Como é morar em Barcelona?

Continuando nossa série de posts que conta como é viver em cada uma das cidades que já passamos, essa semana vamos falar da queridinha de tanta gente por aí! Barcelona é uma daqueles lugares que você só ouve elogios de pessoas de todas as nacionalidades, de brasileiros a suíços.

Como uma cidade pode agradar a tantas pessoas diferentes ao mesmo tempo? Foi isso que fomos até lá descobrir. Durante os quatro meses que moramos em Barcelona conseguimos entender um pouco dessa mistura que faz tanta gente se apaixonar.

Mas é claro que nenhuma cidade é perfeita, né? Seguindo a ideia de todos os nossos posts sobre morar em lugares diferentes, vamos falar de 5 coisas boas e 3 ruins de Barcelona. :)

Esse é mais um post da nossa série de artigos contando um pouquinho das coisas boas e ruins de morar nas cidades que já vivemos até hoje.
Se você quer saber como é morar em Berlim, clique aqui.
Se você quer saber como é morar em Lisboa, clique aqui.
Se você quer saber como é morar em Budapeste, clique aqui.

5 COISAS BOAS X 3 COISAS RUINS

5 coisas boas sobre morar em Barcelona

O clima da cidade

Esse aqui é uma das principais razões para as pessoas gostarem tanto de Barcelona: o clima da cidade é incrível. E nem estou falando só da temperatura não, tá? O Mediterrâneo tem um dos melhores climas de toda a Europa – se não o melhor – e durante a primavera e o verão Barcelona é uma delícia de viver, mas esse item vai além do calorzinho!

Barcelona tem esse clima super vivo, cheio de pessoas felizes. Músicos de rua, pessoas dançando sardana com a orquestra tocando e artistas locais só complementam toda essa sensação. É turista, é local, idoso, adolescente, mochileiro e expat, tudo misturado conversando alto, sorrindo, curtindo a cidade toda. E isso é uma delícia! As pessoas em Barcelona já parecem naturalmente felizes. Além disso, o clima permite que você sente nas partes externas dos restaurantes e bares, fique nas praças ou na praia até mais tarde e veja todo o movimento acontecendo em qualquer bairro que você decidir morar.

História, arquitetura e arte pelas ruas

Barcelona é uma cidade lindíssima, cheia de histórias para contar e motivos para manter os olhos atentos em qualquer rua que você passe. Seja na cidade antiga, com suas vielas, ou nas ruas espaçosas do Eixample, você sempre vai ter motivos para parar alguns segundos e ficar observando um prédio maravilhoso (alô, Gaudí?), tentando descobrir qual é a história daquela placa no Google ou babando por alguma criação neogótica.

Leia mais: A melhor forma de transferir dinheiro para a Espanha!

Outra coisa que faz a cidade ser tão interessante visualmente é que ela existe graças a junção de vários municípios independentes, e isso faz com que cada região pareça uma cidade completamente diferente da outra. Um exemplo que mostra isso muito bem é conhecer o Bairro Gótico e o Born, na Ciutat Vella, subir para Gràcia passando pelo meio do Eixample e depois dar um pulo em El Poblenou, quatro regiões completamente diferentes entre si.

Os lugares são sempre animados

Espanhóis são pessoas animadas por natureza. Você sempre ouve pessoas falando alto na rua, brincando, puxando assunto contigo e interagindo em qualquer situação. E essa é uma sensação muito gostosa nos bares de Barcelona. Seja nos mais chiques, que servem coisas mais caras, ou nas tascas super tradicionais e tranquilas, que servem algumas daquelas bebidas típicas que falamos aqui, as pessoas estão conversando animadas, sorrindo e mostrando o quanto estão felizes. Essa vibração toda dá vida a cidade e a mantém jovem, mesmo que o som saia de um bar de vinhos cheio de senhoras sorridentes. Essa sensação, na verdade, ainda faz parte do clima de Barcelona que falamos no primeiro ítem, mas é tão gostosa e familiar para nós, brasileiros, que achamos importante destacar. :)

Além de aproveitar o bar em si, lá dentro você também pode – e deve! – acompanhar sua bebida com várias tapas diferentes, outra coisa maravilhosa da Espanha. Parte da sua vida será a base de azeitonas, patatas bravas, pà amb tomaquet e pedaços de queijo curado com jamón (caso você seja fã). Ta aí uma ideia que nós queríamos que toda a Europa roubasse da Espanha.

A praia (tinha que ter, né?)

Para nós, que nunca moramos em uma cidade com praia antes, a sensação de poder largar o computador em casa e ir correr na praia foi uma coisa muito nova. E é exatamente assim que vimos centenas de espanhóis balanceando sua semana. Quer coisa mais relaxante do que sair do expediente no verão e conseguir dar um pulo na praia pra tomar um sol?

A orla, mesmo que só com 4km, acaba equilibrando muito toda a loucura da cidade, fazendo com que qualquer dia estressante possa terminar como suas férias.

Facilidade de locomoção

Barcelona é uma cidade predominantemente plana, com transporte público fácil para qualquer canto e, além de tudo, relativamente pequena, que você consegue conhecer quase inteirinha só andando a pé. Essa sensação de simplesmente poder sair andando e ir de ponta a ponta da cidade é muito gostosa pra quem vive por ali, porque qualquer passeio pode virar um tour por várias regiões que você nunca conheceu antes.

Com essa facilidade toda, também fica fácil andar de skate e bicicleta em muitos dos seus bairros e ruas – isso, é claro, se você não pretende morar na Ciutat Vella. Um dos dias mais legais que tivemos em Barcelona foi no aniversário da Debbie, que alugamos uma bicicleta e pedalamos 22km pelas ciclovias de vários cantos da cidade. :)

3 coisas ruins sobre viver em Barcelona

O turismo excessivo

Barcelona é uma das cidades mais famosas de toda a Europa e que todo mundo quer conhecer. Já há muitos anos, uma das principais fontes de sustento das pessoas é justamente o turismo, e existe até uma piadinha que diz mais ou menos isso: em Barcelona, lugares cheios de turista são normais, lugares que misturam turistas e locais são legais, e lugares só com locais não existem. Nós morávamos em um bairro turístico e com certeza isso nos deu essa visão ainda mais acentuada, mas é sempre mais ou menos assim que acontece.

A cidade toda é incrível de linda, mas tem um monte de coisas feitas “só para turista ver”. Um exemplo disso, que contamos nesse vlog que fizemos quando morávamos por lá, é que o Bairro Gótico foi praticamente todo reconstruído, imitando a arquitetura gótica, pensando na quantidade de turistas que ele iria impressionar. É meio difícil entender e viver a Barcelona “de verdade” porque tudo acaba sendo pensado dessa forma e essa “identidade falsa” – que na verdade é mais real do que nunca – acaba ficando meio chata.

Tudo está sempre cheio

Eu li por aí que Barcelona é uma lata de sardinha e todos nós estamos ali dentro, um empilhado em cima do outro. O turismo ajuda a complicar, mas mesmo que você tente fugir para bairros mais tradicionais, procure restaurantes mais autênticos, que estejam ou não na moda, você vai sofrer para entrar.

É quase impossível andar tranquilamente sem desviar das pessoas nas calçadas, são tantos grupos de turistas nos centros que dá até medo de passar por perto e ser sugado. Os restaurantes, bares, supermercados, lojas, banheiros, tudo está sempre cheio e você nunca pode estar com pressa para nada, porque as barreiras pra chegar em quase todo lugar são infinitas. Excesso de turistas? Também. Mas principalmente por ser uma cidade grande em que qualquer coisa legal está sempre cheia. Uma coisa meio São Paulo, só que trocentas vezes menor.

Os mercados são horríveis

Claro que, como todo o resto da lista, aqui é uma visão da nossa vida em Barcelona e pode não se aplicar a todo mundo ou todo bairro, mas se tem uma coisa que a gente apanhou morando na cidade (e na Espanha toda, pra falar a verdade) foram nos mercados. O nosso bairro ajudou a complicar a situação, mas mesmo frequentando cada vez mercados mais e mais distantes da nossa casa, ainda apanhávamos para encontrar coisas legais e saudáveis. Num geral, eles são pequenos e possuem pouca variedade de comida, especialmente quando você tem uma vegetariana na casa (você já viu esse Guia de Sobrevivência para Vegetarianos na Espanha?). Para nós, sempre faltavam legumes, comidas mais saudáveis ou variedades interessantes em todos os mercados, porque eles sempre repetem as mesmas fórmulas a exaustão, normalmente das marcas próprias do mercado, que nem sempre são boas (ou baratas).

Em compensação, os mercados municipais, como o Mercado de Santa Catarina, ou as vendinhas de bairro espalhadas por todos os lados, conseguem compensar a falta de legumes, frutas e temperos que não estão nas prateleiras da maior parte dos mercados. Ali você pode não encontrar a maior variedade do mundo, mas pelo menos encontra alimentos mais frescos, pode negociar preços e comprar coisas melhores sem penar em dois ou três mercados diferentes.

 

Essas foram algumas das nossas impressões sobre Barcelona! Como sempre, essas são algumas das impressões que tivemos de acordo com o lugar e a forma que vivemos. Cada um tem uma visão de acordo com a experiência que vive, né?
Para quem quer saber mais sobre o que achamos de Barcelona, esse texto de despedida da cidade pode satisfazer a curiosidade. :)

Comentários