A disputa do Pastel de Nata em Lisboa

Passear por Lisboa é se sentir constantemente com vontade de comer algum docinho. A variedade de doces que eles tem nas padarias e, pra falar a verdade, em qualquer lugar que venda comida, é surreal. Experimentamos só alguns deles – inclusive os que nossos leitores portugueses nos indicaram! ❤️ – mas não dava para deixar de falar aqui sobre o tão famoso pastel de nata – que, no Brasil, chamamos de Pastel de Belém.

Foi na primeira semana da nossa temporada em Lisboa que descobrimos que logo ali pertinho de casa, há nem dez minutos a pé, ficava um dos melhores pastéis de nata da cidade. Pelo menos era o que todo mundo dizia. A Manteigaria fica no meio do Baixo Chiado. Sempre que sai uma fornada quentinha de pastéis de nata, eles tocam um sino que ecoa por todo o Largo de Camões.

Um dia, enquanto estávamos com os cachorros comprando algumas coisas que faltavam no nosso apartamento, o sino tocou. Era uma daquelas manhãs que você nunca acha que nada de diferente vai acontecer, a gente não tinha nada de interessante em mente. Só estávamos procurando um balde de pipoca e um varal (juro).

Leia também: Como transferir dinheiro para Portugal – a melhor forma!

Mas, quando aquele sino tocou, foi como um sinal divino de que DEVERÍAMOS ir até lá. Eu já tinha lido sobre a Manteigaria e até sabia o preço de cada pastelzinho de nata – um euro! –, mas não estava tão empolgada para comer um desses já logo no início da nossa estadia. Pra falar a verdade, eu não costumo ser muito fã de doces que não envolvam limão ou doce de leite.

Só que como o universo conspirou para que isso acontecesse naquele momento, lá fomos nós. Peguei umas moedas no bolso, atravessamos a rua e pedi para o Fê comprar um para cada enquanto eu ficava lá fora com a Lisa e o Luca.

Depois daquele dia, nossa vida mudou.

Todos os dias que passávamos na frente dali – isto é, quase todos os 40 e poucos dias que ficamos em Lisboa – íamos voando, igual desenho animado, sendo levados pelo cheirinho dos pastéis de nata. O Fê nunca gostou de pastel de nata e até ele começou com “bem que poderia rolar um pastelzinho de nata agora, hein?“.

O pastel de nata da Manteigaria é muito cremoso dentro, tão cremoso que às vezes até dá uma escorridinha pelo canto da boca quando você morde, e tem as bordinhas super crocantes, especialmente quando está recém saído do forno. Não demorou muito para aprendemos que com canela fica ainda mais gostoso.

Algumas semanas depois, nós fomos no Pastel de Belém, o super tradicional e famoso que fica em Belém. Sim, uns até podem vir aqui discordar, mas o ~pastel de belém~ é, na verdade, um pastel de nata. Nós usamos esse nome por causa desse lugar e, tecnicamente, vende o “melhor pastel de nata de Lisboa”. Aliás, o nome “pastel de belém” é marca registrada™ e nenhum outro lugar pode falar que vende um desses, só pastéis de nata. Ou algo assim.

Chegamos ali de noite e não pegamos fila nenhuma. Sentamos junto com um casal aleatório de alemães que conhecemos na estação de trem (?) e pedimos um pastel de belém para cada. E eu não sei se era porque eles não tinham acabado de sair do forno – estavam quentinhos, mas nada demais –, mas eu mordi, mordi, coloquei um pouco de canela e mordi mais uma vez, terminei o meu e pensei: bem que poderia rolar um pastelzinho de nata da Manteigaria mais tarde, né?

O creme do pastel de belém é bem mais durinho e menos cremoso que o da Manteigaria. A massa é bem menos saborosa. Eles fazem fornadas imensas de uma vez só e vários ficam queimadinhos até demais, passando do ponto. Antes que vocês venham brigar comigo aqui nos comentários, não tô dizendo que é ruim. Tô dizendo que não é melhor do que o da Manteigaria. Eu mesma, se nunca tivesse conhecido essa entidade maravilhosa ao lado do Largo de Camões, provavelmente acharia os pastéis de belém bem gostosos – mas sem a paranóia de querer voltar lá todos os dias.

Desculpa, mundo. Mas a fama do pastel de belém é uma farsa. Quando forem a Lisboa, comam pastéis de nata na Manteigaria, vão a Belém visitar o Mosteiro dos Jerônimos e a Torre, mas não se obriguem a pegar a fila dos pastéis de belém – aliás, a fila é só pra quem quer levar pra viagem, se você quer comer ali é só entrar, lá é imenso. Se quiser, pode até comer um, ou dois, ou seis, só pra não passar em branco. Sabe como é, né? Mas faça um favor a si mesmo e vá na Manteigaria.

E quando você voltar para o Brasil e te perguntarem:
– E aí, comeu um pastel de belém?
Você poderá responder:
– O pastel de nata? Sim! E é maravilhoso!

PS: Abriram uma tal de ~Manteigaria Lisboa~ perto da Avenida Paulista, e quando saímos de Lisboa fiquei incrivelmente feliz que poderia comer pastéis de nata quando fosse para São Paulo. Mas aí descobri que eles não tem ligação nenhuma com a Manteigaria original. Que saudades, Manteigaria. :~
Tags from the story
, , , ,

Comentários