Morar fora:
passo a passo para mudar de país

Morar fora do Brasil não é um processo simples. Além das complicações com cultura, trabalho e saudades, os preparativos para passar uma temporada (ou várias) fora do seu país são vários. Como mudamos com nossos cachorros, o processo foi um pouquinho mais complicado, mas decidimos criar um passo a passo para mudar de país sem precisar quebrar a cabeça pensando em todo o processo sozinho. Para quem está pensando em morar fora do Brasil e levar seu bichinho, indicamos muito o nosso livro sobre o tema – é só clicar aqui para conhecer.

Atualizado pela última vez em: Abril de 2016

Esse guia sobre morar fora do Brasil serve tanto para quem vai passar uma temporada fora do Brasil viajando por aí, como para quem quer ir direto morar em outro lugar. Um, dois, três e…já:

Por onde eu quero morar ou viajar?

Acho que esse é meio óbvio, né? Tanto faz se você vai passar um ano viajando o mundo ou se pretende morar um ano em Madrid, a cidade (ou os lugares que você quer passar) é provavelmente algo que você já tem na cabeça. Procure por blogs de brasileiros e outros expats que moram no local ou passaram por lá, estude um pouco da cultura do lugar, leia sobre os bairros e hábitos de quem vive lá. Talvez você queira sair de São Paulo para fugir do trânsito e do stress de uma cidade grande, por exemplo, então acabar em outra capital cheia de gente irritada não vai resolver. Parece meio óbvio, mas é bom lembrar disso para não frustrar suas expectativas.

O que eu preciso para morar lá?

Destino definido, entre no site do consulado do país no Brasil (e no que mais for necessário) para saber a documentação que precisa para entrar e passar o período que pretende ali. Alguns pedem um seguro de saúde com valor X, outros pedem um visto específico, um comprovante de que você pode se sustentar, vacinas, passagem de volta já comprada etc.

Cada país tem sua regulamentação, e isso pode mudar o valor de sua viagem drasticamente. Aqui, os gastos dependem também da sua documentação. Se você tem passaporte europeu, como nós dois, é mais simples morar na Europa ou viajar para os EUA. Se você quer estudar inglês em Nova York e não tem cidadania americana, você tem que comprar o curso para tirar o visto de estudante. E por aí vai.

Se você quer mudar do país com cachorro ou gato, nosso guia completo sobre isso vai te ajudar no processo inteirinho.

Aliás, uma dica sobre dupla cidadania: se você tem como tirar, tire. E tire o quanto antes. Se você tem algum avô/avó português – o que foi o nosso caso –, por exemplo, é só seu pai/mãe tirar a dupla cidadania com alguns documentos simples e você tirar por ele(a) sendo filho de português. A dupla cidadania portuguesa foi rápida e barata, e não é muita gente que vai atrás dela. A italiana, mais comum em São Paulo, é bem mais complicada, cara e demorada. A Debbie tem pai nascido na Itália e mesmo assim acabou optando pela portuguesa.

É impossível (e nem sabemos) detalhar o passo a passo para morar em vários países pelo mundo, mas, para facilitar, pesquisamos alguns links úteis para quem quer ir morar em alguns destinos:

Morar na AlemanhaMorar na IrlandaMorar no Reino UnidoMorar nos Estados UnidosMorar na AustráliaMorar no Canadá

Se você está pensando em morar em Vancouver, Montreal, ou em qualquer outro lugar do Canadá:

Onde morar?

Primeiramente, você precisa saber se vai ficar em casa de estudantes, hostel, hotel, fazer couchsurfing, alugar por temporada ou direto com um corretor. Para muitos deles você pode criar uma média de valor só cotando online, sem se comprometer com ninguém de primeira.

Se você quer viver pulando de lugar em lugar, uma boa estratégia é ficar em hostels mesmo, assim conhece gente nova o tempo todo. Dá para ver os preços no HostelWorld. Se estiver se aventurando sozinho, uma alternativa barata é o Couchsurfing, em que você fica de favor no sofá de alguém, mas ele fica meio complicado se você vai em dois ou mais. Já se prefere o conforto de um hotel, existem milhões de opções de sites para fazer reservas. Só não esqueça de dar uma olhada no que o povo do TripAdvisor está falando antes e talvez já reservar por lá mesmo.

Se pretende ficar mais tempo em um mesmo lugar, você pode ficar de saco cheio de hostel – tem gente que vive lá, mas né? – e a conta do hotel vai sair muito cara, então o melhor mesmo é alugar algum apartamento para morar. Para achar casas de estudantes ou corretores vai de depender muito de cada país e do que você pretende fazer. Só não esqueça de incluir as contas mensais da casa e possíveis móveis.

Existem vários sites em que você pode alugar por temporada de forma bem fácil, segura e sem um monte de burocracias. Alguns deles são Roomorama, Wimdu e o 9flats. Nosso favorito é sempre o Airbnb. Inclusive nós já fizemos um post aqui detalhando direitinho como alugar uma casa por lá. Pelo site, conseguimos um desconto bem legal em todos os apartamentos que já moramos até hoje. Quando for reservar, tente sempre negociar com quem aluga para tentar um desconto no valor final. Muita gente costuma diminuir o preço quando você passa um tempo no mesmo lugar, então sempre vale a pena tentar economizar um pouco nessa parte, uma das mais caras de morar fora.

Se você quer ficar bastante tempo em um mesmo lugar, uma boa dica é alugar um apartamento por um mês ou dois no Airbnb e, quando chegar na cidade, ir visitar outros para alugar da forma tradicional. Assim você consegue escolher direitinho seu próximo lar. Antes da nossa mudança, até cogitamos fazer isso, mas como o plano era ficar por só 6 meses em Berlim, seria um tempo enorme desperdiçado. Alugando pelo Airbnb fechamos um valor único para um apartamento mobiliado – não precisamos comprar praticamente nada – e que já inclui todas as contas da casa (internet, água, luz e gás, por exemplo). Lembre sempre de incluir o valor dessas contas caso você vá alugar com um corretor, porque às vezes vale mais a pena pegar logo um apartamento completo e não se preocupar com burocracias em outra língua.

Quanto eu vou ter que economizar?

Destino definido, é hora de saber quanto você vai precisar para viver. O que nós normalmente fazemos é abrir uma tabelinha no Excel e simular todos os nossos possíveis gastos em uma conta básica. Lembre-se de somar tanto os gastos pontuais como recorrentes.

Nos gastos pontuais: passagem, documentação e preparativos – malas de viagem, remédios, o que for.

Nos gastos recorrentes, tem de levar em conta a forma que você imagina viver: alimentação, hospedagem, lazer, transporte, cursos extras. Para conseguir ter uma noção desses gastos, utilize sites como o Expatistan e o Numbeo. Nós sempre colocamos 20% a mais de margem de segurança.

Já tendo uma ideia dos gastos recorrentes no país em que você vai morar, dá para saber quanto precisa para ficar três meses e criar o que chamamos de poupança emergencial.

Poupança Emergencial

Ter um dinheiro extra para qualquer emergência é super importante por questões de segurança. Se você quebrar um braço, vai ter que pagar o hospital e só depois pedir reembolso do Seguro Viagem (pelo menos em muitos deles). Se você não conseguir um emprego no primeiro mês, se um pagamento atrasar, se você for roubado e precisar requerer todos os seus documentos de novo… são muitos “se” que você precisa prever. E, presumindo que você está indo para outro país e não é herdeiro, não vai ter ninguém para te bancar nisso. Nós já contamos nesse outro post qual é a forma mais econômica e rápida de enviar dinheiro para fora do Brasil, dá uma olhada!

O modo que calculamos esse valor é somando todos os gastos mensais e guardando pelo menos 3 meses garantidos em uma poupança. Se tudo der errado, nós conseguimos nos sustentar aqui por 3 meses tranquilamente ou usar esse dinheiro para alguma emergência. Se tudo der certo, ele fica rendendo no banco. Criar essa poupança emergencial é uma das coisas que mais te dão segurança na hora de ir morar fora.

Calculadora de gastos

Para facilitar a sua vida, nós criamos uma planilha no Excel que pode te ajudar a descobrir o quanto você precisa economizar por mês antes de ir morar em outro país. É só preencher com a quantidade de messes que faltam para a mudança, quanto dinheiro você tem guardado, seus gastos pontuais e recorrentes e a moeda do local. O arquivo já vai calcular quanto você precisa para sair de onde você está agora com a garantia da poupança emergencial. Para baixar é só dar like nesse post por aqui:

[sociallocker id=”1996″]Obrigado por ajudar os Pequenos Monstros divulgando nosso post. :)

Clique aqui para baixar a nossa Calculadora de Gastos.[/sociallocker]

Como ganhar dinheiro morando fora?

Agora que você tem uma média de quanto dinheiro vai precisar, chegou a hora de pensar em como você vai se sustentar durante esse tempo.

No nosso caso, continuamos trabalhando (e muito!) daqui fazendo freelas de conteúdo e planejamento digital para agências de publicidade e clientes do Brasil. Sabemos que cada caso é um caso e não temos nenhuma fórmula mágica para conseguir dinheiro, mas podemos ajudar um pouquinho com algumas dicas, então vem com a gente!

Não consegue trabalhar de qualquer lugar?

Se você não quer ou simplesmente não consegue pensar em nada para trabalhar de forma remota, existe a opção de trabalhar no país que você vai. Lembrando que, neste caso, o visto costuma ser diferente para trabalho.

Ah, e é importante lembrar que você não precisa largar a sua área de atuação e ir trabalhar com alguma coisa nada a ver só para ganhar dinheiro. Ainda no Brasil você pode ficar de olho nas vagas de algumas empresas do país que você quer morar e mandar currículo sempre que surgir alguma coisa com o seu perfil. Conhecemos algumas pessoas que decidiram mudar de país e meses antes começaram a enviar currículos para empresas do país de destino que eram ligadas as suas carreiras, mesmo quando não tinha nenhuma vaga aberta. Contaram sua história, explicaram suas experiências (ter um LinkedIn atualizado ajuda muito!) e como eles poderiam fazer parte da empresa, na cara de pau mesmo. E todos eles conseguiram empregos até antes de sair do Brasil. Você só precisa conversar com o contratante e entender se precisará traduzir seu diploma ou ter algum outro comprovante para exercer sua profissão.

Se você vai para Londres, por exemplo, comece desde já a mapear empresas da sua área e entenda como elas atuam, quais são seus pontos fortes e mergulhe dentro de tudo que você puder conhecer sobre a área no país. Quando a viagem começar a se tornar realidade, já envie alguns emails para os lugares e torça para dar certo. Às vezes não rola um emprego ali, mas podem te indicar para outra pessoa ou te convidar para conhecer a empresa. Na pior das hipóteses, você já faz um networking legal que pode resultar em alguma oportunidade no futuro. Lembre sempre que o “não” você já tem e tentar não dói.

E existe sempre a possibilidade de você trabalhar em bares, restaurantes ou hostels, seja viajando para vários países ou para morar fixo em algum lugar.

Dependendo do seu objetivo, existem vários sites que podem te ajudar:
Worldpackers – Trabalhe em hostels em troca de hospedagem
WWOOF – Trabalhe em fazendas orgânicas em troca de hospedagem
Work Away – Coloque o que você sabe fazer e encontre quem precisa do serviço em troca de hospedagem
House Cares e MindMyHouse – Você se oferece para cuidar da casa de alguém enquanto eles estão fora
HelpX – Lista vários lugares que aceitam voluntários em troca de hospedagem e alimentação

informe_publicitario_da_lisa

Quer trabalhar de qualquer lugar?

O trabalho que você faz hoje pode ser feito remotamente? Às vezes você acha que não, mas se conversar com o seu chefe ele pode topar que você trabalhe de longe e faça reuniões usando o Skype. Se não pode trabalhar remotamente no emprego que você está, você precisa começar a procurar alternativas que vão te dar algum dinheiro depois da mudança.  Se você já sabe fazer alguma coisa que possa exercer de longe, é hora de procurar alguns trabalhos no Brasil e fora dele para começar a ganhar confiança nessa área. Mas calma aí, não precisa largar seu emprego agora não, tá? Comece conciliando as duas coisas até o momento que você se sentir seguro para largar o trabalho oficial.

Você pode ver todos os nossos posts com dicas sobre trabalhar enquanto viaja o mundo clicando aqui. 

Se você escreve ou ilustra bem tudo parece mais fácil para quem quer ser freelancer, mas quase todas as áreas podem ser aproveitadas online, é só ser criativo. São justamente essas ideias novas e que ninguém pensou que dão mais dinheiro, na verdade. Também existe a possibilidade de você mudar de área, dedicar todo seu tempo livre para aprender alguma coisa nova online e depois começar a trabalhar com isso. É uma aposta a longo prazo que pode dar certo. E nunca é tarde, né? Ou você pode simplesmente colocar algumas ideias no Fiverr, ou entrar no Upwork, fazer trabalhos simples de tradução para PT-BR e ir ganhando pouco a pouco.

Para receber dinheiro, continuamos usando normalmente nossas contas brasileiras para clientes do Brasil e por Paypal para clientes de fora. Desta forma, a burocracia é bem menor e não preciso transformar euro para real e depois para euro de novo, perdendo dinheiro em todas as conversões.

Para saber sobre como transferir dinheiro do Brasil para o exterior, é só clicar aqui para ver um outro post sobre isso.

Quer guardar dinheiro?

Se você quer guardar um dinheiro antes de ir para não trabalhar, acho que a melhor dica que podemos dar é: pense em quanto por mês você consegue guardar em uma poupança, agende uma transferência automática e não olhe mais para ela até ter atingido sua meta. A calculadora de gastos que fizemos pode ajudar um pouco. Se estiver saindo muito caro, tenta cortar coisas.

Algumas dicas práticas:

  • Cortar aquele cafézinho durante a tarde ou deixar de beber tanto no happy hour já faz uma diferença enorme no futuro. Coloque essa economia semanalmente na poupança.
  • Sabe aquelas trinta e duas jaquetas do seu armário que foram usadas duas vezes? Provavelmente você não vai precisar dela pelos próximos meses (ou anos). E quando você voltar, se voltar, seu estilo vai ser ainda mais diferente do que as coisas que você deixou no armário. Separe as roupas, os livros que você nunca mais vai ler, o videogame antigo, os móveis do quarto (ou da casa!), os sapatos de uma só noite e até os CDs e coloque para vender em brechós, no Enjoei ou entre amigos. Você provavelmente vai ficar surpreso com o quanto isso pode arrecadar. E esse dinheiro extra, é claro, vai direto para a poupança da viagem.
  • Se tiver tempo livre, procure um trabalho extra. Seja bartender, freelancer, cuide do bebê da vizinha, seja dog walker dos cachorros do prédio, venda docinhos na escola ou no trabalho…o que sua criatividade e tempo permitirem. Boa parte desse dinheiro, claro, vai para a poupança da viagem. Aqui tem um post sobre como ganhar em dólares sem sair de casa, caso você esteja interessado!
  • Nesse link aqui tem o nosso passo a passo de como organizamos nossas finanças em casal para você se inspirar
  • Se você vai receber algum presente de aniversário de algum familiar, peça em dinheiro. Eu sei, isso é super chato, mas se você colocar de uma maneira mais palpável, como “O presente que você pode me dar é 3 dias de hospedagem na Tailândia: X reais”, o presente parece um pouco mais significativo. 

Enfim, seja criativo. O que não dá é você só sonhar e nunca fazer nenhum sacrifício para que esse desejo se realize.

 

Melhor prevenir, né?

Seguro de viagem, remédios e poupança emergencial são três coisas importantes de ter garantidas. Boa parte dos países só vendem remédios com receita, os médicos são caros e uma emergência pode comprometer a sua mudança inteira. São três coisas que nós não queremos precisar, mas é sempre melhor garantir.

Seguro de viagem

Como viemos passar um tempo morando na Europa e sabe lá por onde mais, compramos um Seguro de Viagem que cobre o mundo todo, o World Nomads. Nós nunca precisamos usar (ainda bem!), então não testamos, mas ele é aprovado pelo Lonely Planet e lemos vários relatos de pessoas que usaram os serviços e gostaram.

Aqui, é importante saber se o país que você vai precisa de um determinado seguro viagem, que tenha cobertura de um valor específico. O World Nomads cobre despesas médicas e odontológicas de até 5 milhões de dólares, emergência 24 horas, tem um pacote “Explorer” para quem vai fazer esportes radicais e também tem a opção de você colocar seus eletrônicos. Achamos a apólice bem justa, e como ele é um dos poucos que fazem a cobertura por um longo período e em vários países, achamos bem válido.

Remédios

É bom fazer um estoque dos que você toma diariamente e levar os extras para problemas esporádicos, como gripe, alergia, alguma infecção etc. Você pode comprar no lugar de destino, claro, mas é sempre bom ter alguns para emergência até descobrir como conseguir o remédio que você toma no país que você está. Trouxemos um estoque enorme de remédios para não precisar ir ao médico sem necessidade ou ter de lidar com composições médicas em alemão, pelo menos no começo.

Se você toma algum remédio controlado (no Brasil ou no país que você vai) e precisa levá-lo em grande quantidade, aconselhamos que você leve junto a receita do seu médico. No embarque ou desembarque é bem pouco provável que eles se preocupem com isso, mas é melhor garantir. Quando a medicação acabar, vá com a receita brasileira e a caixa vazia do remédio para o médico do país e veja se ele pode te ajudar a entender qual é essa medicação no país que você está.

O que levar?

Nós mudamos para a Alemanha com roupas, eletrônicos (laptops e câmeras) e cachorros. E só. Só trouxemos malas, e as poucas coisas que sobraram ficaram guardadas em caixas/malas na casa dos nossos pais ou amigos.

A grande dica aqui é pensar em quanto tempo você vai passar fora. Se seu quarto for ficar intacto na sua casa brasileira, talvez você nem precise se desfazer de nada. Se você estiver se mudando definitivamente, aí é bom rever os móveis, as roupas, as caixas de bugigangas e só guardar o que você não quer se desfazer nunca. Foi isso que aconteceu com a gente, e provavelmente só vamos rever de verdade as nossas coisas que ficaram no Brasil daqui alguns anos. Tentamos enxugar ao máximo as roupas e sapatos, doamos muuuita coisa e vendemos algumas, e mesmo assim foi difícil de trazer tudo que a gente queria. Muita coisa teve que ficar para trás. Mas é a vida que a gente escolheu, né? Não dá pra ter tudo.

Para quem não tem onde deixar, a melhor coisa é procurar por algum serviço de self storage. A gente até queria, mas achamos todos muito caros ou não confiáveis, aí acabamos contando com a família e amigos mesmo.

Se você quer passar a vida viajando, adquirir um monte de bens materiais só vai ajudar você a ficar cada vez mais preso em um só lugar. E é mais ou menos esse mantra que a gente tenta repetir sempre.

É bom saber dessas coisinhas


Celular

Como muitos dos nossos clientes são brasileiros, preferimos manter nossos números de celular funcionando. Isso sem gastar um absurdo de roaming quando nos ligassem, é claro. O que fizemos foi:

  1. Mudar a conta de pós para pré, dessa forma você mantém seu número se voltar
  2. Comprar um número fixo de São Paulo pelo do Skype
  3. Redirecionar todas as ligações do celular para esse número do Skype

Quando estamos conectados, qualquer pessoa pode falar conosco ligando tanto para esse número fixo de São Paulo, como para o nosso celular de sempre, e a ligação cai direto no nosso Skype. Com o celular pré-pago TIM da Debbie essa técnica continua funcionando até hoje, mas quando o Fê mudou a conta dele de pós para pré na Vivo, a operadora não permitiu que ele encaminhasse mais as chamada. Um saco. Se você quiser muito fazer o redirecionamento de chamadas, talvez valha a pena mudar a sua operadora para a TIM antes de ir.

De qualquer forma, passamos nosso número do Skype para todo mundo e agora família, amigos e chefes conseguem nos ligar com o preço de uma ligação local para São Paulo. Ah! Nós também colocamos crédito em nossa conta do Skype para poder ligar para o Brasil de forma bem mais barata. Normalmente funciona super bem.

Além da conta do Skype, a única coisa que fizemos foi guardar o chip para usar quando for ao Brasil e comprar um chip alemão para usar internet e telefone aqui. Não esqueçam de já sair do Brasil com o celular desbloqueado para outras operadoras.

Contas de banco

Essa parte de banco é a mais atrasada nesse esquema de nômades digitais que estamos vivendo Não existe nenhuma opção fácil e econômica em vários quesitos. Pelo menos não que tenhamos encontrado.

Como nossos planos são de morar em diferentes países, acabamos optando por não abrir uma conta na Alemanha (pelo menos não até o momento). Mantivémos nossas contas brasileiras por conta dos nossos clientes e pela facilidade (na teoria) de lidar com um só tipo de burocracia desse tipo. Também temos contas no Paypal em euros e em dólares para alguns clientes que nos pagam nessas moedas – e usamos para pagar serviços como o Airbnb, por exemplo, sem que tenhamos que gastar convertendo a moeda –, mas normalmente sacamos dinheiro pelo Brasil mesmo.

De qualquer forma, aqui na Alemanha é bem simples de abrir uma conta, você só precisa do Anmeldung (o documento mostrando que você se registrou na prefeitura do seu bairro) e do passaporte. Isso também varia de país para país, mas se você vai trabalhar fixo em alguma empresa, normalmente é obrigatório ter uma conta ativa no país. Hoje nós temos uma conta alemã no Number26.

Retomando tudo

Para facilitar ainda mais a vida de você que está querendo morar fora, criamos essa checklist aqui com tudo que você vai ter que fazer. Muita coisa está com link para o ponto do post em que tocamos nesse assunto, mas alguns outros têm links externos que dão dicas outras dicas.

Ah! Se você vai ficar bastante tempo em um mesmo lugar, você precisará se registrar na prefeitura do bairro que vai morar, pelo menos aqui na Alemanha. Em outros países, a burocracia pode ser diferente, mas dar um pulo na prefeitura da cidade já vai te dar uma boa noção de como prosseguir.

Outros links para você ler um pouco mais sobre mudar de país:

Espero que esse post gigante ajude quem está nessa loucura de mudar de país. Qualquer dúvida, mande aí nos comentários e tentaremos ajudar ao máximo. Ah! Se você já fez esse processo de morar fora e aconteceu de uma forma diferente ou tem alguma extra, conta aí pra gente também. :)

Comentários