Como criamos nossa rotina de trabalho em casa

Trabalhar de casa nos dá a liberdade de produzir em qualquer horário do dia – e qualquer dia da semana. Mesmo com uma rotina de trabalho, às vezes adiantamos coisas no domingo para ter a segunda mais tranquila, às vezes saímos de casa durante o dia para trabalhar só durante a noite e madrugada, e às vezes precisamos virar a noite para entregar algum projeto no dia seguinte logo pela manhã.

Só que mesmo tendo toda essa flexibilidade, já faz algum tempo que descobrimos a importância de manter uma rotina diária. Estamos sempre buscando aplicativos, métodos e formatos diferentes para produzir ainda melhor, mas já faz algum tempo que mantemos uma mesma rotina que tem nos ajudado bastante. É ela que faz a gente apertar o botãozinho “modo: trabalho” na nossa cabeça e começarmos efetivamente a produzir logo cedo.

Só que viajando e mudando nossas prioridades de tempos em tempos, não é todo dia que conseguimos seguir tudo isso aqui a risca. Por estarmos mais estáveis aqui em Berlim, só com algumas viagens no meio do caminho e a próxima mudança agendada só para Abril, fica ainda mais simples mostrar cada detalhe para vocês. Essa é a nossa versão resumida da nossa rotina diária, mas se você quiser ver ela completinha é só clicar aqui para baixar o nosso ebook, o #AgarreSeuSonho. Lá também falamos sobre a melhor forma de você criar a sua própria rotina e virar essa chavinha na sua cabeça – seja trabalhando de casa, da praia ou no escritório.

Eu já tentei de tudo: aplicativo no celular, agenda, avisos no computador, até post-its espalhados pela minha mesa, mas o que faz eu me organizar melhor ainda é o bom e velho caderninho do lado do computador. Toda noite faço uma listinha de tarefas nele do que vou fazer no dia seguinte.

Só que nessa listinha vai tudo, não só a rotina de trabalho: passeio mais longo com os cães, entregas, ir ao supermercado, pagar impostos ou fazer post no blog. Tá tudo ali, anotadinho. Quando tem algo que eu preciso priorizar, coloco um asterisco ou flechinhas do lado. Nada muito mirabolante. O mais importante, para mim, é a rotina da manhã.

Logo que eu acordo tomo dois copos de água e vou meditar entre 15 a 20 minutos. Já falei um pouco por aqui, mas meditação mudou a minha vida e me tornou numa pessoa mil vezes menos ansiosa e estressada. Eu conto mais sobre isso nesse vlog aqui e nesse post também!

Em seguida, faço um alongamento de um yoga improvisado que aprendi na internet e já vou preparar meu café da manhã.

Já falei sobre esse tema no nosso Snapchat algumas vezes, mas gosto de ter um café da manhã pré definido que eu faço igualzinho todo santo dia. Assim evito ficar tomando decisões logo cedo e facilita minha vida. Atualmente, são dois ovos e uma xícara de leite com café e cacau.

Na primeira hora do meu dia, sempre faço algo para mim mesma. É o melhor horário para me dedicar a aprender, praticar ou mudar um hábito. 

Enquanto tomo café, eu sempre faço algo longe do computador. Pode ser leitura, ouvir podcasts, desenhar ou aprender alguma coisa, mas tudo sem abrir Facebook, Whatsapp etc. Hoje eu estudo alemão. Depois disso, é hora do primeiro passeio do dia com os cães.

Assim que volto para casa, limpo as patas dos cachorros, troco de roupa e a chavinha do meu cérebro muda: é hora de trabalhar. Com a listinha já do meu lado, coloco quanto tempo quero levar em cada uma das atividades e já começo a trabalhar nelas. Não tenho problemas com foco, só com falta de memória mesmo, então fica bem fácil assim pra mim – eu só preciso tomar cuidado para não ultrapassar o tempo máximo que determinei para cada tarefa.

Costumo sempre terminar a coisa mais importante do dia logo que sento no computador, para me sentir menos pressionada e conseguir cumprir aquilo mais rápido, enquanto estou mais atenta e acordada. Eu silencio o celular, coloco uma playlist no Spotify, fones de ouvido e vamos nessa. 😃

Começando com um segredinho: sou extremamente desatento e procrastino muito. Muito. Combina isso com meu perfeccionismo que beira a doença mental (nesse post falo mais sobre isso) e imagina como é uma merda legal.

Em compensação, acho que essa é a fase que eu estou menos procrastinando de todas até agora – e aí consigo produzir melhor. Não por coincidência, minha técnica é uma mistura de várias coisas: fui pegando um pouquinho do que funcionava em cada e adaptei para a minha realidade. Progresso!

Eu sempre uso o Todoist para organizar minhas tarefas. Tudo que tenho que fazer na vida, do filme para assistir ao trabalho para entregar, está nele. Junto de cada tarefa importante ou necessária – aquelas que você mais procrastina –, coloco quanto tempo vai demorar para realizá-la em número de pomodoros (1 pomodoro = 25 min).

Durante a noite, separo minhas tarefas para o dia seguinte e já adiciono os pomodoros, sempre contando para não passar de 10 deles no dia. Essa é a parte mais difícil, porque preciso priorizar para não largar tudo pela metade. Eu sempre achei que dava conta de 20 pomodoros – afinal, são só 10 horas –, mas é impossível me manter focado por tanto tempo. Aí fico intercalando as coisas que preciso fazer para não enjoar, uma em cada pomodoro.

Junto dessas tarefas obrigatórias da rotina de trabalho, também algumas outras mais divertidas, simples e rápidas no meio. Pesquisar algo legal, escolher que joguinho de celular vou jogar no fim do semana, ler um pouco, arrumar alguma coisinha no blog, editar fotos. Essas são as tarefas de backup, caso eu queira muito procrastinar – assim tenho uma procrastinação produtiva.

Antes de deitar já tenho uma lista de tarefas prontinha para o dia seguinte. Coloco o celular no modo avião e vou dormir.

Logo que acordo, vou direto para o banho. Tomo café da manhã lendo alguma coisa e só depois de meia hora é que tiro meu celular do modo avião. Dou uma olhada rápida na tela, para ver se tem alguma notificação importante, e vou para minha caixa de emails.

Adotar o inbox zero (uma forma de lidar com seus emails tentando deixar sua caixa de entrada sempre limpa e organizada) mudou muito minha produtividade! Agora, toda manhã eu já deixo minha caixa de entrada completamente vazia.

 Se pode ser resolvido em menos de 5 minutos, resolvo. Se não, vira tarefa para outra hora. O resto é lixo. 

Aí sigo a lista de tarefas do dia. Só depois de ter feito pelo menos uma tarefa é que eu entro no Facebook ou em qualquer outra rede que sei que vai me fazer cair na espiral da procrastinação. Tudo isso sempre ouvindo playlists no Spotify.

Durante o dia vão aparecendo várias demandas e problemas novos. Posso resolver em 5 minutos? Resolvo. Não posso? Vira tarefa. É pra outro dia? Agendo. Uma tarefa sem data com certeza vai ficar esquecida por aí.


E essa é a rotina de trabalho que seguimos! Agora estamos em Berlim e durante o inverno, então estamos saindo muito pouco. Quando estamos em algum lugar que queremos explorar melhor, fazemos tudo isso e dividimos as tarefas entre manhã e noite, assim podemos sair de tarde. Ou de manhã e de tarde, para sairmos durante a noite.

Além disso, também tentamos deixar alguns dias do mês quase livres para podermos conhecer lugares que tomam mais tempo, e aí trabalhamos só um pouco de casa e o resto do dia pelo celular. Mas, hoje, a nossa base de organização é essa que detalhamos aqui em cima! No #AgarreSeuSonho, caso você já tenha o ebook, tem tudo mais completinho, explicando cada processo, te ajudando a criar uma rotina de trabalho e com dicas para não perder o foco no longo prazo.

Esperamos que todos esses detalhes facilitem a sua vida na hora de definir uma rotina de trabalho para o seu dia a dia. Juro, muda a vida! E, se você já tem um processinho legal, compartilha aqui com a gente nos comentários. 😃

Comentários