importante é não parar.

Se você não tem duas horas por dia para se dedicar ao seu objetivo final, que tal dedicar pelo menos meia hora? Até dez minutinhos já é melhor do que nada. Antes seguir em pequenos passos do que ficar parado pra trás.

2. Pratique todos os dias no nível HARD

A chave para você continuar evoluindo é sempre a bendita da prática. Dizem que o grande segredo do sucesso é: repetição, repetição, repetição e dedicação. E, mesmo que você só dedique meia hora por dia, dê o seu melhor nesse tempo. É aquela coisa: não adianta ir para a academia por só 30 minutos e passar 10 no celular.

Se você vai se dedicar a alguma coisa, dedique-se 100% a ela por aquele período que você definiu. Esqueça o multitasking. Esqueça o celular, o computador, a televisão ou qualquer outra distração. Aquele momento é exclusivo para você se dedicar 100% ao seu objetivo. E deixar o mundo ao seu redor sumir. Mesmo que seja por só meia hora.

3. Os resultados são nosso maior motivador

Conforme o tempo passa, se você manter essa dedicação diária, você com certeza vai melhorar. E melhorar. E melhorar. E essa melhora vai te dar mais e mais vontade de continuar, te dar vontade de fazer aquilo por mais tempo. De largar o Facebook e ir ali praticar o que você está aprendendo. E é essa nova motivação que vai te manter no caminho.

Por isso, é importante que você determine objetivos. Não só aquele lá do final, mas vários, aqueles que você vai cumprir todos os dias, todas as semanas, para conseguir ver resultado e se manter motivado.

informe_publicitario_da_lisa

4. Se comprometa com alguém

Nesses 50 dias nós vimos vários picos de produtividade no nosso grupo (e em nós mesmos) no início, e depois essa animação foi caindo muito até o fim do desafio. Ao mesmo tempo, muita gente relatou que se sentia culpado por não estar fazendo o que tinha prometido no grupo, e isso ficava sempre na sua cabeça, fazendo ela produzir ao menos um pouco de vez em quando. E se comprometer com alguém é outra coisa que pode te ajudar MUITO a te manter motivado.

Entre em algum grupo de estudos, defina com um amigo o que você precisa apresentar a ele no futuro, fale com o namorado para ele te incentivar ou defina metas para você mesmo que precisam ser cumpridas semanalmente e cole post-its pela casa toda te lembrando delas toda semana. Sim, é só você mesmo se cobrando, mas isso vai refrescar sua memória, lembrar de todo seu esforço e da sua vontade de conquistar aquilo.

Para facilitar, separamos algumas dicas pra você ter aí sempre e nunca esquecer:

Pense em quanto tempo você pode se dedicar a essa atividade, por dia, todos os dias.

Mas seja realista. Não dá pra implementar 3h de treino da noite para o dia.

Quando estiver praticando, não divida a atenção com absolutamente nada.

Celular no modo avião. fones de ouvido e o mundo ao seu redor está em stand-by por aquele período.
Dedique-se o tempo que puder, mas dedique-se 100% e todos os dias.

Defina um horário fixo que você vai praticar todos os dias.

Coloque um alarme no celular.
Avise todo mundo da casa.
Peça incentivo para quem convive com você.

Final de semana também está incluso na prática diária.

Mais pra frente você pode até parar de praticar no final de semana, se quiser, mas para adquirir um hábito é preciso praticar todos os dias mesmo, ao menos por um período de tempo longo.

Pratique todos os dias.

Mesmo que seja por só meia hora. Mesmo que seja só por 10 minutinhos. Todos. os. dias.

Valorize suas melhoras, faça comparações de antes e depois.

As melhoras serão seu maior incentivo para continuar e para aumentar o tempo de prática, se você puder. São elas que vão te dar forças para continuar a longo prazo.

Mas é claro que tudo isso não funciona se você não quer alguma coisa de verdade. Aprender algo novo ou criar um hábito diferente não é uma coisa simples, e o maior motivador é a nossa própria força de vontade. É o simplesmente ir, sem pensar se você deve ou não. Sem ponderar o que poderia fazer com esse tempo, sem pensar na preguiça que você está sentindo ou no trabalho que terá. É ir e pronto. Sem problematizar. Sem pensar que vai “só terminar essa coisinha aqui e já vou”, porque isso nunca vai acontecer.

Se você pensar demais, seu cérebro encontra milhares de desculpas para deixar aquilo para depois – e o depois é nunca.

Isso tudo que aprendemos não veio só da nossa experiência, mas de todas as pessoas que conversaram com a gente nesse período e estão tentando realizar seus sonhos também. Uma coisa muito legal de definir um tempo para realizar um objetivo, como nós definimos os 50 dias, é que você consegue visualizar EXATAMENTE o quanto você evoluiu nesse período, porque sabe certinho quando começou. E isso é demais para ver que, sim, é possível mudar, criar algo novo, fazer uma coisa diferente, seguir outro caminho se dedicando. Mesmo que seja pouco a pouco. :)

Esses são aprendizados de três pessoas diferentes que passaram esses 50 dias junto com a gente correndo atrás dos seus objetivos:

 

“A maior lição que levo é a de dar tempo ao tempo. Se eu cultivar um hábito de cada vez, um por mês, sair da minha zona de conforto e picar o processo, vai. Por exemplo, em uma ilustração minha, quando eu divido o processo em buscar referências, fazer os rascunhos, estudo de cor, renderização e finalização, as coisas ficam mais simples. O projeto me ensinou a ver que dá para fazer as coisas, e que dá para aprender algo novo todo mês se nós quisermos.
Não fico triste por não ser um aluno nota dez no projeto, pelo contrário, fico feliz por ver o quanto o Guilherme de hoje é melhor do que o Guilherme que iniciou esse projeto. Se eu manter essa mentalidade para sempre, posso chegar onde desejo. Todos nós podemos.
Saio do projeto com uma fagulha no meu coração, uma fagulha muito boa, uma autocobrança, uma vontade de produzir conteúdo, vontade de espalhar alguma coisa boa nesse mundão ae.”

Gui Monteiro, que criou ilustrações incríveis para o @PorraMonteiro e começou a meditar pra valer.

“O Projeto Cordoba foi a melhor iniciativa que tomei esse ano. Aprendi tantas coisas nesses 50 dias, que não aprendi em 10 anos de procrastinação, pensando se eu deveria fazer isso ou aquilo. Finalmente estou fazendo algo de que gosto muito e me dedicado cada vez mais aos meus projetos de vida. O projeto me abriu os olhos para um mundo totalmente novo, cheio de possibilidades. A maior lição é dar tempo ao tempo, temos que cultivar um hábito e sair da zona de conforto se quisermos alcançar algum objetivo, por menor que seja. Penso que o mais importante pra mim foi perder o medo de começar algo completamente novo…mas eu fui lá e fiz…e vou continuar fazendo porque tenho muitos projetos engavetados que merecem sair.

Lahya Tiburcio, que lançou uma loja cheia de peças lindas no Facebook, a Ateliê B

 


“Eu percebi que no meio do projeto dei uma desanimada, aí no final tive que correr atrás do prejuizo. Acho que se não tivesse um ‘final’ do projeto talvez algumas metas simplesmente iam ser ignoradas, o que ensina o quanto é importante ter prazos pessoais na vida. Estou tentando colocar isso como uma prática diária. Percebi também, durante o projeto, que a gente tende a fazer metas subjetivas demais, então fica mais fácil de ver um crescimento quando fragmenta em ações. Uma coisa é dizer “vou ter uma vida mais saudável em 2015”. Outra coisa é dizer “vou caminhar duas vezes por semana e cortar a carne vermelha”. Você está dizendo a mesma coisas, mas na primeira fica subjetivo e não tem uma meta específica, então é fácil você simplesmente não fazer. No segundo, o comprometimento é maior. Acho que isso foi um ensinamento importante do projeto que vou levar para a vida.”

Veriana Ribeiro, que terminou seu projeto de mestrado, organizou seu blog e escreveu um post super legal sobre seus aprendizados do Projeto Córdoba <3

Só colocamos três depoimentos aqui porque se não esse post ficaria ainda mais imenso, mas teve gente escrevendo com frequência e melhorando cada vez mais – Estela, você tá de parabéns! –, criando blog de vinho e blog sobre a vida, aprendendo a ilustrar – vai, Lorena! –, se arriscando na cozinha – vai rolar receita quando, Nando? –, melhorando no hand lettering e até aprendendo a costurar – uma salva de palmas para a Karol! – e isso, é claro, sem contar as várias pessoas que se dedicaram a aprender línguas novas, virar vegetariano de vez, ser mais paciente, emagrecer, treinar para o triathlon (vai com tudo, Beatriz!!),  ver mais filmes e fazer coisas não tão palpáveis assim pra gente mostrar aqui. Mas vocês conseguem ver a dimensão disso, que incrível? Nós amamos fazer parte, de um jeito tão ativo assim, na vida de vocês que nos acompanham por aqui (e vice versa!). <3

Agora que o projeto acabou, pensando em tudo que aprendemos, é hora de traçar novas metas, definir outros objetivos e começar tudo de novo! Quer começar também?

Vem com a gente nesse Projeto Córdoba eterno! :)

Comentários