11 dicas para quem quer morar em outro país

Muita gente chega até o nosso blog através do nosso Passo a passo para mudar de país. E sempre, sempre surgem milhares de questões na nossa caixa de entrada sobre esse tema. Nós mudamos de país para viver em vários lugares, não em um país específico, mas descobrimos que muitas questões sobre nômades digitais também podem ser aplicadas para expats – a forma moderninha que os gringos chamam nós, os imigrantes, em muitos lugares do mundo.

Antes de tudo, algo importante: se você quer morar fora do Brasil, mas tem um cachorro ou gato, relaxa! Nós temos um guia completíssimo que vai te ajudar a morar fora do Brasil com seu bichinho. É só clicar aqui para conhecer.

Pensando nas dúvidas, medos, perguntas e ideias de tanta gente que aparece no nosso blog pedindo ajuda, resolvemos criar uma lista com algumas dicas para quem também está pensando em começar uma vida nova em outro lugar do mundo.
Vamos nessa?

1 – Quero ir embora, mas para onde?

Muitas pessoas que nos mandam mensagem querem muito sair do Brasil, mas ainda não sabem onde querem viver. Sim, o mundo é enorme, e posso dizer com uma boa experiência que existem vários lugares incríveis e totalmente diferentes para morar por aí. A melhor forma de decidir? Pensar nas suas expectativas com a mudança.

Por exemplo: você quer viver uma cultura totalmente diferente da nossa? Então talvez vá aproveitar muito mais uma temporada na República Tcheca, não em Portugal. Quer viver em um país que neva? Dessa forma você já diminui pela metade os países do mundo. Quer fazer uma pós graduação na sua área? Procure onde é o melhor lugar do mundo para isso. Quer viver o “american way of life”? Essa tá fácil, vai. Quer entender melhor como é ter uma vida mais sustentável? Só andar de bicicleta? Morar em um lugar extremamente seguro? Viver perto da praia? Da montanha? Em uma cidade pequena? Em um lugar que os locais são super amigáveis? As perguntas aqui poderiam ser infinitas, e só você consegue saber suas expectativas. Leve suas vontades a sério, pense com carinho no que você sonha e procure cidades que vão te ajudar a realizar isso.

Outra coisa importante é que existem milhares de lugares no mundo. Não fique preso aos 5 destinos que todo brasileiro está acostumado a se interessar. A mudança de país é uma experiência única, e muitos países por aí são incríveis e vão te proporcionar experiências maravilhosas. Não fique preso no óbvio.

2 – Razões para mudar

Quase como uma consequência do primeiro ponto, é preciso pensar nos motivos que fizeram você querer se mudar. E não precisa ser nada muito complexo por aqui não, viu? A simples oportunidade de morar em outro lugar já pode ser o motivo para querer ir, e isso é super válido. É o que a gente sempre fala por aqui: ao invés de se perguntar “por que ir?, pergunte “por que não ir?”.

Melhorar o currículo, começar uma vida diferente, ter experiências novas, aprender algo novo, encontrar um lugar mais seguro… cada um tem suas razões. E “fugir dos problemas do Brasil” não vale, tá? Muitos problemas do nosso país estão enraizados em nós mesmos, como as pequenas corrupções diárias que muitos brasileiros cometem – até você aí que pagou a carteira de motorista, ok? –, e você vai levar você mesmo para qualquer lugar que for. Além do mais, é bem possível que nenhum lugar seja perfeito. Todos terão seus muitos problemas para lidar.

Leia também: Qual seria a melhor forma de transferir dinheiro para a Inglaterra?

Então, antes de tudo, tenha certeza que você está feliz com você e com a forma que você leva a vida, perante a você e ao mundo. Estar sozinho em um país novo já não é a coisa mais fácil do mundo, e não estar feliz com si mesmo e suas atitudes só piora (e muito) as coisas.

3 – Está com medo? Pense no pior que pode acontecer

Já faz um tempo que a forma que lidamos com nossos medos aqui em casa é a mesma: sentamos juntos e pensamos na pior hipótese que pode acontecer se fizermos o que estamos morrendo de medo de fazer.

Qual é a pior coisa que pode acontecer se você for morar em um país novo? No nosso caso, quando decidimos sair do Brasil, o pior que poderia acontecer era que nossos clientes parassem de nos contratar, nosso dinheiro acabasse e teríamos que estar de volta logo depois. E… poderíamos procurar trabalho em uma agência de publicidade no Brasil, continuando no mercado como sempre estivemos. Não é mais tão horrível quanto parece, né?

Em qualquer cenário, você vai ter ganho experiência de vida e histórias para contar. E saber qual é seu maior medo fará com que você já se planeje de acordo com isso. Se, por exemplo, você tem medo de não ter onde morar porque não conseguiu um emprego no primeiro mês, é melhor se planejar e levar mais dinheiro, garantindo sua moradia por um período inicial. No nosso caso, já fomos para Berlim com o aluguel de 6 meses pago e um dinheiro guardado. Se tudo desse errado, casa e comida a gente tinha garantido. Para saber a forma mais econômica e rápida que encontramos para enviar dinheiro do Brasil para o exterior, é só clicar aqui! :D

Mas isso, é claro, só pode acontecer quando nós assumimos que SIM, não estamos fazendo algo por medo de dar errado. E esse pode ser o passo mais complicado de se dar.

4 – Conheça outras experiências

Se você quer muito morar em um lugar, é sempre bom entender como é a vida diária por ali. E a forma mais fácil de fazer isso é acompanhar a experiência de outras pessoas. Existem milhares de blogs e vlogs de expats pelos quatro cantos do mundo, então use a linda da internet a seu favor e vá descobrir, com os olhos de alguém que está lá, como é a vida na cidade que você planeja viver.

Em qualquer lugar que você for morar, pode ter certeza que milhares de surpresas e ajustes estarão te esperando, mas ter uma noção básica do destino pode te ajudar a compreender melhor tudo que está acontecendo, mudar sua perspectiva e te dar uma imagem mais real o destino dos seus sonhos.

5 – Lidando com a saudade

Já ouvimos várias histórias de pessoas que saíram do Brasil com o objetivo de nunca mais voltar, mas 6 meses depois estavam sentadas no primeiro voo para o país de origem. O motivo? Saudade.

Morar longe da sua família, dos seus amigos e de todas as pessoas que você quer por perto não é a coisa mais fácil do mundo. Ver seus amigos se divertindo, juntos, enquanto você está em outro continente apanhando para conseguir falar com o cara da padaria pode ser uma sensação bem merda.

Mas lembre-se: você pode (e deve!) levar seu cachorro ou gato contigo, porque ele é sua responsabilidade – e ainda vai te ajudar a ficar mais felizinho. Nós temos um guia completíssimo pra você levar seu bichinho para fora do Brasil. Clique aqui!

Então pense bastante sobre isso antes de decidir se mudar. Qual é o seu apego com as pessoas a sua volta hoje? Você está disposto a trocar suas conversas, saídas, almoços e jantares por ligações no Skype? A passar dias especiais dependendo da internet para falar com quem você ama? Esse é, normalmente, o maior contra de se morar em outro país. E é importante estar ciente disso desde o primeiro momento – e já se planejar para incluir algumas passagens de avião para o Brasil, nem que seja de vez em quando, para matar a saudade.

6 – Aprenda a Cozinhar

Quando você está recomeçando a vida, precisando comprar móveis e entendendo como tudo funciona em um lugar, a melhor forma de economizar, comer bem e ainda aproveitar tudo de diferente que você vai encontrar no supermercado é sabendo cozinhar. E cozinhar os pratos que você comia no Brasil ainda vai matar, só um pouquinho, a saudade do que foi a sua casa lá no Brasil.

Leia também: De reais para dólares – Transferindo o seu dinheiro para o Canadá da melhor forma!

Enquanto você planeja toda a mudança, já comece a aprender aqueles pratos que você adora e vai sentir saudades. Não precisa virar um chef de cozinha da noite para o dia: só algumas coisas simples, que vão além do miojo nosso de cada dia, já podem resolver. Com o tempo esse repertório vai aumentando.

informe_publicitario_da_lisa

7 – As malas não são inimigas

Eu sei muito bem no que você está pensando: como eu vou colocar tudo que eu tenho em duas malas de 32kg?! Se você não vai se mudar com caixas e mais caixas de pertences enviadas como carga, é hora de rever tudo que você tem e ver o que você realmente usa e precisa. Aqui e aqui tem posts que podem te ajudar nessa missão!

É um desapego difícil, mas pense nas suas malas como uma forma de recomeçar a vida com menos coisas desnecessárias. Além do mais, no país de destino você vai encontrar mil opções para coisas que você está deixando para trás. Você não está indo para a selva. Eu acho.

Mas não precisa deixar aquele seu ursinho de pelúcia que representa a sua infância e tudo que você mais ama para trás. A mala deve ter 95% de coisas que você realmente precisa e 5% daquelas coisas sentimentais que você gosta muito e não quer se desfazer. Você não está só indo viajar, né?

8 – Familiarização com a língua

Chegar em um país novo sem saber falar um A na língua local pode, sim, ser bem assustador. E é por isso que a internet inteira está aí para te ajudar. Aprender só um pouquinho da língua já pode fazer toda a diferença nos seus primeiros dias no país novo.

É claro que você vai precisar estudar muito sozinho (e nós temos dicas aqui!) ou fazer um curso para adquirir fluência, porque ali é sua nova casa. Mas os primeiros dias, o primeiro taxi, o primeiro supermercado e os primeiros contatos com os locais vão ser bem melhores se você já souber algumas palavrinhas.

9 – Documentação em primeiro lugar

Não adianta sonhar em estudar em outro país, chegar lá do nada e descobrir que para se inscrever em uma escola você precisa voltar para o Brasil e emitir um visto de estudante. E, sim, isso acontece muito.

Então, quando resolver mudar para outro lugar, pesquise muito sobre suas leis, sobre como morar legalmente, trabalhar, estabelecer uma residência a longo prazo e viver ali o tempo que pretende. Parece uma coisa básica, mas muita gente esquece do pequeno detalhe que o mundo ainda não é um lugar sem fronteiras e acaba se ferrando por causa disso.

Também nem vou entrar na questão de você viver ilegalmente em um país, sem poder trabalhar ou ser atendido decentemente em um hospital, além de não poder retornar quando sair para outro lugar. Por favor, nem vá cogitar esse tipo de coisa, ok?

10 – Mudanças não precisam ser definitivas

Se você está com medo de não gostar, de não fazer amigos, não se adaptar ao tempo, não achar o local que você vai morar legal ou qualquer uma dessas questões, tenha sempre em mente que mudanças não são definitivas. A não ser que você queira que elas sejam. Lembra desse post aqui que fizemos?

Mesmo que você tenha a impressão que vai acabar voltando ao Brasil, a experiência de viver em outro país é o item mais valioso aqui. Quando você decide mudar de país, por mais que pareça uma decisão ENORME, ela não é gravada em pedra. E, antes que você venha tentar jogar na minha cara toda a documentação que você precisou fazer, tudo foi feito pra realizar um sonho, né? E isso tem que valer a pena. Se alguma coisa não sair como você quer, é fácil: você pode mudar de novo. Voltar para o Brasil. Ir para outro país.

E uma outra coisa importante: faça tudo por você, não pelos outros. Muita gente tem medo “do que os outros vão pensar se eu falar que vou morar fora e dois meses depois voltar com o rabo entre as pernas”. Nunca se esqueça que eles não têm que achar nada. Como sempre: é a sua vida, são as suas decisões. Sempre tenha certeza que elas são guiadas pelo que você quer, se não você realmente nunca será feliz.

Isso faz a decisão de se mudar muito mais fácil: você sempre pode voltar. Você sempre terá seu país para te acolher de volta.

11 – Você vai fazer amigos. Você simplesmente vai.

Esse é um medo que muita gente tem: como eu vou fazer amigos? Nós temos um post sobre isso que você pode ler aqui, mas pode ficar tranquilo: você vai fazer amigos. Nem que você acabe puxando assunto com um desconhecido no bar mais próximo da sua casa. Ou quando começar a fazer alguma aula. Ou no seu trabalho. Ou até no metrô. Você vai fazer amigos. Pode até demorar um pouco, mas vai acontecer.

A maior sugestão aqui é que você faça muitas coisas em grupo: vá em encontros do MeetUp, puxe assunto com os outros na padaria, convide aquele seu vizinho que parece simpático para um café, sorria para as pessoas na rua. Enfim, seja simpático com quem está ao seu redor.

 

Morar fora não é uma decisão fácil e nem simples, mas viver novas experiências, conhecer pessoas, aprender outra língua, descobrir como os outros pensam em uma parte diferente do planeta e até como você mesmo se comporta em um universo completamente novo são só alguns dos benefícios que ganhamos nos mudando. De vez em quando dói, tem dias que é difícil, mas ninguém disse que realizar um sonho seria simples, né?

Se você chegou até aqui, comente nesse post contando um pouco dos seus sonhos! A gente adora descobrir um pouco mais sobre nossos leitores. Ah! Se a gente te ajudou um pouquinho, não esqueça de compartilhar esse post nas suas redes sociais. Ler o que vocês estão achando é uma das coisas que dá mais ânimo para escrevermos mais. :)

Comentários