5 dicas para conseguir o seu primeiro trabalho freela

Quem nos acompanha há um tempo sabe que as nossas vidas mudaram COMPLETAMENTE quando resolvemos virar freelancers. As motivações iniciais – como já até contamos por aqui – foi ter mais tempo e ganhar melhor. Com o tempo, vimos que estávamos ganhando em todos os sentidos: a liberdade profissional que veio junto foi incrível e fez a gente repensar em um monte de coisas. Nossa qualidade de vida aumentou horrores, conseguimos mais tempo para nós, mais liberdade para viajar e percebemos que sendo freelancers nós poderíamos abraçar essa vida de nômades digitais que começamos há mais de 3 anos.

É claro que a motivação para começar a trabalhar como freelancer muda de pessoa para pessoa. A nossa foi essa, mas a sua pode ser de, simplesmente, querer ficar mais tempo com a família, ser seu próprio chefe ou até mesmo ter a liberdade de escolher os seus trabalhos. Só que mesmo tendo essa vontade, muita gente não sabe muito bem por onde começar, acaba se frustrando e desistindo antes mesmo de conseguir o seu primeiro freela.

Depois de sei lá quantas dezenas de freelas e clientes, criamos um guia básico para você conquistar seu primeiro freela e já tirar esse tabu do primeiro cliente da frente de uma vez. Essas dicas são todas super importantes não só para você se lançar como freelancer, mas também para manter uma boa quantidade de trabalho rolando. Então vem com a gente e vamos para os passos!

Como conseguir seu primeiro freela?

1. Confie no seu taco

Antes de mergulhar nesse mundo maravilhoso do freelancer, é preciso primeiro trabalhar a sua autoconfiança como profissional. Parece uma coisa pequena, mas muitas pessoas super talentosas não arriscam no mundo dos freelancers por insegurança. Elas nunca se acham suficientemente boas ou experientes. Então, antes de tudo, tenha em mente que para trabalhar como freelancer você precisa deixar a timidez de lado e acreditar no seu trabalho. Afinal, como você espera que as pessoas acreditem nele se você mesmo não acredita?

Tente deixar um pouco da humildade de lado e aprenda a se posicionar, se aceitar e se projetar como um ótimo profissional, que produz coisas incríveis e que as pessoas vão querer contratar – e eu aposto que você já é tudo isso ou quer se tornar em breve. Você precisa ser o primeiro a acreditar no seu próprio trabalho.

Leia também: Passaporte Freela – Seu guia definitivo para a liberdade profissional

 

2. Mostre seu trabalho para o mundo

Um passo importante na sua carreira de freelancer é deixar as pessoas ao seu redor sabendo que agora você trabalha como freela. Compartilhe essa novidade com seus amigos – da sua área e de fora dela. Não seja um freelancer dentro do armário. Enxergue seus canais e redes sociais como oportunidades e faça proveito deles. Mesmo que você tenha poucos seguidores, eles são uma forma de você se vender. Pela nossa experiência, essas pessoas serão as primeiras que vão se interessar pelo seu trabalho. Amigos e família normalmente são o primeiro público de qualquer freelancer – e isso não é problema ou vergonha alguma. Afinal, trabalho é trabalho.

Outra dica sobre isso é começar a produzir conteúdo relacionado com o que você quer trabalhar e divulgar por aí, se mostrando interessado e atualizado com o mercado. Não precisam ser textos técnicos super complexos – a não ser que isso esteja relacionado ao seu trabalho – mas só de você compartilhar uma novidade, um vídeo sobre o tema, falar um pouco da sua opinião ou sua experiência já te colocam como alguém dentro desse universo. 

Com o tempo, você pode virar uma referência sobre o tema e as pessoas lembrarão de você quando estiverem precisando de algo da sua área. Por essas e outras que é essencial sempre deixar as pessoas sabendo o que você faz, sobre o que se interessa, e especialmente que você tá aí, livre e disponível, na pista pra negócio!

 

3. Organize os contatinhos

Muitos dos seus trabalhos – especialmente os primeiros – você vai encontrar em gente que já trabalhou com você. Por isso reviva o seu networking, retome os seus contatos e organize tudo. Se for o rei da organização, faça uma lista de com quem você já conhece e poderia trabalhar – e até de que forma poderia fazer parte dos seus negócios. Entre em contato com colegas, antigos chefes e empresas que você já trabalhou – todos eles são clientes em potencial que podem acabar te contratando. Ah! E lembra daquele papo da auto confiança? Ele vai ser bem importante aqui!

Um dos nossos maiores clientes fixos foi por anos a agência onde nos conhecemos e onde a gente trabalhou antes de virarmos freelas. Somando tudo que já fizemos, o tempo que prestamos serviço como freelancers para essa agência é bem maior do que o tempo em que fomos funcionários fixos deles. A relação continua aí, firme e forte. Nessa etapa, você precisa ser ativo: entre em contato, selecione as pessoas certas, vá atrás!

Lembre-se: trabalhar com pessoas diferentes, ser gentil e interessado na vida dos seus colegas de trabalho, ter certa proximidade com eles mesmo que apenas de forma profissional já é um avanço enorme no seu networking. Uma vez fizemos um trabalho bem grande para a cerveja Brahma porque uma pessoa que trabalhou com a gente em uma agência saiu de lá, abriu sua própria agência de publicidade e, quando precisou de planejamento, nos contatou porque lembrava e gostava do nosso trabalho.

Leia também: Como eu me tornei freelancer

4. Faça sua lição de casa

Esse aqui é um passo mais delicado, mas que pode ser o grande trunfo na sua manga. Evite (ou não entre) em contato com seus ~contatinhos sem ter feito a lição de casa. Antes de fazer aquela ligação, mandar um e-mail, WhatsApp ou sinal de fumaça, pesquise sobre ele e o que ele está fazendo no momento. Procure uma relação entre vocês dois, tente saber em quais projetos ele está envolvido e mostre como você pode ajudar. Você precisa saber oferecer os seus serviços sem trazer mais problemas – e a melhor forma de fazer isso é, de cara, já aparecer propondo soluções

Lembre-se que, naquela oportunidade específica com aquele contato de ouro, você provavelmente só terá uma tentativa. Então fale com elas quando o momento for oportuno. Faça o máximo para não desperdiçar essa chance. A forma como você aborda o seu potencial cliente pode fazer toda a diferente – por isso que dar ~aquela stalkeada~ é tão importante! (isso também vale para o seu crush, tá? mas isso fica pra outro post)

5. Invista em si mesmo

Quando você se torna freelancer e passa a trabalhar sozinho, a única coisa que você tem para vender é o seu próprio conhecimento. Então valorize esse lado e invista em si mesmo. Seja em palestras, seminários, cursando uma pós-graduação ou fazendo cursos para se especializar em áreas que você ainda não é tão bom quanto gostaria. Você não precisa de um investimento prévio em tudo isso antes de virar freelancer – mas, sempre que fizer esse investimento, mais afiada será a sua ferramenta de trabalho: você mesmo.

Se você realmente está decidido a se jogar e se tornar um freelancer incrível, a gente recomenda o Passaporte Freela, nossa série de três cursos com várias estratégias de como se posicionar e se vender e que vão te ajudar bastante no crescimento da sua carreira como freela. Nele, exploramos a fundo tudo o que envolve o mundo freelancer e o que você precisa para se destacar como um profissional incrível, como encontrar os melhores clientes pra você e trabalhando nos seus próprios termos. Somos suspeitos pra falar, mas o conteúdo todo tá lindo de viver e o resultado está BEM incrível! Clica aqui para dar uma olhadinha.

É uma oportunidade única e, modéstia a parte, tá valendo MUITO A PENA! Clica aqui pra garantir a sua vaga!

Essas dicas todas são só alguns passos para você conseguir seus primeiros trabalhos – mas que funcionam por toda a sua carreira como freelancer. No fim das contas, conseguir seu primeiro freela muda COMPLETAMENTE a sua vida e só vai depender de você. Então é hora de colocar a mão na massa. Seja bem-vindo ao maravilhoso mundo dos freelancers! :)

 

Comentários