Viajando por Bruxelas: o mais cool da cidade

Já falamos aqui sobre como Bruxelas é uma daquelas cidades que dá vontade de você curtir de verdade ao invés de ficar pulando de pontos turísticos em pontos turísticos. Hoje queremos mostrar pra vocês um pouquinho dessa Bruxelas cool, cheia de coisas legais pra conhecer e fazer, misturando 99% lugares diferentes com aquele 1% de turisticagem.

Quando falamos sobre a cidade não ser um lugar muito legal para turismo, muita gente acaba torcendo o nariz. Para nós, isso foi uma coisa ótima! Dá aquela vontade de conhecer lugares diferentes, andar por bairros novos que ouvimos falar ser bacana e não ficamos presos em meio a vários grupos de chineses andando pra lá e pra cá. É claro que nós conhecemos a Delirium e andamos pelas principais ruas da cidade, mas o charme de Bruxelas mesmo, na nossa visão, é sobre os vários lugares diferentes e, digamos, mais “locais”, que conhecemos, mesmo lá pelo centrão. E é com esse olhar que queremos compartilhar a Bruxelas que adoramos com vocês! 😃

2GO4 Quality Hostel

Fizemos uma parceria com o Hostelworld e ficamos hospedados no 2GO4 Quality Hostel, em um quarto privado. A gente adora essa mistura do clima de hostel com um quarto privado, porque acabamos com o melhor dos dois mundos: podemos conversar com várias pessoas diferentes na área comum, o preço é ótimo e temos o conforto de ter um quarto só para nós dois – que muitas vezes sai até mais em conta do que pegar duas camas em um quarto compartilhado.

Pra quem quer viajar e conhecer pessoas novas, mas não está disposto a ficar em um quarto compartilhado com desconhecidos, escolher um quarto privado em um hostel bacana é uma solução muito boa!

A localização do hostel fica há uns 10 minutos do miolo turístico da cidade e há uns 15 minutos da estação de trem que nos leva do aeroporto até o centro. Conseguíamos sair do hostel sem cair num bolo de turistas, mas rapidinho estávamos onde a gente queria. Como ficamos numa localização boa, conseguimos andar por Bruxelas inteirinha sem precisar pegar nenhum transporte público – e o clima quentinho de fim de inverno também nos incentivou nas andadas. :D

 

Balls & Glory
Comida tradicional com um toque moderninho

Nosso primeiro restaurante em Bruxelas foi um misto de comida tradicional com um toque moderninho. O Balls & Glory serve um tipo de almôndega recheada com sabores e acompanhamentos diferentes – com, é claro, pelo menos uma opção vegetariana. O restaurante em si é maravilhoso, as mesas tem frutas que você pode comer de sobremesa e, logo que senta, eles te trazem uma jarra de água saborizada super fresquinha. O atendimento lá é super simpático – ficamos um tempão conversando e pegando dicas com o Bernt, um dos atendentes –, a comida é muito boa e fica pronta rapidinho. Nossa primeira impressão dos restaurantes de Bruxelas foi aqui e eles não poderiam ter sido melhor representados.

Pec47
Melhor brunch da vida

Nada melhor do que se recuperar de uma noite longa do que um brunch maravilhoso. O Pec47 fica em uma rua bem cheia de restaurantes e bares que mistura turistas e locais, e foi ali que comemos esse brunch com waffles e ovos pochê bebendo sucos diferentes. Tudo do cardápio parece muito bom e quase quebramos a nossa regra de não repetir lugares em uma viagem para voltar lá e experimentar os outros pratos.

Friterie Tabora
Batatas fritas do ❤️

É impossível ir para Bruxelas e não comer pelo menos um canudo de batatas fritas com molho diferente. Fizemos uma degustação (cof-cof) de várias batatas fritas diferentes espalhadas pela cidade e o Tabora ganhou de longe. Batatas muito crocantes, bem sequinhas, com várias opções diferentes de molho e com a porção no tamanho certo – nem muito grande, nem muito pequena. Ah! Um dos molhos típicos de Bruxelas é o de picles, que a Debbie odiou.

É claro que batatas fritas são sempre boas, mas nenhuma que experimentamos em Bruxelas superou essa aqui.

Fin de Siècle
Comida belga e atendimento querido

Na nossa primeira noite em Bruxelas pedimos indicação para a moça que trabalha na recepção do hostel de onde comer. Não queríamos nada muito turístico, mas algum prato bacana que tivesse a ver com a culinária do país. Ela nos indicou o Fin de Siècle e, chegando lá, percebemos que ele já estava anotadinho nas nossas indicações antes. Sugestão dupla de dois caminhos diferentes dificilmente daria errado, né?

Jantamos uma moussaka vegetariana e um stoemp – uma comida típica com salsichas e purê –, dois pratos enormes e maravilhosos, acompanhados de duas cervejas que pedimos indicação ali no restaurante. O atendimento do lugar é mil e ele estava bem cheio, então caso você vá até lá no final de semana, é sempre bom reservar. E não comer nada 5 horas antes, já que o prato é imenso!

Moeder Lambic
Bilhões de cervejas artesanais

Para quem adora cervejas diferentes – e, uma vez em Bruxelas, por favor, se force um pouquinho – dê um pulo na Moeder Lambic para beber algumas das centenas de cervejas diferentes que eles tem, comer alguma coisa (tudo que pedimos era ótimo!) e curtir a noite. O espaço é bem grande e perto do centro turístico, então você vai ter várias oportunidades de beber cerveja boa por ali enquanto viaja.

Beerstorming
Cervejas que você nunca mais vai experimentar

Esse é um daqueles lugares que dá vontade de largar tudo e abrir um igual. O Beerstorming é um espaço que você pode ir com um grupo de amigos e, com ajuda do brewing master sócio dali, criar sua própria cerveja. Você escolhe qualquer um dos ingredientes disponíveis (sempre com a ajuda dele, mas a liberdade criativa é de vocês) e depois de algumas semanas volta até lá para experimentar o que saiu.

Como a gente só tava ali por alguns dias, é claro que não fizemos nossa cerveja, mas aí vem a grande dica: as melhores seis cervejas que eles produzem ali, em parceria com os grupos, ficam a venda dentro do espaço. Você pode beber todas elas, pagando só 2 euros por copo, e experimentar cervejas de várias coisas diferentes. Só para exemplificar, nós bebemos uma cerveja feita com cogumelos (!) e outra com pimenta. E as duas eram ótimas!

Os donos, o Arthur e o Antoine, mandam muito bem, são super gente boa, o lugar é uma graça e dá vontade de largar tudo e ir fazer sua própria cerveja. Se for lá, conversa com eles e manda pra gente no nosso Snapchat, hein? O nosso é pmonstros! (Só tem que ver no Facebook deles se eles não estão em dia de produção, que aí não pode beber por lá.)

Café Belga
Lindeza em forma de café

Esse café/bar é uma instituição na região de Ixelles. Dê um pulo lá para ver a decoração maravilhosa de dentro e aproveite para beber um café, um drink, uma cerveja ou até para trabalhar – tinham várias pessoas fazendo exatamente isso. Para acompanhar, eles servem alguns petisquinhos diferentes também. Sentando na parte de fora você fica bem de frente para uma praça com um lago enorme, o Étang d’lxelles, que é bem lindo. Tenho certeza que se algum dia nós fomos morar em Bruxelas, é do Café Belga que eu vou querer trabalhar sempre. ❤️

Ixelles
Uma das regiões mais moderninhas de Bruxelas

Uma mistura de cantinhos residenciais com cafés, lojas, bares, restaurantes e coisinhas diferentes para explorar é o que compõe Ixelles. A região acaba sendo muito mais local do que o centro e é ali que encontramos muitas das coisas mais charmosas de Bruxelas. Essa parte da cidade é conhecida como a região dos artistas, escritores e intelectuais por vários motivos, mas especialmente porque Karl Marx, Auguste Rodin e Alexandre Dumas viveram por lá antigamente, deixando o clima até hoje mais boêmio e artístico.

Além da região ao redor do Café Belga, também procure pelas rua Rue Lesbroussart e pela Rue du Bailli. Para quem curte arquitetura, procure pelos prédios com estilo art nouveau e também o Museu de Victor Horta.

Place Sainte-Catherine
Para um final de semana quente

Quando estávamos passeando por essa região – que é uma delícia! – dêmos de cara com essa praça cheia de gente, com alguns food trucks e várias pessoas de pé em mesinhas conversando e bebendo vinho branco. O inverno nem tinha acabado ainda, mas o solzinho do sábado estava tentador demais para os belgas ficarem dentro de casa. Na frente dessa praça tem uma peixaria que abre uma barraquinha virada para a rua vendendo diferentes petisquinhos de peixe e frutos do mar. E, pelo jeito, as pessoas se amontoam ali na tentativa de comer algumas das várias opções que eles tem para oferecer enquanto tomam um vinho branco com os amigos – comprado em um dos trucks que ficam logo ao lado.

Para quem é mais da cerveja, o The Monk é um bar logo ali do lado que serve várias cervejas trapistas, com um estilinho antigo bem legal.

Saint-Géry Island
Para querer passar uma tarde toda ali

Logo em frente ao Halles Saint-Géry fica um cruzamento com várias ruas pouco movimentadas e uma tonelada de mesinhas para fora de cada um dos bares e restaurantes ao seu redor. É aquele lugar que você vai para um drink no meio da tarde com um amigo, bem tranquilo, para aproveitar o sol mesmo. Sabe? As pessoas ali estavam todas super estilosas – porque essa é Bruxelas, afinal – e todo mundo tranquilo, bebendo seus Aperol Spritz de óculos escuros. Deu vontade de perder o voo só bebendo alguma coisa e observando todo mundo ao nosso redor. Eita cidade charmosa!

Rue du Marché au Charbon
Gay friendly e cool até o osso

Essa região toda é uma parte bem legal de Bruxelas, com vários cafés, bares, lojas e restaurantes alternativos e diferentes. Ali você também vai encontrar um monte de grafites pelas paredes, cafés com mesinhas para fora e lojinhas com toy arts e quadrinhos – uma das grandes especialidades de Bruxelas.

Em um dos becos ao redor dessa rua você vai achar uma série de grafites LBGT, um mais interessante do que o outro e falando sobre várias formas de preconceito. A região toda é famosa por ter bares e baladas gay-friendly e você consegue até sentir as good vibes da região.

Rue des Chartreux e Antoine Dansaert
Para comprar coisas legais

O restaurante Fin de Siècle que falamos ali em cima fica exatamente nessa rua e foi assim que a descobrimos. Ela é cheia de lojinhas diferentes com roupas, decoração para casa, papelaria, opções vintage e coisinhas legais para quem quer comprar alguma coisa em Bruxelas. Logo ao seu lado fica a Rue Antoine Dansaert, que é um pouco mais chique mas também com várias coisas de arte e design bem legais. As duas ruas ficam na região de Saint-Géry, então você pode esperar curtir algumas boas horas passeando por aqui. 😉

Como dá pra perceber, em alguns poucos dias nós conhecemos vários cantos diferentes da cidade e conseguimos aproveitar muito bem! Comemos e bebemos maravilhosamente bem, ficamos hospedados em um lugar super legal e finalmente tiramos alguns dias descansando. Depois desse guia, posso dizer sem dó: como é bom viajar sem ter obrigação de ir para bilhões pontos turísticos, né? Sem pressa, sem obrigações, sem pressão de nada. Só de curtir mesmo. <3

Tags from the story
, , , , , ,

Comentários